Maisfutebol

Espanha

1
David de Gea

David de Gea

Clube: Manchester United

Data de nascimento: 7 de novembro de 1990

De Gea deixou de ser um inquestionável de «La Roja», ou sequer do Manchester United. Mesmo tendo começado a temporada a afirmar que o espanhol «ainda é o melhor guarda-redes», o técnico Ole Gunnar Solskjaer terminou-a com De Gea sentado ao seu lado no banco, em alguns jogos. Desde que saiu das camadas jovens do Atlético de Madrid, os seus treinadores têm abordado a sua capacidade invulgar de recuperar de erros e evitar o peso da pressão, qualidades de que ele agora precisa mais do que nunca.

2
César Azpilicueta

César Azpilicueta

Clube: Chelsea

Data de nascimento: 28.08.1989

Pouco tempo depois de assumir o comando técnico do Chelsea, Thomas Tuchel teve de ser corrigido de que o nome do defesa basco era Azpi, e não Azpli. O treinador alemão não foi o primeiro a ter problemas de pronuncia, razão pela qual Azpilicueta foi apelidado "Dave" pelos seus companheiros de equipa, após sua chegada em 2012.

Fez quase 450 partidas pelo Chelsea, mas, oito anos após sua estreia, apenas 25 pela Espanha. É um polivalente, e José Mourinho defendeu uma vez que «uma equipa com 11 Azpilicuetas provavelmente pode ganhar a Liga dos Campeões». A verdade é que ganhou mesmo. O Chelsea venceu o Man. City na final do Dragão e César, o capitão, ergueu a «orelhuda» aos céus do Porto.

3
Portugal-Espanha (LUSA)

Diego Llorente

Clube: Leeds United

Data de nascimento: 16.08.1993

O início da primeira temporada de Llorente no Leeds, após uma transferência de 20 milhões de euros da Real Sociedad, foi desanimador. Até meados de fevereiro tinha feito um jogo a titular e outro como suplente utilizado. O defesa de 27 anos parecia uma contratação falhada e um jogador sem brilho. Porém, subitamente voltou à melhor forma na reta final da época e ganhou o seu lugar na equipa, fortalecendo o setor mais recuado. «Foram dias difíceis, mas o meu objetivo de ter êxito aqui era inabalável. Quando és movido por essa meta, nada mais importa», afirmou.

4
Pau Torres (AP)

Pau Torres

Clube: Villarreal

Data de nascimento: 16.01.1997

Torres tinha feito apenas um jogo pelos escalões de formação de Espanha, até seis meses antes da primeira chamada à seleção principal. Contudo, no Villarreal a ascensão não surpreendeu ninguém. Javi Calleja, agora técnico do Alavés, acompanhou seu progresso nas categorias de base e afirma: «Ele sempre se destacou. É calmo e confiante sempre que tem de fazer um desarme ou avançar no terreno.»

Torres cresceu ao lado de Raul Albiol no Villarreal e não parece ter pressa em sair do clube: «Sou feliz a morar com a minha família na minha cidade e a jogar por um clube que me deu tudo desde que eu era menino e que me trata como um filho», declarou.

A sua ligação com o clube é tal que chorou na recente flash interview após a qualificação para a final da Liga Europa, que o Villarreal acabaria por conquistar. Luis Enrique diz que gosta de tudo nele: «É alto, bonito, bom rapaz e lê bem o jogo.»

5
Sergio Busquets

Sergio Busquets

Clube: Barcelona

Data de nascimento: 16.07.1988

Busquets ainda é uma figura-chave no Barcelona, apesar de fazer 33 anos neste verão e de, no início da temporada, ter admitido o peso da idade: «É claro que não tenho mais 20 anos e não posso olhar muito para o futuro».

Ficou no banco em nove dos últimos 20 jogos internacionais da Espanha, tendo Rodri gradualmente assumido o cargo de médio defensivo da seleção.

É filho de Carles, um dos guarda-redes do Barcelona sob o comando de Johan Cruyff. Uma vez o pai teve um período de afastamento depois de queimar seriamente as mãos ao tentar apanhar um ferro de engomar (embora se tenha especulado sobre se os seus ferimentos foram na verdade resultado de um acidente de mota).

Sobre Sergio, uma vez Vicente del Bosque disse uma frase memorável: «Se assistires ao jogo inteiro, não vês Busquets. Mas se olhares para Busquets, então vês o jogo inteiro.»

6
Marcos Llorente (instagram)

Marcos Llorente

Clube: Atletico de Madrid

Data de nascimento: 30.01.1995

O pai de Llorente jogou no Atlético e no Real Madrid. Ele é sobrinho-neto do lendário Gento e neto de Ramón Grosso, outra lenda do Real. Dois dos seus tios jogavam basquetebol profissional e outro jogou futebol no Real Madrid e no Tenerife.

