Maisfutebol

Finlândia: as jogadoras

1
Katriina Talaslahti (instagram)

KATRIINA TALASLAHTI

Data de Nascimento: 21.09.2000

Posição: Guarda-redes  

Clube: FC Fleury 91 (França)

Talaslahti não demorou muito até perceber que podia tornar-se uma guarda-redes de alto nível. Tinha apenas 13 anos quando se mudou da Finlândia para a Alemanha, para frequentar a academia do Bayern Munique.

Não tem sido um caminho linear até ao topo, mas após quatro épocas na Baviera e duas em Lyon – sem ter participado em jogos oficiais, mas fazendo parte da equipa que venceu a Liga dos Campeões em 2020 – é agora a número 1 das francesas do FC Fleury 91.

Seguiu-se uma primeira internacionalização pela Finlândia, na qual manteve a baliza a zero frente à Geórgia. Uma guarda-redes jovem e alta, pode vir a tornar-se a número 1 da Finlândia por muito tempo. «Quando me mudei do Lyon para o Fleury», disse ao seu próprio site oficial, «sentia-me pronta. Sentia que estava na altura de eu jogar. Como guarda-redes número 1.»

2
Elli Pikkujämsä, FINLÂNDIA (GETTY)

ELLI PIKKUJÄMSÄ

Data de Nascimento: 24.10.1999  

Posição: Defesa Central 

Clube: KIF Örebro (Suécia)  

A próxima geração da seleção finlandesa. Jogadora extremamente versátil, ela é sobretudo defesa-central, mas também pode jogar como lateral ou no meio-campo. Esta época tem jogado sobretudo no meio-campo.

Já tem muito que contar nos seus 22 anos de vida, tendo sido precoce também no snowboard – venceu a medalha de prata em slopestyle nos Jogos Olímpicos da Juventude e também algumas medalhas em slopestyle e Big Air em campeonatos do mundo juvenis. Ela acredita que a experiência no snowboard a ajudou no futebol. «O snowboard é exigente, mas ajuda na coordenação motora, no equilíbrio e na força nas pernas. É preciso ser mesmo muito forte, porque o corpo oscila muito, a saltar por todo o lado, e precisamos de estar muito focados», disse. «Consigo lidar com entradas duras e não ando à toa pelo ar como uma joaninha.» 

Joga agora na Suécia, no KIF Örebro.

 

 

3
Tuija Hyyrynen, FINLÂNDIA (GETTY)

TUIJA HYYRYNEN

Data de Nascimento: 10.03.1988  

Posição: Defesa  

Clube: Juventus  

Um pilar da seleção finlandesa há mais de uma década, Hyyrynen estreou-se em 2007 e ganhou a titularidade no Europeu de 2009. Desde então, não cedeu o seu lugar.

Joga sobretudo a lateral-direito, mas também já jogou à esquerda. A sua irmã, Sari, também foi uma futebolista promissora, e jogaram juntas pela seleção sub-19 da Finlândia.

«Sou uma pessoa tímida e acho que, se não fosse o futebol, nunca teria saído para o estrangeiro, teria simplesmente ficado na Finlândia», disse ao canal de Youtube da Juventus.

4
Ria Öling, FINLÂNDIA (GETTY)

RIA ÖLING

Data de Nascimento: 15.09.1994  

Posição: Médio  

Clube: FC Rosengård (Suécia) 

Öling tem 27 anos e teve até agora uma carreira repleta de ação. Depois de jogar na Finlândia até 2017, mudou-se para Espanha, para jogar no Santa Teresa e, depois de um curto regresso à Finlândia, jogou na Dinamarca e na Suécia.

O seu melhor desempenho é num papel central em que possa iniciar ataques com os seus passes de qualidade para as costas da defesa adversária.

Fora do futebol, ela gosta de ler, pintar e fazer tricot, enquanto sushi é uma das suas comidas preferidas. «Quero ter outras coisas na minha vida, além de futebol, e noto que jogo melhor quando assim é”, disse em 2019. «Também quero tirar um curso de sociologia e depois de terminar a carreira quero trabalhar com outras pessoas e ajudar quem precisa de ajuda.»

5
Emma Koivisto, FINLÂNDIA (GETTY)

EMMA VILMA KOIVISTO

Data de Nascimento: 21.11.2002 

Posição: Médio 

Clube: Umeå IK (Suécia)

Sem receio de abraçar novos desafios, Koivisto mudou-se de Rovaniemi, no norte da Finlândia, para o norte da Suécia, aos 15 anos. Começou a frequentar o liceu e rapidamente estava a jogar no Piteå, na primeira divisão sueca.

