Maisfutebol

Escócia

1
David Marshall (AP)

David Marshall

Clube: Derby County

Data de Nascimento: 05.03.1985

A escala de popularidade cresceu a ponto de ter merecido o estatuto de convidado principal do programa de ano novo (Hogmanay) da BBC escocesa. Ao defender um penálti do sérvio Aleksandr Mitrovic, confirmou a primeira presença da Escócia num grande torneio, desde 1998. Posteriormente revelou que gosta de ver vídeos desse momento ao som da banda sonora do filme «Titanic».

2
Stephen O’Donnell (instagram)

Stephen O’Donnell

Clube: Motherwell

Data de Nascimento: 11.05.1992

Seria fácil olhar para um lateral que fez carreira no Patrick Thistle, Luton, Kilmarnock e Motherwell como o elo mais fraco da seleção escocesa, mas O’Donnel contraria essa tentação. Tem sido um elemento verdadeiramente fiável sob o comando de Steve Clarke, que o treinou no Kilmarnock. Um rapaz sólido e um defesa sólido.

3
Andy Robertson /AP

Andy Robertson

Clube: Liverpool

Data de Nascimento: 11.03.1994

O que se pode dizer mais do capitão escocês? Há menos de uma década jogava em Hampden Park com estatuto de amador, pelo Queen’s Park, ao mesmo tempo que trabalhava numa cadeia de supermercados e se queixava nas redes sociais da falta de dinheiro. Agora vai ter a oportunidade de disputar um encontro do Europeu no mesmo palco, Hampden Park. Campeão inglês e vencedor da Liga dos Campeões, Robertson é o protagonista de um conto de fadas que manteve uma geração de jovens adeptos escoceses ligados à sua seleção.

4
Scott McTominay (AP)

Scott McTominay

Clube: Manchester United

Data de Nascimento: 8.12.1996

A segunda passagem de Alex McLeish pelo comando da seleção escocesa não é propriamente recordada com carinho, mas o técnico foi crucial ao persuadir McTominay para representar a seleção do país natal do pai, e não Inglaterra, onde nasceu.

Com Steve Clarke tem assumido destaque como médio mais posicional, ou mesmo mais recuado, num defesa a três. Fisicamente imponente e confortável com a bola nos pés, Scott incute também algum respeito à seleção escocesa, pelo papel de relevo que tem conquistado no Manchester United. No passado mês de abril até recebeu elogios de Sir Alex Ferguson: «Contratei-o quando tinha sete ou oito anos. Na verdade ele era avançado, mas tornou-se um jogador alto e esguio, bom a recuperar bolas e a sair para o ataque, com uma grande atitude em campo. É gratificante ver como ele evoluiu», afirmou o lendário técnico dos “Red devils”.

5
Grant Hanley (AP)

Grant Hanley

Clube: Norwich City

Data de Nascimento: 20.11.1991

Um central à moda antiga da Escócia: comprometido, agressivo, beligerante, físico. Não admira que Steve Clarke seja fã. O rendimento ao serviço do Norwich promoveu a inclusão na convocatória e ofereceu uma nova perspetiva aos adeptos que nunca estiveram completamente convencidos do seu valor. Está de olho nas 50 internacionalizações, o que não será difícil, tendo em conta a confiança que o selecionador tem nele.

6
Kieran Tierney (AP)

Kieran Tierney

Clube: Arsenal

Data de Nascimento: 05.06.1997

Durante algum tempo foi com embaraço que a Escócia encarou a circunstância de ter dois laterais esquerdos como os melhores jogadores do país. Entretanto as exibições de Tierney no lado esquerdo de uma defesa a três fizeram com que os adeptos elogiassem um jogador que, teoricamente, não se importava muito com o posicionamento tático. Tierney tem sido uma força da natureza entre a defesa e o ataque.

Em 2017 teve de ser submetido a uma cirurgia dentária de emergência, após ter sido atingido com uma cotovelada na final da Taça da Escócia, mas ainda voltou a Hampden Park a tempo de erguer o troféu com os colegas do Celtic.

«Sinceramente, não senti muita coisa, por causa da anestesia. Mas parecia um conto de fadas subir as escadas a tempo. Eu literalmente voltei ao estádio, olhei para cima e vi umas pessoas à espera de levantar o troféu. Então subi as escadas a correr. Na vida tudo acontece por uma razão.»

7
John McGinn (AP)

John McGinn

Clube: Aston Villa

Data de Nascimento:18.10.1994

Na adolescência, quando estava na formação do St. Mirren, tinha a alcunha de “almôndega” (meatball). «Não me incomodava. Foi porque eu tinha o cabelo todo com pente 2, quando era a minha mãe que o rapava na cozinha. A minha cabeça ficava tão redonda que parecia uma almôndega», explicou. Médio dinâmico, é um dos jogadores preferidos do Tartan Army.