O seu pai era conhecido como El Lechugo – «a Alface» – e Marcos herdou uma versão da alcunha. Ele é «El Lechugita» e, na verdade, tem como foco a alimentação saudável. Não come alimentos processados, laticínios, leguminosas, também não bebe álcool, e é dono de dois restaurantes de alimentação saudável. Dorme numa cama de 35 mil euros, feita apenas com materiais orgânicos, o que, segundo ele, está «comprovado que impulsiona o sistema imunológico» e «reduz a idade biológica 15 anos».

7
Álvaro Morata

Álvaro Morata

Clube: Juventus

Data de nascimento: 23.10.1992

Morata jogava na equipa de juniores do Real Madrid quando sofreu uma grave concussão após im choque de cabeça com um defesa. Foi para o hospital e, quando voltou aos relvados, o seu jogo mudou: deixou de ser um 9 puro e tornou-se num avançado mais subtil. Nesta temporada, ao lado de Ronaldo no ataque da Juventus, marcou 11 golos no campeonato (20 no total) e fez 10 assistências.

Foi estrela das seleções dos escalões mais jovens de Espanha, melhor goleador do Europeu de Sub-19, em 2011, e do Euro Sub-21, em 2013, destacando-se pelo físico e pela velocidade. Porém, por vezes, falta-lhe concentração. Representou alguns dos maiores clubes do Velho Continente e nenhum jogador espanhol gerou mais em transferências do que os 180 milhões de euros que Morata já movimentou. Ainda assim, nunca se estabeleceu como uma estrela absoluta.

Conheceu a mulher, a modelo e estilista italiana de malas Alice Campello, após enviar-lhe uma mensagem no Instagram. Recentemente Alice aproveitou o Dia das Mentiras para pregar uma partida ao jogador, gravando o momento em que lhe atira um teste de gravidez para lhe dar a entender que iam ter um quarto filho. Era uma brincadeira, e Morata ficou furioso.

8
Koke

Koke

Clube: Atletico de Madrid

Data de nascimento: 01.08.1992

«Koke é um jogador de futebol extraordinário. Ele tem tudo. Será o coração da seleção espanhola por uma década», disse Xavi, em 2014. Não foi bem assim. Agora, com 29 anos, o médio do «Atleti» foi titular em apenas 30 jogos da Espanha e, depois de novembro de 2018, esteve fora das convocatórias da seleção por dois anos. A verdade é que Koke ressurgiu dessa quebra de forma e, em maio, fez o seu 500.º jogo pelo Atlético, tornando-se o segundo jogador com mais jogos na história do clube.

Filho de um taxista do bairro operário de Vallecas, a primeira coisa que Koke fez quando começou a ganhar dinheiro foi comprar uma moradia para seus pais nos arredores de Madrid. Para relaxar gosta de assistir a documentários sobre natureza.

9
Gerard Moreno (AP)

Gerard Moreno

Clube: Villarreal

Data de nascimento: 07.04.1992

Gerard tem sido um fenómeno esta temporada. Com 30 golos apontados, o último dos quais na final da Liga Europa, que o Villarreal conquistou, tornou-se, de longe, o avançado mais eficiente neste momento da seleção espanhola. «Ele é um camaleão. É superinteligente. Não tenho visto muitos avançados que entendam o jogo como ele. É muito mais do que um goleador: combina bem com os outros, influencia o jogo, o seu último passe é letal, é fantástico no um para um…», elogia o seu ex-técnico, Javier Calleja.

Moreno tem uma cicatriz no rosto de quando escalou a uma baliza para ir buscar uma bola que havia caído em cima da rede. Teve de levar pontos. «Eu era muito rebelde. Estava sempre a mexer-me», recorda ele sobre sua infância.

10
Thiago Alcántara

Thiago Alcântara

Clube: Liverpool

Data de nascimento: 11.04.1991

Desde a reforma de Xavi e Iniesta da seleção, Thiago destacou-se como um dos médios mais tecnicamente dotados da Europa. É filho do campeão mundial Mazinho e da jogadora profissional de voleibol Valeria, que desistiu do desporto aos 19 anos para se mudar para a Europa com o marido e criar os filhos. Thiago é irmão de Rafinha, agora no PSG.

Thiago costumava tentar imitar as fintas do pai na sala de casa. «Coloquei a mesa aqui, a cadeira ali, e driblei à volta delas. Os jogadores profissionais tinham cones, eu tinha cadeiras», confessou um dia.

