O jogo deste domingo entre o Abóboda e o Belenenses, a contar para a I Divisão da Associação de Futebol de Lisboa, terminou aos 85 minutos depois de o árbitro se ter queixado de ter sido agredido.

Logo após o 2-1 da equipa de Belém, o juiz da partida expulsou Tomás Castro por acumulação de amarelos – a quarta expulsão da partida – e deu por terminado o encontro, queixando-se de agressão.

O Belenenses já reagiu, em comunicado, negando qualquer incidente e relatando a «estupefacção dos adeptos de ambos os clubes que enchiam o recinto e também de ambas as equipas» com a decisão do árbitro.

«Não se verificou neste encontro qualquer agressão a um agente desportivo por parte dos atletas e adeptos de ambas as equipas, estando aliás toda a partida devidamente gravada em suporte vídeo», escreveu o emblema da cruz de cristo no site oficial.

Leia o comunicado do Belenenses na íntegra:

«1. À semelhança do que tem vindo a suceder em todas as deslocações do Belenenses na I Divisão da AFL, a equipa de futebol foi hoje novamente apoiada no Complexo Desportivo da Abóboda por centenas de adeptos que, uma vez mais, fizeram do futebol uma festa de cor e de alegria, cantando ao longo de toda a partida e incentivando sem cessar os atletas que envergam a camisola azul da Cruz de Cristo, sempre no respeito para com os adeptos das equipas adversárias com quem se tem verificado um são convívio que honra todos os emblemas e o verdadeiro espírito desportivo.

2. Aos 85 minutos do jogo desta tarde no Complexo Desportivo da Abóboda, pouco após o golo de Tomás Castro que colocou o Belenenses na frente do marcador, a equipa de arbitragem designada para este encontro deu por terminada a partida, para estupefacção dos adeptos de ambos os clubes, que enchiam o recinto, e também de ambas as equipas – que permaneceram surpreendidas no terreno de jogo por mais algum tempo na expectativa de poderem continuar a proporcionar um bom espectáculo até ao apito final.

3. Se assistimos a um jogo de futebol entre duas equipas que sempre procuraram o golo em condições climatéricas muito adversas, que tornaram naturalmente o terreno de jogo mais propenso a contactos mas que em momento algum justificou quatro expulsões num jogo viril mas correcto, fazemos notar que não se verificou neste encontro qualquer agressão a um agente desportivo por parte dos atletas e adeptos de ambas as equipas, estando aliás toda a partida devidamente gravada em suporte vídeo.

4. Importa igualmente referir que esta partida contou com uma forte presença policial, não tendo sido identificado qualquer atleta, dirigente ou espectador uma vez que, logicamente, não existia ninguém para identificar dada a ausência de factos que o justificassem.

5. O Clube de Futebol “Os Belenenses” detectou esta tarde, isso sim, uma equipa de arbitragem sem qualquer categoria e que, desde o primeiro minuto, quis ser protagonista do jogo substituindo-se à competência deixada em campo pelos atletas das duas equipas, chegando ao ponto, a título de exemplo, de conseguir expulsar Tomás Castro logo após o segundo golo do Belenenses, por acumulação de cartões amarelos, ficando a equipa reduzida a oito jogadores, quando o atleta do Belenenses ainda não tinha visto qualquer cartão.

6. É fundamental que a Associação de Futebol de Lisboa e, mais concretamente, o seu Conselho de Arbitragem, nomeie todas as semanas os seus melhores árbitros para desafios que se sabe encherem os recintos de jogo em que se disputam, privilegiando as leis do jogo, a verdade desportiva e a visibilidade positiva das competições.

Estádio do Restelo, 4 de Novembro de 2018

A Direcção do Clube de Futebol “Os Belenenses”»