Não é propriamente uma surpresa que a médio tenha escolhido o futebol, tendo em conta que o pai, Jarno, jogou na primeira divisão finlandesa. «Treinámos muito juntos», contou ela. «Nunca tive de treinar sozinha, ele foi sempre o meu companheiro de treino. Nunca tive de o forçar a vir comigo, era ele que sugeria que fossemos para o campo mesmo 45 minutos antes da hora marcada para o treino.»

Deu um passo atrás quando foi jogar na segunda divisão no Umeå, para ganhar tempo de jogo, e compensou – tem jogado mais e o clube conseguiu a promoção à Damallsvenskan.

6
Anna Auvinen, FINLÂNDIA (GETTY)

ANNA AUVINEN

Data de Nascimento: 02.03.1987

Posição: Defesa

Clube: Sampdoria (Itália)

Uma experiente antiga avançada que agora joga na defesa, “Anis” é uma jogadora dura que se destaca pelo número incrível de lances de cabeça que ganha a jogadoras mais altas do que ela. Em 2017 marcou, de cabeça, o golo que valeu a vitória do FC Honka no campeonato, mas chocou com uma adversária no lance e ficou com um olho negro. Uma imagem do momento tornou-se viral.

Formou-se como professora e deu aulas antes de se tornar futebolista profissional. Com mais de 300 jogos de campeonato na Finlândia, mudou-se para Itália em 2019, e joga agora na Sampdoria.

7
Adelina Engman, FINLÂNDIA (GETTY)

ADELINA ENGMAN

Data de Nascimento: 11.10.1994 

Posição: Médio/Avançada

Clube: Hammarby IF (Suécia)

“Adde” é natural de Åland, uma pequena ilha entre a Finlândia e a Suécia. É uma pessoa extrovertida e feliz, fluente tanto em sueco como em finlandês, o que não é muito habitual nos habitantes de Åland.

Estreou-se pela Finlândia em 2012 e é fundamental para a seleção, com a sua velocidade. Uma série de problemas físicos na coxa limitaram-na enquanto esteve no Chelsea, mas "Adde" fez parte da equipa que venceu o campeonato inglês em 2020, antes de se mudar para o Montpellier, e agora para o Hammarby, na Suécia. «Acho que é importante ter vida fora do futebol e para isso a Suécia é um bom lugar para mim», disse.

8
Olga Ahtinen, Finlândia (Getty)

OLGA AHTINEN

Data de Nascimento: 15.08.1997  

Posição: Médio  

Clube: Linköpings FC (Suécia)

Olga é uma médio box-to-box que compete por um lugar no onze inicial com Emmi Alanen, Eveliina Summanen e Essi Sainio. Já é capitã de um dos maiores clubes da Suécia. aos 24 anos, e sempre se destacou como líder. Parece nunca parar de correr, e o Linköping chama-lhe a sua “máquina da eternidade”.

Cresceu na região de Ostrobothnia, na costa oeste da Finlândia, mais especificamente em Kokkola.

9
Juliette Kemppi, FINLÂNDIA (GETTY)

JULIETTE KEMPPI

Data de Nascimento: 14.05.1994 

Posição: Avançada

Clube: IFK Kalmar (Suécia)

“Juke” é uma avançada natural de Kaarina, uma pequena localidade próxima de Turku, no sudoeste da Finlândia. Com idade de júnior jogou em Kaarina e Turku, e depois mudou-se para Åland. A sua primeira equipa no estrangeiro foi o histórico clube sueco AIK. Entretanto esteve na Noruega, onde representou o Kolbotn e o Lilleström SK, uma equipa de topo, e mais tarde rumou a Inglaterra, onde jogou um par de épocas, no Bristol e depois no London City Lionesses. Agora joga no IFK Kalmar.

É uma avançada bastante rápida, e integrou a seleção da Finlândia no Mundial sub-20 de 2014 e no Europeu sub-19 de 2013. Também venceu o Campeonato do Mundo de floorball de sub-19 em 2012.

