Maisfutebol

Inglaterra

1
Jordan Pickford (AP)

Jordan Pickford

Clube: Everton

Data de Nascimento: 07.03.1994

Apesar dos vários erros cometidos, a época fica marcada sobretudo pela entrada brutal (mas que saiu impune), que lesionou Virgil van Dijk no primeiro dérbi de Merseyside.

O pai do guarda-redes do Everton, Lee, decidiu mudar o apelido de Pigford para Pickford por estar farto de ser chamado “Piggy” (porquinho). O avô, Barrie, é que continua a ser Pigford, ainda que Jordan o trate por “Knackers”.

Jordan, conhecido sobretudo como “Picky”, foi vendido por 35 milhões de euros em 2017, tornando-se então o guarda-redes inglês mais caro da história.

Iniciou a carreira profissional no Alfreton Town, e era levado para os jogos pelo pai, enquanto comia frango de uma caixa de plástico no banco traseiro.

Nas chuteiras costuma bordar a frase «Get the rave on» («Que comece a festa»). «O meu irmão, seis anos mais velho do que eu, é que me influenciou», diz o guarda-redes sobre a música eletrónica.

2
Kyle Walker (AP)

Kyle Walker

Clube: Manchester City

Data de Nascimento: 28.05.1990

Em 2008, quando tinha 18 anos, foi emprestado pelo Sheffield United ao Northampton e teve de fazer a viagem de uma centena de quilómetros atrás do carro do pai. «Nunca tinha conduzido na autoestrada. O meu pai estava em pânico», recordou.

12 anos depois, foi também a pensar nos pais que Kyle rejeitou celebrar o único golo que marcou na última edição da Premier League, contra o Sheffield United. «Os meus pais vivem lá, por isso não seria bom para eles se eu festejasse», justificou.

Pep Guardiola elogiou recentemente o defesa pelo «fantástico nível que apresentou estes quatro anos». O treinador do Manchester City acrescentou mesmo que Walker - que gerou polémica no confinamento ao organizar uma festa caseira com duas mulheres que tinham sido pagas para lá estar – é uma pessoa «com a vida calma e em ordem».

3
Luke Shaw (AP)

Luke Shaw

Clube: Manchester United

Data de Nascimento: 12.07.1995

Fez uma bela época no United: jogou mais e teve maior participação em golos do que em qualquer outra época desde 2014, ano em que saiu do Southampton. Só no final de março fez quase tantos jogos pela seleção inglesa do que entre 2016 e 2020, inclusive. Fala do número de estágios da seleção inglesa que falhou devido a pequenos problemas físicos como «o maior arrependimento da carreira». «Só quero esquecer os erros que cometi no passado, e o Gareth Southgate tem permitido isso», disse o lateral, em março.

Shaw também deixou para trás as críticas públicas que José Mourinho lhe fez regularmente quando treinava o Manchester United, que fizeram com que fosse visto como um jogador pesado, preguiçoso e pouco inteligente. «Foi um período muito difícil», afirmou.

4
Declan Rice (AP)

Declan Rice

Clube: West Ham

Data de Nascimento: 14.01.1999

Tem cimentado o lugar à frente do quarteto defensivo, onde a disciplina tática suporta elementos mais criativos da equipa (incluindo Mason Mount, um dos seus melhores amigos). Não foi um caminho propriamente suave até aqui: chegou a jogar pela seleções jovens da Irlanda, e ainda fez três particulares pela seleção principal, antes de optar pela Inglaterra. Foi também dispensado pelo Chelsea quando era adolescente, algo que o próprio associa a dores de crescimento: «Agora sou grande, mas na altura era muito pequeno. Depois comecei a crescer rapidamente, mas, ao mesmo tempo, os meus movimentos ficaram estranhos. Parecia o Bambi no gelo.»

5
John Stones (AP)

John Stones

Clube: Manchester City

Data de Nascimento: 28.05.1994

Provavelmente não estaria no Euro2020 se o torneio tivesse sido disputado o ano passado. Não fez qualquer jogo pela seleção em 2020 e perdeu estatuto no Manchester City. Esta época foi de revitalização, no entanto, indiscutivelmente ajudado pela excecional forma apresentada por Rúben Dias, parceiro no eixo defensivo.

Andou na mesma escola de Barnsley que Katharine Brunt, jogadora de críquete, Kieran Hyde, antigo jogador de râguebi, e ainda Heather Armitage, vencedora de medalha de prata olímpica na estafeta 4x100m.

Stones diz que a canção “Valerie”, de Amy Whinehouse, é a sua escolha no karaoke, e passou o primeiro confinamento a “devorar” episódios de “Tiger King”, seguindo a tendência em Inglaterra (e não só).

