DESTINO: 90's é uma rubrica do Maisfutebol: recupera personagens e memórias dessa década marcante do futebol. Viagens carregadas de nostalgia e saudosismo, sempre com bom humor e imagens inesquecíveis. DESTINO: 90's.

MISSÉ MISSÉ: Sporting (1996/1997)




«Jornalista: Como é que falhou aquele golo de baliza aberta?
Missé Missé: Estou com um quilo a mais, lamento.»





Maisfutebol



ENTREVISTA A MISSÉ MISSÉ: «Aboubakar pode até ser melhor do que eu»



timing

«um dos piores capítulos»

«'Monsieur', é falso que não tenha feito golos no Sporting. Fiz uma excelente pré-época e marquei à Real Sociedad e ao Torino»

MISSÉ MISSÉ: os cinco jogos no Sporting







«Desculpe, é provável que o telefonema vá abaixo mais vezes. Como lhe dizia: eu, o Ouattara e o Amunike estivemos muito bem na pré-temporada. Depois, o treinador estragou o que construiu»



«Não, não, não. Todos pensavam isso, é falso. Fui contratado pelo senhor Norton de Matos. Ele conhecia bem a liga belga e as pessoas da direção do Sporting. O Waseige aceitou a sugestão dele e fui contratado. Eu e o Filip De Wilde, o guarda-redes»

«O Sá Pinto não me passava a bola»



«Os internacionais portugueses chegaram mais tarde – Sá Pinto, Paulo Alves, Oceano, Pedro Barbosa – e tudo mudou. Deixaram de me passar a bola! O Sá Pinto, então… os adeptos adoravam jogadas individuais e os meus colegas abusavam. A equipa era muito jovem»

«Tornei-me um avançado egoísta também. E tudo piorou para mim. Deixei de jogar, colocaram-me a treinar à parte, ensinaram-me várias coisas. O quê? Que um clube pode fazer o que quiser para indicar a porta de saída a um jogador»

«Está resolvido»



«Com esse senhor não adiantava treinar bem, tentar agradar. Tinha as suas ideias. Não foi ele o culpado. Tive um problema com as Finanças, quiseram entregar à minha mulher uma quantia absurda de dinheiro para fugirmos aos impostos… o que lá vai, lá vai»

«Prefiro recordar o bom jogo que fiz contra o Montpellier»

Missé Missé: assistência para Hadji em Montpellier (1m10s):





«Empatámos e joguei os 90 minutos. Ofereci o golo ao Hadji. Sabe o que aconteceu no jogo seguinte? Joguei dois minutos contra o Rio Ave [em Vila do Conde]. Apeteceu-me desistir»



«Estou bem, levo uma vida tranquila, amo a minha família e o meu trabalho. Envio cumprimentos aos adeptos do Sporting, nunca me fizeram mal. Era tudo gente boa. Fico triste por não ter conseguido fazer mais pelo clube»