10
Emmi Alanen, FINLÂNDIA (GETTY)

EMMI ALANEN

Data de Nascimento: 30.04.1991

Posição: Médio  

Clube: Kristianstads DFF  (Suécia)

Uma box-to-box que é muito importante na seleção finlandesa. Não teve propriamente o percurso normal para uma futebolista, tendo crescido em Ostrobothnia, onde o desporto número 1 é a luta. O seu pai venceu oito títulos de campeão finlandês de luta. e Emmi rapidamente começou a praticar o mesmo desporto, tendo chegado a ganhar medalhas de prata e bronze em Campeonatos da Europa juvenis. «No final acabei por optar pelo futebol. Porque me apaixonava mais, mas não foi. de forma nenhuma, uma decisão fácil.»

Tendo jogado com rapazes até aos 14 anos, está agora perto das 100 internacionalizações pela Finlândia.

11
Nora Heroum, FINLÂNDIA (GETTY)

NORA HEROUM

Data de Nascimento: 20.07.1994 

Posição: Defesa 

Clube: Lazio (Itália)

Heroum, que cresceu numa família multicultural, de pai marroquino e mãe finlandesa, é uma jogadora habilidosa, com um remate poderoso.

“Snöge”, uma das suas muitas alcunhas, diz que se inspirou a jogar futebol ao ver o irmão, Samir, jogar no jardim. «Eu e as minhas irmãs juntámo-nos a ele, foi assim que começou», disse. «Sempre adorei este desporto. A minha mãe costumava dizer que eu andava sempre com uma bola, mesmo quando ia para a cama.» 

Já uma veterana da seleção finlandesa, apesar de ter apenas 27 anos, jogou na Finlândia, na Dinamarca, em Inglaterra e agora em Itália.

Fora do futebol, está a estudar gestão desportiva. 

12
Anna Tamminen, FINLÂNDIA (Instagram)

ANNA TAMMINEN

Data de Nascimento: 30.10.1994  

Posição: Guarda-redes  

Clube: Hammarby IF (Suécia)  

Uma guarda-redes que tem ótimos reflexos e usa a sua estatura para dominar a pequena área. Está agora na segunda época no Hammarby, na primeira divisão sueca, para onde se mudou depois de ter vencido a "dobradinha" na Finlândia com o Åland United.

Åland é uma pequena ilha de 1,580 km² com uma população de cerca de 30 mil habitantes. Ela já tinha uma passagem anterior pela Suécia, quando jogou na segunda divisão, pelo Hovås Billdal, em 2017, e definitivamente sentiu que ir para o Hammarby foi a escolha certa. «No Åland tinha a melhor defesa da Finlândia à minha frente, por isso não tinha muito trabalho», disse. «Aqui no Hammarby o ritmo é mais elevado (no treino) e os remates mais fortes». 

Orgulhosa vegan, é a candidata mais provável a substituir Korpela quando a veterana pendurar as luvas.  

13
Jenny Danielsson, FINLÂNDIA (GETTY)

JENNY DANIELSSON

Data de Nascimento: 30.08.1994 

Posição: Médio/Avançada

Clube: AIK (Suécia)

“JD” é natural de Espoo, a segunda maior cidade finlandesa, e começou a carreira num clube local, o HooGee. Tem um bom remate e é perigosa nas bolas paradas. O AIK é o seu terceiro clube, depois de passagens pelo Kristianstads DFF e pelo Kungsbacka. Quando renovou contrato, até final da época 2022, ela disse: «É uma honra jogar no AIK. Quero ver o que esta equipa pode alcançar.» 

Esta época começou mal, no entanto, com nove derrotas nos primeiros 10 jogos do campeonato.

14
Heidi Kollanen, FINLÂNDIA (instagram)

HEIDI KOLLANEN

Data de Nascimento: 06.06.1997 

Posição: Médio/Avançada 

Clube: KIF Örebro (Suécia)

Começou como avançada, e foi a melhor marcadora da primeira divisão finlandesa em 2014, quando marcou uns impressionantes 24 golos. Às vezes também joga no meio-campo, por isso a sua média de golos por jogo tem baixado. Ganhou experiência ao jogar nos Estados Unidos, onde representou a Florida State University, e teve também uma passagem por Itália, no Tavagnacco. Esta época, com o Örebro, no campeonato sueco, tem sido mais influente a assistir do que a marcar.