Legenda da foto: McGinn ao serviço do St. Mirren, a festejar um golo na final da Taça da Liga, apontado por Esmael Gonçalves, avançado guineense que estava emprestado pelo Rio Ave, e que aqui dedicou o tento a Fábio Faria, a propósito do problema cardíaco deste.

Conheça melhor John McGinn, o protagonista da Escócia.

8
Callum McGregor (AP)

Callum McGregor

Clube: Celtic

Data de Nascimento: 14.06.1993

A maior ameaça para McGregor será a fadiga. Desde 2016/17, o menor número de jogos que fez numa época foi 46. Em 2018/19 chegou mesmo aos 59 encontros disputados.

Brendan Rodgers teve um papel importante na subida de forma de McGregor, quando trabalharam juntos no Celtic. É um médio que joga simples e que ganha muitas bolas no meio-campo. Ainda não marcou pela seleção, mas será uma surpresa se não for recrutado por um clube da Premier League, mais tarde ou mais cedo.

9
Lyndon Dykes (AP)

Lyndon Dykes

Clube: Queens Park Rangers

Data de Nascimento: 7.10.1995

Da Gold Coast (Austrália) a Dumfries vai um longo caminho, mas foi o que o carismático Lyndon Dykes teve de percorrer até se tornar um elemento-chave da seleção escocesa e – pelo menos durante algum tempo – carregar as ambições ofensivas do país adotivo. Só fez a estreia pela equipa nacional no final de 2020, quatro anos depois de ter assinado Queen of the South, emblema de Dumfries, terra natal dos pais. Uma época de sucesso no Livingston abriu-lhe as portas do Queens Park Rangers, e ao avançado de 25 anos pode faltar tudo menos confiança: «A nível internacional quero ser o melhor possível. Quero ser conhecido como um dos maiores.»

10
Che Adams (AP)

Che Adams

Clube: Southampton

Data de Nascimento: 13.07.1996

A qualificação para o Euro2020 parece ter convencido Che Adams a optar pela Escócia, após tentativas anteriores falhadas de lhe vestir a camisola azul. Chegou a ser internacional inglês sub-20, mas é elegível para a Escócia por causa de um avô, e fez a estreia no passado mês de março. Adams espera que a seleção o ajude a catapultar a carreira para «o nível seguinte», e esta é uma aliança que pode beneficiar ambas as partes, já que é um avançado de nível claramente superior ao de outras opções de Steve Clarke.

11
Ryan Christie (AP)

Ryan Christie

Clube: Celtic

Data de Nascimento: 22.02.1995

O homem que fez uma nação chorar. Como ele chorou. A entrevista após o jogo na Sérvia, que deu a qualificação da Escócia para o Euro, emocionou até aqueles que não ligam a futebol. Mais do que isso: até Sir Alex Ferguson chorou, como admitiu depois.

12
Craig Gordon (Instagram)

Craig Gordon

Clube: Heart of Midlothian

Data de Nascimento: 31.12.1982

Em 2007 trocou o Hearts pelo Sunderland, de Roy Keane, por 9 milhões de libras (cerca de 13 milhões de euros). Era então o valor mais alto que um clube britânico já tinha investido num guarda-redes, mas uma lesão grave no joelho colocou a carreira em risco. Foi dispensado em 2012 e ficou sem clube durante dois anos, enquanto recuperava. “Os meus filhos eram tão pequenos que nunca souberam realmente o que pai fazia. Eles foram uma grande parte da minha inspiração para voltar ao futebol de alto nível», referiu. Seguiram-se boas atuações e vários títulos no Celtic, mas saiu em 2020, o que se revelou um erro para o emblema de Glasgow, tendo em conta os problemas que teve na baliza desde então.

13
Greg Taylor (AP)

Greg Taylor

Clube: Celtic

Data de nascimento: 5.11.1997

Deu nas vistas sob o comando de Steve Clarke, no Kilmarnock, e foi contratado pelo Celtic poucos meses depois da mudança do técnico para a seleção escocesa. Dispensado pelo Rangers na formação, o lateral esquerdo tem algumas limitações técnicas e é um defesa de baixa estatura, mas tem a confiança do selecionador. Um sentimento que é mútuo: «Trabalhei dois anos com ele no Kilmarnock e não consigo elogiá-lo o suficiente. É um treinador de topo e os rapazes estão a ver isso», disse em 2019.

14
John Fleck (AP)

John Fleck

Clube: Sheffield United

Data de Nascimento: 24.08.1991

Um dos jogadores mais fascinantes da formação escocesa. Fleck foi considerado um miúdo-maravilha quando surgiu, no Rangers, algo também motivado pelo desespero na Old Firm para ganhar reputação de produtores de talentos. Fleck acabou por não vingar em Ibrox, pelo que teve de reconstruir a carreira no Coventry, da League One. A transferência para o Sheffield United, em 2016, resume a evolução do médio.