No seu palmarés tem, entre outros troféus, onze títulos de campeão em Espanha e na Alemanha, e duas Ligas dos Campeões. Quando Pep Guardiola se mudou para o Bayern de Munique, ele disse que as suas prioridades para contratações eram «Thiago ou nada». «Ele não tem medo. Acha sempre que tudo é possível», afirmou Guardiola.

11
Ferran Torres (AP)

Ferran Torres

Clube: Manchester City

Data de nascimento: 29.02.2000

Deixou Valência no verão passado, com uma entrevista de despedida em que se queixou de «alguns jornalistas e pessoas do clube», que pareciam «determinados» em passar uma má imagem sua. A polémica não ficou por aí, já que acrescentou que Dani Parejo «não era um bom capitão»: «Quando comecei a jogar na primeira equipa, passaram-se muitas semanas até que ele me dissesse bom dia.»

Torres impressionou na sua temporada de estreia na Premier League, incluindo num período como segundo avançado. Aprimorou a capacidade de drible no seu quintal, brincando com o cão de estimação da família, cuja «única intenção era tentar tirar-me a bola». Continua a gostar muito de cães e tem dois de raça: um podenco andaluz e um cão-lobo-checoslovaco.

12
Eric García (instagram)

Eric Garcia

Clube: Barcelona

Data de nascimento: 01.09.2001

Apesar das suas qualidades, a presença na seleção espanhola de um jogador com poucas partidas pelo Manchester City nesta temporada ilustra a escassez de opções defensivas de qualidade, desde a saída de Gerard Piqué e a ausência de Sergio Ramos. Pep Guardiola, treinador do City, disse que Garcia é «como um filho». «Adoraria ter 15 Eric Garcias na equipa, pelo seu comportamento. Está sempre a pensar na equipa, não vira a cara à luta nos bons e nos maus momentos», afirmou, acrescentando que é um dos seus jogadores favoritos. Este filho, porém, acabou por ser rejeitado e está de regresso ao Barcelona, ​​o clube que deixou aos 16 anos, que anunciou a sua contratação recentemente.

13
Robert Sánchez (instagram)

Robert Sánchez

Clube: Brighton e Hove Albion

Data de nascimento: 18.11.1997

Sánchez ainda é recordado no Levante, o seu primeiro clube, por emborcar compulsivamente pacotes de leite – chamavam-lhe o «Terror Tetrapak» – ou por vaguear de pijama para ir pedir ao treinador de guarda-redes para fazer exercícios extra. Saiu aos 15 anos para o Brighton e, por isso mesmo, é praticamente um desconhecido em Espanha. Desde que se assumiu esta temporada como titular no clube inglês, Luis Enrique pediu aos olheiros que compilassem um relatório sobre ele. A opinião foi positiva e acabou por valer-lhe a rápida convocatória à seleção espanhola, o que gorou as expetativas para que pudesse vir a ser chamado por Inglaterra. Sánchez atriui mérito a Ben Roberts, o treinador de guarda-redes do Brighton, pela sua ascensão à primeira equipa: «Deu-me o carinho de que, por vezes, precisamos. Se não fosse ele, eu não estaria aqui.»

14
Seleção de Espanha

José Gayà

Clube: Valência

Data de nascimento: 25.05.1995

O ponta-de-lança que virou defesa passou toda a sua carreira no Valência e agora é o capitão de equipa – recusou uma abordagem do Real Madrid em 2015 para ficar no seu primeiro clube. «É gratificante que uma equipa como o Real esteja interessada em mim, mas Valência é minha casa e estou bem aqui», disse então.

O seu jogo melhorou significativamente em termos defensivos nas últimas temporadas. Na seleção tornou-se numa espécie de amuleto: não perdeu nenhum dos 13 jogos que disputou com a camisola de «La Roja» antes da convocatória para o Euro, alcançando nove vitórias. E este registo de invencibilidade teve muita "culpa" sua, já que marcou o golo do empate frente à Alemanha, no ano passado, seis minutos depois dos 90.

15

.

* o selecionador espanhol, Luis Enrique, decidiu convocar apenas 24 jogadores.

16
Rodri, Man City/Espanha: 80 milhões de euros

Rodri

Clube: Manchester City

Data de nascimento: 22.06.1996

Dispensado pelo Atlético de Madrid por ser muito baixo, Rodri destacou-se na primeira equipa do Villarreal, numa altura em que ainda tentava conciliar o futebol com o curso de administração e gestão de empresas na Universidade de Castellón. «Os meus pais têm-me ensinado a importância da educação desde que eu era criança», disse ele.