15
Natalia Kuikka, FINLÂNDIA (GETTY)

NATALIA KUIKKA

Data de Nascimento: 01.12.1995  

Posição: Defesa 

Clube: Portland Thorns (EUA)

“Natu” ganhou o prémio de melhor jogadora finlandesa nos últimos dois anos, confirmando o seu estatuto no país natal. Ela vem de Kemi, no norte da Finlândia, e estreou-se na seleção aos 17 anos, no Euro 2013.

Agora tem 26 anos e está a jogar o melhor futebol da sua carreira, depois de ter vencido o título sueco em 2020 com o Kopparbergs/Göteborg FC, antes de se mudar para o Portland Thorns, na NWSL, dos Estados Unidos. O então treinador dos Thorns, Mark Parsons, disse: «Ela é uma defesa moderna que é boa com a bola, mas também adora defender. A atitude dela vai ajudar a equipa.» 

Depois de ter sido eleita melhor defesa do campeonato sueco, ela disse: «Nunca pensamos que podemos ser a melhor jogadora, mesmo que tentemos sempre ser a melhor.»

16
Anna Westerlund, FINLÂNDIA (GETTY)

ANNA WESTERLUND

Data de Nascimento: 09.04.1989  

Posição: Defesa

Clube: Åland United  

A probabilidade de a pequena aldeia de Parainen, a sul de Turku, produzir um dos melhores jogadores de sempre da Finlândia podia parecer remota, mas dois? No entanto aqui estamos, com Westerlund a seguir os passos de Jonatan Johansson, que somou mais de 100 internacionalizações pela Finlândia e jogou na Premier League pelo Charlton. Bom, não está apenas a seguir os seus passos: “Wese” é agora a mais internacional de sempre pela Finlândia, tendo ultrapassado Jari Litmanen em fevereiro de 2022, quando cumpriu o 138.º jogo pela seleção. «Desculpa, Jari. Pensar que euzinha bati este recorde», disse na altura, acrescentando: «Posso parecer dura por fora, mas sou um coração mole por dentro.» 

Quando jovem, ela também era muito talentosa no esqui.

17
Sanni França, FINLÂNDIA (GETTY)

SANNI FRANSSI

Data de Nascimento: 19.03.1995 

Posição: Médio/Avançada

Clube: Real Sociedad (Espanha)

Versátil jogadora de 27 anos que pode jogar no meio-campo e no ataque, ela prolongou recentemente o contrato com a Real Sociedad, para ficar no clube basco até 2024. «O clube tem grandes ambições para a equipa feminina e sinto que tenho aqui um papel importante”, disse Sanni depois de renovar. «A cidade é linda e, para mim, viver no norte de Espanha faz-me sentir um pouco mais como em casa.» 

Ela venceu campeonatos em Itália (com a Juventus) e na Dinamarca (com o Fortuna Hjørring), e também jogou na Suíça antes de se mudar para Espanha. É uma jogadora rápida e uma boa finalizadora.

18
Linda Sällström, FINLÂNDIA (GETTY)

LINDA SÄLLSTRÖM

Data de Nascimento: 13.07.1988

Posição: Avançada

Clube: Vittsjö GIK (Suécia)

Linda é a melhor marcadora de sempre da seleção feminina finlandesa (50 golos em 113 jogos, na altura em que foi escrito este texto). É um dado suficientemente impressionante, mas se tivermos em conta que ela sofreu três lesões dos ligamentos cruzados anteriores ao longo da carreira – tendo parado por longos períodos em cada uma dessas ocasiões – percebemos quão boa ela é.

Também fez atletismo de competição – em especial 100 metros barreiras e vara – mas no fim escolheu o futebol. Quando assinou pelo Paris FC ela disse: «No início fiquei um bocado chocada com tantos beijos na cara. Queria fazê-lo bem, por isso tive de googlar: quantas vezes se faz? Que bochecha primeiro?»

19
Essi Sainio, FINLÂNDIA (GETTY)

ESSI SAINIO

Data de Nascimento: 09.09.1986  

Posição: Médio

Clube: HJK  

Uma mulher inspiradora, Sainio lutou contra a depressão e a anorexia para voltar de novo ao topo. Os problemas estavam lá há alguns anos, mas ela foi finalmente hospitalizada em 2012, quando pesava apenas 38 quilos. Ela falou ao Helsingin Sanomat sobre esse processo: «A minha esperança é que as pessoas não leiam esta história apenas por ser a Essi Sainio, que passou por isto, mas que leiam porque pode acontecer a qualquer um. Se isto levar apenas uma pessoa a pensar se ele ou ela está bem e se ele ou ela está a fazer as escolhas certas na vida, ainda bem. Nesse caso fico satisfeita.»