15
Declan Gallagher (AP)

Declan Gallagher

Clube: Motherwell

Data de Nascimento: 13.02.1991

Formado no Celtic, Gallagher foi condenado a três anos de prisão após um ataque violento durante uma festa de aniversário de casamento, em 2013. Ainda jogou pelo Livingston ao ser libertado sob fiança, mas quando o recurso foi indeferido acabou mesmo por ir para a prisão. Posteriormente regressou ao Livingston, mas foi a mudança para o Motherwel que o catapultou, para além de ter mantido uma distância segura do comportamento anterior.

Ainda assim a primeira chamada à seleção, em 2019, gerou polémica. «Ele já disse que está arrependido do incidente. Ele reconstruiu a carreira, teve de estar fora, olhar para si próprio, para o estilo de vida, e foi-lhe dada uma segunda oportunidade», disse Steven Reis, membro da equipa técnica da seleção escocesa.

Na próxima época será jogador do Aberdeen.

16
Liam Cooper (instagram)

Liam Cooper

Clube: Leeds United

Data de Nascimento: 30.08.1991

O Leeds tem um longo e brioso historial de jogadores cedidos à seleção escocesa. E nem mesmo a circunstância de Liam ter nascido em Inglaterra (tem um avô de West Lothian) vem abalar isso. Se não fossem as lesões o central teria jogado mais pelo país adotivo, ainda para mais numa posição que tem sido problemática. Desde 2014 que está no Leeds, clube que o recrutou ao Chesterfield, e já soma mais de 200 jogos.

Atribui o crédito a Marcelo Bielsa por ter mudado a sua vida «como jogador e como homem». «É difícil explicar concretamente porquê, mas sinto-me muito mais contente, até na vida longe do futebol, com a minha mulher e os meus filhos. Ele colocou a minha mente num lugar melhor, a lidar com os sucessos e os fracassos, sem ficar muito lá em cima nem muito lá em baixo», explicou.

17
Stuart Armstrong (AP)

Stuart Armstrong

Clube: Southampton

Data de Nascimento: 30.03.1992

Estudou Direito quando já estava na equipa principal do Dundee United, mostrando que acredita que há muito mais na vida para além do futebol. «A decisão, inicialmente, esteve relacionada com o tédio que sentia. Não tinha nada para fazer depois do treino. Alguns rapazes ficam felizes quando têm muito tempo livre, mas eu não», explicou.

Três anos depois Gordon Strachan elogiou «a melhor estreia de um internacional escocês» que alguma vez viu, quando Stuart foi lançado no jogo com a Eslovénia.

18
David Turnbull (instagram)

David Turnbull

Clube: Celtic

Data de Nascimento: 10.07.1999

O mundo de Turnbull desabou no verão de 2019, quando os exames médicos revelaram uma lesão no joelho que inviabilizou uma mudança do Motherwell para o Celtic. O médio foi operado, e depois disso fez apenas dois jogos na época 2019/20, condicionada pela pandemia de covid-19. O Celtic manteve o interesse e avançou para a contratação no final de agosto de 2020.

É um jogador de enorme qualidade na cobrança de bolas paradas. A meio de abril o site de estatísticas whoscore.com indicava que só dois jogadores tinham criado mais oportunidades de golo, em todo o futebol europeu. E só a partir de dezembro é que passou a jogar mais regularmente no Celtic.

19
Kevin Nisbet (instagram)

Kevin Nisbet

Clubes: Hibernian

Data de Nascimento: 8 March 1997

No ritual de “apresentação” à seleção viu Oli McBurnie despejar-lhe água gelada em cima. Tem conseguido uma evolução gradual, mas impressionante, desde as divisões inferiores da Escócia até ao Hibernian, que o contratou há um ano e logo no mercado de inverno recebeu uma proposta de sete dígitos pelo avançado, no entanto recusada.

20
Ryan Fraser (AP)

Ryan Fraser

Clube: Newcastle United

Data de Nascimento: 24.02.1994

As lesões têm impedido que os adeptos escoceses vejam o melhor Ryan Fraser, mas quando joga assume influência na equipa.

Quatro golos em 16 internacionalizações é um registo bastante decente para um ala, sendo que marcou três golos em igual número de jogos entre outubro e março. Visto como um prodígio no Aberdeen, não chegou a fazer muitos jogos na equipa principal, já que foi logo levado para sul, para o Bournemouth.

Recebeu críticas o ano passado, ao recusar uma renovação de contrato de curta duração para terminar a época, depois da pausa forçada pela pandemia de covid-19. Optou por sair logo, para não arriscar uma lesão que comprometesse a transferência já acordada para o Newcastle. O Bournemouth acabou despromovido.

