Maisfutebol

Famalicão: a olhar para cima

1
Famalicão (Foto Facebook Famalicão)

Na época passada o Famalicão vacilou mas corrigiu o tiro e, com Rui Pedro Silva no banco, terminou a Liga no oitavo lugar. Desde que voltou ao primeiro escalão em 2019, ao fim de duas décadas e meia de ausência, o clube apresentou um projeto ambicioso, assente nas ligações fortes da SAD e na valorização de jogadores, que tem dado resultados: nestas três épocas terminou sempre na primeira metade da tabela. A ambição é mais alta, aponta às competições europeias. É um processo que o Famalicão vai consolidando, ainda que tenha mais uma vez visto sair muita gente no defeso.

Embora vá conseguindo alargar a base de jogadores dos quadros do clube, o Famalicão tem tido um contingente elevado de jogadores cedidos por empréstimo e mais uma vez perdeu elementos importantes que estavam nessas circunstâncias. Desde logo o goleador Simon Banza, que se mantém em Portugal mas como reforço do Sp. Braga, e o influente Pêpê Rodrigues, mas também o avançado Bruno Rodrigues ou os defesas Adrián Marín e Alex Nascimento. Saíram ainda em fim de contrato jogadores como João Carlos Teixeira ou Diogo Figueiras, enquanto o clube conseguiu um encaixe significativo com a transferência do médio Charles Pickel para a Cremonese. Mais um exemplo da valorização de jogadores, um dos eixos estratégicos do projeto, que já deu frutos com talentos como os agora sportinguistas Pedro Gonçalves ou Ugarte.

Rui Pedro Silva continua no banco, a garantir uma linha de continuidade na liderança de um plantel jovem a que o Famalicão procurou cedo acrescentar experiência neste defeso. Foram nesse sentido as contratações do médio André Simões, de volta a Portugal depois de sete anos a jogar no AEK Atenas, e do avançado Rui Fonte, que deixou o Estoril.

Além de Fonte, o Famalicão procurou mais opções para um ataque que perdeu poder de fogo – Jhonder Cadiz é a única referência de continuidade. Para já, reforçou-se no futebol nacional com o luso-francês Théo Fonseca, destaque na Liga 3 na época passada com a camisola do Felgueiras, e passou a contar com o jovem avançado espanhol Álex Millán, cedido pelo Villarreal depois de ter jogado nos belgas do St-Gilloise. Garantiu ainda a continuidade do extremo Junior Kadile, por empréstimo do Rennes. Em vésperas do arranque da Liga, o clube assegurou ainda o regresso a Portugal do médio defensivo Pelé, que chega do Mónaco.

O Famalicão continuou ainda a tirar partido da sua rede de contactos, de que é exemplo a chegada do lateral-esquerdo Owen Beck por empréstimo do Liverpool, bem como a fazer apostas promissoras, como a contratação do lateral Martin Aguirregabiria, campeão europeu sub-21 pela Espanha, ou dos médios Zaydou Youssouf (ex-Saint-Etiènne) e Santiago Colombatto, ex-jogador de Caixinha no Club Léon.

A um mês do fecho do mercado, ainda são de admitir mais mudanças, tanto a nível de entradas como de saídas. Mas o Famalicão, com uma boa base de apoio dos adeptos e à procura de evoluir também nas infraestruturas, tem sabido reinventar-se. O potencial está lá, tal como a ambição.

2
FC Famalicão (Foto Facebook)

Classificação da época passada:

Melhor classificação: 6º (2019/20)

Presenças na I Divisão: 9

Objetivo: Primeira metade da tabela, de olho na Europa

3
Rui Pedro Silva (Manuel Fernando Araújo/LUSA)

Treinador: Rui Pedro Silva

A aposta foi ganha. Rui Pedro Silva chegou ao Famalicão para substituir Ivo Vieira em dezembro passado, para aquela que era a sua primeira experiência como treinador principal. Pegou na equipa no antepenúltimo lugar e, com 28 pontos somados em 19 jornadas, conduziu-a numa recuperação que terminou com o oitavo lugar no campeonato.

