Começando pelo F.C. Porto, a equipa de Jesualdo acabou de perder dois pontos em relação à primeira volta ao empatar com o Sporting no Dragão, depois de no início da prova ter ganho em Alvalade, mas já tinha recuperado essa diferença com a vitória sobre o Rio Ave, quando tinha empatado em Vila do Conde no início da competição.

O Benfica, por seu lado, fez melhores resultados em duas rondas, recuperando pontos com o Rio Ave (+2) e com o Leixões (+2), mas acabou por perder parte desses dividendos em Alvalade (-3). O Sporting, por seu lado, ganhou quatro pontos aos adversários directos, mas já os tinha penhorado com o empate na Trofa e com a derrota em casa com o Sp. Braga ficando com um saldo negativo de um ponto.

O Sp. Braga, com quatro vitórias na segunda volta, é o grande vencedor nesta análise, recuperando sete pontos em relação aos resultados que tinha somado na primeira volta. Olhando apenas para a segunda metade, a equipa de Jorge Jesus é mesmo líder com mais um ponto do que o F.C. Porto. Uma menção especial também para a equipa de Tulipa que, com apenas uma derrota, melhorou significativamente a sua performance no arranque da Liga em que somou cinco desaires consecutivos.

Pela negativa, a Académica de Domingos Paciência é que está a perder mais pontos em relação ao arranque do campeonato, com menos cinco pontos somados. Neste capítulo destacam-se ainda E. Amadora e Naval, com menos quatro pontos.

Um referência para as coerências de F.C. Porto (11/11), Nacional (10/10) e Belenenses (2/2) que, ignorando o factor casa ou fora, somam exactamente os mesmos pontos.

Quem ganha e quem perde em relação às cinco primeiras jornadas da primeira volta

F.C. Porto: 11 pontos (1ª volta)/11 (2ª volta)

Benfica: 9/10

Sporting: 9/8

Nacional: 10/10

Leixões: 10/8

Sp. Braga: 5/12

Marítimo: 7/9

E. Amadora: 10/6

V. Guimarães: 8/6

Naval: 8/4

Académica: 9/4

P. Ferreira: 1/4

Trofense: 0/6

Belenenses: 2/2

Rio Ave: 5/6

V. Setúbal: 7/4