No primeiro ano como futebolista da primeira divisão morava numa residência universitária e conduzia um Opel Corsa em segunda mão. «As pessoas passavam-se ao ver o Rodri nos corredores», recordou um colega de apartamento, revelando: «No início, foi um pouco surpreendente vê-lo jogar ténis de mesa ou a colocar a roupa na máquina de lavar». No entanto, Rodri reconhece que ainda hoje é apenas um rapaz normal: «Para mim, é importante manter os pés assentes no chão.»

Conheça melhor Rodri, o protagonista da Espanha.

17
Fabián Ruiz (AP)

Fabián Ruiz 

Clube: Nápoles

Data de nascimento: 03.04.1996

Na academia do Betis, Ruiz era pequeno e habilidoso o suficiente para merecer a alcunha de Messi. Aos 14 anos, no entanto, ele teve um salto de crescimento considerável, ficando 30 centímetros mais alto no espaço de seis meses. Chegou rapidamente perto do 1,90m e teve de readaptar os seus movimentos para controlar o seu corpo, correr, girar e readaptar-se ao domínio da bola.

Nessa época, ele não era o único membro da família na academia do Betis: a sua mãe era empregada de limpeza nas instalações.

Juntamente com o seu amigo Dani Ceballos, ele comandou o meio-campo da seleção espanhola de sub-21 que se sagrou campeã da Europa em 2019. Marcou o primeiro golo da final, foi eleito o melhor jogador do torneio e mostrou a sua força, sentido posicional, capacidade de drible e de remate.

18
Jordi Alba

Jordi Alba

Clube: Barcelona

Data de nascimento: 21.03.1989

Após sete anos nas camadas jovens do Barcelona, o clube catalão deixou-o ir para o Valência. O erro, porém, foi emendado antes da final do Euro 2012, quando os catalães o voltaram a contratar. Em nove épocas pelos blaugrana, teve a competição na sua posição de Eric Abidal, Adriano, Jérémy Mathieu, Lucas Digne, Juan Miranda e, mais recentemente, Junior Firpo. Ninguém foi capaz de lhe ganhar o lugar.

Aproveitou o confinamento para finalmente passar no exame de condução. Até aos 31 anos era levado aos treinos diariamente pelo pai.

Kylian Mbappé ameaçou «matá-lo» durante o jogo da Liga dos Campeões do Barcelona contra o PSG nesta temporada, embora Alba provavelmente esteja acostumado a tais ameaças. «Acho que sou um dos jogadores mais odiados do futebol», disse-o em 2018. «Sou muito chato na forma como jogo e percebo o ódio que recebo de pessoas que não me conhecem. Mas Jordi, o jogador, não se parece em nada com Jordi, o homem.»

O dia em que Alba conduziu pela primeira vez para o treino:

19
Dani Olmo (AP Photo/Miguel Morenatti)

Dani Olmo

Clube: RB Leipzig

Data de nascimento: 05.07.1998

Olmo passou sete anos na academia do Barcelona antes de se mudar para o Dínamo Zagreb. A aposta valeu a pena: na Croácia conquistou quatro títulos da liga e dois prémios de jogador do ano, antes de se mudar para Leipzig. «Na altura, disseram que eu estava louco e que eu estava a arruinar a carreira dele», disse o pai, Miquel (ele mesmo antigo jogador, enquanto seu irmão, tio de Dani, é treinador). «Agora, dizem que fomos corajosos e tomámos a melhor decisão», conclui.

Olmo marcou seu primeiro golo pela seleção três minutos depois de se estrear contra Malta, em 2019.

20
Adama Traoré (AP)

Adama Traoré

Clube: Wolverhampton

Data de nascimento: 25.01.1996

Traoré está entre os eleitos da seleção espanhola, apesar de ter sido titular apenas uma ocasião. Luis Enrique chamou-o pela primeira vez em outubro último - três dias depois de Adama ter sido chamado pelo Mali, país natal dos seus pais -, dizendo que era «um jogador com um estilo muito diferente» dos que Espanha tem. Ele e o irmão foram criados em La Florida, em Hospitalet de Llobregat, nos arredores de Barcelona, ​​naquele que é o bairro com maior densidade populacional da Europa e que tem sérios problemas de criminalidade. «Fomos tentados pelos gangues. Na época era popular, mas queríamos ser jogadores de futebol e não estar envolvidos em conflitos. Na escola, diferentes grupos lutavam entre si constantemente. Vi armas, vi gente a lutar com tacos de basebol, facas, garrafas, tudo…», confessou Adama. O seu irmão Moha joga no Recreativo Huelva, na segunda divisão espanhola.

