DESTINO: 80's é uma rubrica do Maisfutebol: recupera personagens e memórias dessa década marcante do futebol. Viagens carregadas de nostalgia e saudosismo, sempre com bom humor e imagens inesquecíveis. DESTINO: 80's. 
 
DINO FURACÃO: Nacional (1987 a 1990); Beira-Mar (1990 a 1994); V. Setúbal (1994/95); Desp. Chaves (1995/96)






Maisfutebol

«A minha vida sempre foi desporto. Joguei futebol, fiz natação, atletismo, basquetebol. O meu pai foi jogador. Também sou treinador de escolinhas de futebol. Adoro a minha profissão porque me permite continuar ligado ao desporto»,



«Não conhecia nada do clube quando fui para lá. Foi uma boa surpresa. Um local bonito, encantador. Um clube organizado e em crescimento. Foi tudo bom»

«Na Madeira encontrei um lugar diferente de tudo o que conhecia. Fui muito bem aceite. O público era acolhedor e tratou-me bem porque também fiz um bom trabalho lá»,

«Marquei 21 golos e só comecei a jogar à 5ª jornada, por falta de documentação»

«Tive algumas fases marcantes em Portugal. O segundo ano, já na Liga, também foi muito bom. A equipa era candidata a descer e acabou em décimo. Fizemos um grande campeonato»



NÚMEROS DE DINO FURACÃO EM PORTUGAL:











O presidente que só queria jogadores casados



«A equipa do Beira-Mar era muito experiente. Tínhamos uma média de idades de 30, 31 anos. O presidente, Silva Vieira, só queria jogadores casados porque achava que tinham mais responsabilidade. Não iam para a noite, não faziam bobagens»

«Lembro-me que houve a possibilidade de o Edmilson, que depois jogou no Marítimo, V. Guimarães e Sp. Braga, ir para lá. Ele tinha jogado comigo no Nacional e o presidente veio logo perguntar-me como era ele. Se era casado, se gostava de noite. Dava muito valor a isso mesmo.»


Edmilson e Dino no Nacional (Foto: Facebook de Dino)

«muito bons»«Chegámos à final da Taça, conseguimos a melhor classificação de sempre do clube na Liga, com um quinto lugar, empatado com o Salgueiros. Perdemos o apuramento para a Taça UEFA por diferença de golos»

A rábula com o taxista furioso do homem que derrotou o Benfica



«Se calhar foi o jogo da minha vida»


O Beira-Mar de Dino Furacão (Foto: Facebook de Dino)

«O Benfica foi um dos jogos, claro. Ficou na memória por ter tirado o título, porque o Benfica perdeu em Aveiro e o FC Porto passou para a frente»




«Quando voltei para Portugal, no ano seguinte, o avião não foi para o Porto mas para Lisboa. Quando ia apanhar o táxi para ir para Aveiro fui insultado pelo taxista que era benfiquista. Xingou-me, disse-me palavras não muito boas. Pensei que ia ficar em Lisboa, mas lá consegui ir para Aveiro… Só fiz o meu trabalho e aquele foi um jogo positivo. Para mim, claro, não para o Benfica»

Mais sobre Dino Furacão (incluindo o tal golo ao Benfica):