Agora de volta à Finlândia, ela é uma médio ofensiva que pode jogar ao centro ou nas alas.

20
Eveliina Summanen, FINLÂNDIA (GETTY)

EVELIINA SUMMANEN

Data de Nascimento: 29.05.1998  

Posição: Médio 

Clube: Tottenham (Inglaterra)

A especialista da equipa em bolas paradas. Evelina tem uma técnica de remate endiabrada, e a maior parte dos seus golos pela seleção partiram de situações de bola parada. Dura nos desarmes em campo, fora dele é uma aventureira, e gosta de fazer montanhismo, entre outras coisas. «O futebol está em primeiro lugar, mas eu sou de uma pequena cidade perto da Rússia, portanto claro que gosto muito de natureza», disse Eveliina quando assinou pelo Tottenham. «Escalei a maior montanha de África, estou sempre a explorar e a visitar novos lugares. Ouvi dizer que há muitos castelos aqui, portanto estou muito entusiasmada para sair e começar a conhecê-los.»

21
Amanda Rantanen, FINLÂNDIA (GETTY)

AMANDA RANTANEN

Data de Nascimento: 11.05.1998 

Posição: Avançada 

Clube: KIF Örebro (Suécia)

O seu pai, Rami, também foi jogador profissional. Era médio, mas marcava um golo ou outro, e em 1996 marcou mesmo o golo do ano na Suécia, quando jogava no Trelleborg. A mãe de Amanda, Anne-Maria, também foi futebolista, e ambos treinaram a filha e o irmão gémeo, Daniel, que joga no TPS, na segunda divisão finlandesa.

Amanda teve uma estreia memorável pela Finlândia, no jogo decisivo com a Escócia de qualificação para o Europeu. Entrou em campo já nos descontos, mas ainda teve tempo para concluir um contra-ataque da forma menos convencional: o seu remate bateu na guarda-redes, ressaltou-lhe na cara e entrou na baliza. Esmagada pela emoção – e alguma dor, calculamos – não conteve as lágrimas quando as companheiras a rodearam para celebrar o golo da vitória.

22
Jutta Rantala, FINLÂNDIA (GETTY)

JUTTA RANTALA

Data de Nascimento: 10.11.1999 

Posição: Médio/Avançada 

Clube: Vittsjö GIK (Suécia)

Pode jogar no meio-campo ou à frente, e tem faro para o golo. Foi a melhor marcadora do campeonato finlandês em 2019, com 22 golos, e no ano seguinte marcou na estreia pela Finlândia, frente à Croácia.

Os seus irmãos, Juuso e Joonas, também são futebolistas, e jogaram na segunda divisão finlandesa. Quando jogava pelo HJK, na Finlândia, Jutta também trabalhou numa escola. «Ajudou-me”, diz. «Se num dia me limitasse a treinar, isso não era bom para mim. Conciliar o trabalho na escola e o treino é perfeito. E é fantástico trabalhar com crianças.»

 

23
Tinja-Riikka Korpela, FINLÂNDIA (GETTY)

TINJA-RIIKKA KORPELA

Data de Nascimento: 05.05.1986

Posição: Guarda-redes  

Clube: Tottenham

“Tinni”, como é conhecida, é uma guarda-redes muito experiente. Tem mais de 100 jogos pela seleção e é a número 1 da Finlândia há quase 15 anos. Ganhou o campeonato norueguês com o Lilleström e dois títulos da Bundesliga com o Bayern Munique. Mais recentemente tem jogado na Liga inglesa (WSL), primeiro no Everton e depois no Tottenham, onde jogou 11 jogos para o campeonato na época 2021/22. O irmão dela jogou hóquei no gelo na segunda divisão finlandesa, enquanto Korpela representou o país no basquetebol. A sua companheira Emilia é música e gravou uma canção para a seleção finlandesa.

Textos originais de Ville Väänänen, que trabalha para a STT

Maisfutebol
Alemanha: o guia 25 jun, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun, 00:00
Áustria: o guia 24 jun, 14:13
França: o guia 24 jun, 00:00
Portugal: o guia 23 jun, 20:41
Suécia: o guia 23 jun, 00:00
Suíça: o guia 23 jun, 00:00
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
Turquia 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51