21
Mikel Oyarzabal (AP)

Mikel Oyarzabal

Clube: Real Sociedad

Data de nascimento: 21 .04. 1997

Oyarzabal tinha acabado de fazer 19 anos quando alcançou a sua primeira internacionalização, mas teve que esperar três anos e meio por outra. Nesse período, formou-se em Administração de Empresas pela Universidade de Deusto, dividindo um apartamento com três outros alunos. «Treino de manhã e à tarde passo horas a ler os meus livros. Sei que é importante na vida ter uma segunda opção fora do futebol», disse o avançado basco.

Pela quarta temporada consecutiva alcançou os dois dígitos em golos. A cláusula de rescisão de 75 milhões de euros não o impediu de ser regularmente apontado entre os alvos do Manchester City, entre outros clubes.

22
Pablo Sarabia (instagram)

Pablo Sarabia

Clube: Paris Saint-Germain

Data de nascimento: 11.05.1992

Avançado versátil, Sarabia jogou este ano pelo PSG de forma intermitente. Na sua última temporada no Sevilha jogou tanto e marcou mais do que nas últimas duas temporadas somadas no clube da capital francesa, o que motivou alguns rumores sobre um possível regresso a Espanha.

Em 2017 afirmou que o seu maior passatempo fora do futebol era brincar com os seus gatos, e que o prato que mais gostava de cozinhar era esparguete com carne e salsichas.

Dani Carvajal é um dos seus amigos muito próximos, tanto que, quando o PSG fechou um acordo para o contratar, Sarabia revelou: «A primeira coisa que fiz foi ligar para os meus pais, depois para minha namorada e depois para o Dani.»

23
Seleção de Espanha

Unai Simón

Clube: Athletic Bilbao

Data de nascimento: 11 de junho de 1997

Quando Kepa Arrizabalaga foi vendido ao Chelsea, no verão de 2018, Iago Herrerín, o seu suplente, lesionou-se. O Athletic foi forçado a recorrer temporariamente a Simón, com apenas 21 anos, resgatando-o do empréstimo ao Elche. Embora Herrerín tenha recuperado a boa forma e voltado ao onze, essa foi a primeira aparição de Simón, que se assumiria como titular no verão seguinte. Luis Enrique e sua equipa técnica talvez até reconheçam que o guarda-redes do Athletic não seja a melhor opção disponível, mas em compensação tem um excelente jogo de pés.

24
Aymeric Laporte (instagram)

Aymeric Laporte

Clube: Manchester City

Data de nascimento: 27.05.1994

Só no passado dia 14 de maio teve autorização para representar a seleção espanhola. Laporte jogou 41 vezes pelos escalões de formação da França e foi convocado para a seleção principal em 2016, dizendo-se «orgulhoso e honrado». Seguiram-se mais três convocatórias, a última em agosto de 2019, mas nunca chegou a entrar em campo e a consumar a primeira internacionalização A pelos «bleus». Entretanto, desistiu.

«Não gosto nada deste tipo de atitude. Se nasceste num país, esse é o teu país», criticou o antigo campeão do mundo Emmanuel Petit. Apesar de Guardiola o ter considerado o melhor central a jogar com o pé esquerdo do mundo», o técnico apenas o colocou em 16 jogos da Premier League nesta temporada. Ele e John Stones revezaram-se no onze fazendo dupla com o já incontestável Rúben Dias.

25

.

* o selecionador espanhol, Luis Enrique, decidiu convocar apenas 24 jogadores.

26
Pedri (AP)

Pedri

Clube: Barcelona

Data de nascimento: 25.11.2002

Tinha feito apenas três jogos pelo Las Palmas quando o Barcelona o contratou, em 2019, por 4,5 milhões de euros, numa transferência que poderia chegar aos 15 milhões. O acerto foi tal que o diário desportivo Marca considerou-a «a contratação da década». «Mesmo antes de nascer, eu pertencia ao Barcelona», afirma o médio, cujo avô fundou uma delegação de adeptos do Barça em Tregueste, cidade em Tenerife onde Pedri foi criado e onde seus pais gerem um bar.

Agora mora com o seu irmão, que é chef de profissão. «Ele cozinha muito bem, não tenho queixas», revela Pedri sobre os almoços e jantares.

Foi o segundo jogador mais jovem a fazer 50 jogos pelo Barcelona, ​​logo atrás de Lionel Messi.

Textos de Diego Torres, que escreve para o El País.

Siga-o no twitter.

Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Escócia 7 jun, 00:23
Suíça 7 jun, 00:23
Suécia 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Turquia 7 jun, 00:21
Bélgica 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Áustria 7 jun, 00:19
Croácia 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45