«Tomei a decisão e toda a gente me bateu, mas eu precisava de pensar em mim. Alguns jogadores assinaram um novo contrato, e eu aplaudo essa atitude, mas eu, com a idade que tenho, e sabendo que o Newcastle queria contratar-me, tive de tomar essa decisão», justificou.

21
Jon McLaughlin (Ranngers)

Jon McLaughlin

Clube: Rangers

Data de Nascimento: 09.09.1987

Nasceu em Edimburgo, mas foi viver para a Arábia Saudita ainda antes do primeiro aniversário. A família McLaughlin mudou-se depois para Inglaterra, quando Jon tinha 11 anos, onde foi aí que começou por ter uma carreira discreta nas ligas inferiores, depois de se formar em ciências do desporto e treino. Destacou-se no Hearts, em 2017/18, e estreou-se pela Escócia como jogador livre, após o fim do contrato com o emblema de Tynecastle. O Rangers contratou-o o ano passado, para suplente de Allan McGregor, após duas temporadas no Sunderland. «Quando ainda estava na universidade, jogava apenas para me divertir. O futebol era como um hobby. Não imaginava que, 10 ou 12 anos depois, estaria a jogar pela seleção e por um grande clube como este. Tem sido uma grande caminhada», referiu.

22
Nathan Patterson (AP)

Nathan Patterson

Clube: Rangers

Data de Nascimento: 16.10.2001

Viu a temporada 2020/21 encurtada por causa de uma suspensão de quatro jogos aplicada pela federação escocesa, por ter violado as regras de prevenção da covid-19 ao participar numa festa.

O treinador, Steven Gerrard, veio defender que o talento de Patterson é tal que deveria merecer um tratamento favorável das autoridades: «Estamos a falar de uma das maiores promessas de sempre como lateral direito. Na verdade, Nathan não é um titular indiscutível do Rangers, pois discute o lugar com o capitão James Tavernier.

23
Billy Gilmour (AP)

Billy Gilmour

Clube: Chelsea

Data de Nascimento: 11.06.2001

Assinou pelo Chelsea no 16.º aniversário, após destacar-se na formação do Rangers. Thomas Tuchel ainda mal tinha chegado a Stamford Bridge e já fazia campanha para a chamada do médio à seleção escocesa, ainda que ele próprio não o utilize muito. «Só posso recomendar fortemente a sua chamada à seleção, pois treina a um nível muito alto. Não precisam estar preocupados com a capacidade dele para competir», referiu o alemão.

Será, inevitavelmente, uma das estrelas da seleção escocesa no futuro, ainda que o meio-campo seja o setor mais forte.

24
Jack Hendry (instagram)

Jack Hendry

Clube: Celtic

Data de Nascimento: 7.05.1995

Um empréstimo ao Oostende deu um novo impulso à carreira, depois de lidar com o insucesso na mudança para o Celtic. A contratá-lo ao Dundee, Brendan Rodgers, que era então o treinador do Celtic, deixou rasgados elogios ao defesa: «Temos um central escocês que tem todos os atributos de um jogador de topo.»

Hendry, que começou a carreira como ala direito, é visto por Steve Clarke como um central tecnicamente evoluído, que pode jogar como central pela direita. No empréstimo anterior ao Melbourne City sofreu uma lesão grave no joelho.

25
James Forrest (AP)

James Forrest

Clube: Celtic

Data de Nascimento: 7.07.1991

Existe a teoria de que não joga o mesmo com as cores da seleção, mas continua a ser uma figura inestimável para Steve Clarke, como a única opção para a ala direita do ataque. Vários fatores contribuíram para o insucesso do Celtic na última temporada, e os constantes problemas físicos de Forrest estão entre eles.

Tem um irmão, Alan, que também joga na Liga escocesa, com a camisola do Livingston.

26
Scott McKenna (AP)

Scott McKenna

Clube: Nottingham Forest

Data de Nascimento: 12.11.1996

Bon Scott é, provavelmente, o filho mais pródigo da cidade de Kirriemuir (Angus), onde viver até aos seis anos, mas Scott McKenna pode superar o antigo vocalista dos AC/DC se, por exemplo, marcar o golo da vitória em Wembley. É um central imponente, mais rápido do que parece, e aos 24 anos revela um excelente potencial. Bateu o recorde de venda mais cara do Aberdeen ao sair para o Nottingham Forest, no ano passado.

Textos de Ewan Murray, que escreve para o Guardian.

Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Suíça 7 jun, 00:23
Suécia 7 jun, 00:23
Escócia 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Bélgica 7 jun, 00:21
Turquia 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Croácia 7 jun, 00:19
Áustria 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45