A renovação foi a sequência natural para o treinador de 45 anos, que começou o percurso como observador no FC Porto e trabalhou ao longo de vários anos como adjunto, primeiro de Jesualdo Ferreira e depois de Nuno Espírito Santo, que acompanhou no Rio Ave, no Valência, no FC Porto e no Wolverhampton.

Já não seguiu com o treinador para o Tottenham e preparou-se para se lançar a solo, agarrando a oportunidade que surgiu no Famalicão. Agora, começa pela primeira vez uma temporada ao leme.

4
Banco de suplentes

Plantel

Clique aqui para ver o plantel completo

Entradas: Théo Fonseca (Felgueiras), André Simões (AEK), Rui Fonte (Estoril), Álex Millán (Union St. Gilloise), Owen Beck (Liverpool), Martin Aguirregabiria (Alavés), Zaydou Youssouf (St-Etiènne), Santiago Colombatto (Club Léon), Pelé (Mónaco)

Saídas: Diogo Figueiras, Alex Nascimento (fim de empréstimo), Adrián Marín (fim de empréstimo), Ivan Dolcek (fim de empréstimo), Pêpê Rodrigues (fim de empréstimo), João Carlos Teixeira (Umm-Salal), David Tavares, Banza (fim de empréstimo), Pedro Marques (fim de empréstimo), Bruno Rodrigues (fim de empréstimo), Marcos Paulo (fim de empréstimo), Patrick William (Rio Ave), Pickel (Cremonese)

5
Owen Beck (Famalicão)

Atenção a: Owen Beck

Há um ano estava a fazer a pré-temporada com o Liverpool e a somar minutos às ordens de Jürgen Klopp. Agora é reforço do Famalicão, por empréstimo dos Reds. Owen Beck, que vai fazer 20 anos, tem antecedentes familiares de luxo: a sua avó, Carole, é irmã de Ian Rush, lenda do Liverpool. Costuma contar que o tio-avô acompanha a sua carreira e lhe vai dando os conselhos avisados de quem andou lá dentro: «Diz-me para continuar a trabalhar muito.»

Owen tinha 13 anos quando chegou à formação do Liverpool, depois de começar a jogar no Stoke. Evoluiu nos vários escalões e nas seleções jovens de Gales: é internacional sub-21. Na época passada, somou dois jogos oficiais pela equipa principal do Liverpool, saindo do banco frente ao Preston North End e ao Leicester, em partidas da Taça da Liga. De resto, dividiu a temporada entre a equipa de sub-23 e os sub-19, que representou também na Youth League.

«Sou um lateral que gosta de atacar, com ritmo. Gosto de ter bola, driblar, cruzar e marcar.» Foi assim que se apresentou quando chegou ao Famalicão. Antes de decidir dar o «grande passo» de rumar a Portugal, para ganhar experiência de Liga, viu vídeos do Famalicão e ficou entusiasmado por o clube ter «grandes jogadores» e «adeptos apaixonados». Com Beck, além de uma opção com potencial para o lado esquerdo da defesa, o Famalicão ganha provavelmente atenção especial a partir do futebol britânico.

6
Genéricas Maisfutebol

Equipa-tipo

Luiz Júnior

Penetra, Riccieli, Batubinsika

Aguirregabiria, André Simões, Gustavo Assunção, Rúben Lima

Ivo Rodrigues, Rui Fonte, Iván Jaime

Calendário do Famalicão

Maisfutebol
Alemanha: o guia 25 jun, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun, 00:00
Áustria: o guia 24 jun, 14:13
França: o guia 24 jun, 00:00
Portugal: o guia 23 jun, 20:41
Suécia: o guia 23 jun, 00:00
Suíça: o guia 23 jun, 00:00
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
Turquia 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51