6
Harry Maguire

Harry Maguire

Clube: Manchester United

Data de Nascimento: 05.03.1993

Pela segunda época consecutiva foi o jogador mais utilizado do Manchester United, mais até do que qualquer guarda-redes. Em maio foi substituído pela primeira vez, frente ao Aston Villa, devido a uma lesão no tornozelo, mas continua sem saber o que é sair durante um jogo da seleção inglesa. O único jogo incompleto pela equipa dos três leões foi diante da Dinamarca, no passado mês de outubro, em Wembley, já que foi expulso ainda na primeira parte.

Uma antiga professora de Maguire diz que ele era «muito capaz em termos académicos», e que «provavelmente iria estudar Gestão ou Matemática, eventualmente para tornar-se contabilista». Isto se o futebol não se tivesse metido no caminho.

Tal como Leslie Mark Hughes ou Joseph Kevin Keegan, lendas do futebol inglês, Jacob Harry Maguire também é mais conhecido pelo nome do meio.

7
Jack Grealish (AP)

Jack Grealish

Clube: Aston Villa

Data de Nascimento: 10.09.1995

As exibições de Grealish este ano foram suficientemente boas para contornar as dúvidas iniciais de Gareth Southgate, e levaram mesmo David Moyes, treinador do West Ham, a dizer em fevereiro que o médio do Villa era, por esses dias, «o melhor jogador da Premier League».

Para os defesas continua a ser um verdadeiro problema, a ponto de ter sido o jogador da Liga inglesa que mais faltas sofreu, pelo segundo ano consecutivo, embora tenha perdido um terço da temporada por lesão. Os críticos podem dizer que as estatísticas são influenciadas por alguns “mergulhos”, mas maior problema para Grealish foi a condução descuidada, já que esteve nove meses com a carta de condução suspensa.

8
Jordan Henderson

Jordan Henderson

Clube: Liverpool

Data de Nascimento: 17.06.1990

Não recordará a última época como uma das melhores. Jogou mais a central do que certamente gostaria, ainda que o treinador do Liverpool, Jürgen Klopp, tenha insistido que as prestações provaram a inteligência de “Hendo”.

A capacidade de liderança, a ética de trabalho e a versatilidade fazem dele um membro ideal da seleção, mas a lesão sofrida em fevereiro faz com que a inclusão na lista seja um risco.

Gosta de comer torradas com ovos mexidos e mirtilos. «Toda a gente diz que é esquisito, mas quem experimentar vai gostar», insiste.

9
Harry Kane (Reuters/Sergio Perez)

Harry Kane

Clube: Tottenham Hotspur

Data de Nascimento: 28.07.1993

O capitão da Inglaterra apanhou o tradicional susto da lesão antes de um grande torneio, mas o problemático tornozelo parece apto, e Kane continua a ser um fenómeno.

Existem indicadores de será um verão tumultuoso, pois parece provável a saída do Tottenham.

O talento de Harry para o desporto não se esgota aqui: adora futebol americano – inspirou-se nos “quarterbacks” Russell Wilson e Tom Brady para batizar os cães -, e há muito que fala em experimentar a NFL quando deixar de jogar futebol.

Também foi elogiado pelo indiano Virat Kohli, um dos melhores jogadores de críquete do mundo, que viu um vídeo de Harry Kane a mostrar os dotes de batedor durante um dos habituais jogos da equipa do Tottenham, no ginásio do centro de treinos.

10
6) Raheem Sterling (Inglaterra), 8 golos

Raheem Sterling

Clube: Manchester City

Data de Nascimento: 08.12.1994

Em abril assumiu que a temporada foi «muito estranha», e é difícil contestar essa afirmação. Foi capitão durante grande parte da caminhada do Manchester City, mas depois viu-se relegado para o banco nos últimos jogos da Liga dos Campeões. Ainda assim é um elemento fundamental na seleção de Gareth Southgate.

O nome do meio, Shaquille, é inspirado em O’Neal, a antiga estrela da NBA, e deve-o à avó. Já a curiosa forma como corre, ao estilo de um T-Rex, herdou da mãe, uma antiga atleta. «Não posso fazer muito. Sou um ser humano rígido, com quadríceps rígidos, costas rígidas… Estou a tentar combinar isso com os meus braços de T-Rex», brincou.

Tem andado também determinado em usar a sua plataforma para combater o racismo no futebol e planeia criar uma fundação para ajudar crianças carenciadas.

11
Marcus Rashford (AP)

Marcus Rashford

Clube: Manchester United

Data de Nascimento: 31.10.1997

Um herói nacional, flagelo dos laterais direitos e dos governos de direita. O Homem-Aranha teve a sua picada de aranha, Hulk teve a explosão radioativa… Rashford teve uma dupla fratura de stress nas costas, em janeiro de 2020. «Basicamente não podia fazer nada, por isso decidi colocar a minha mente em algo que transformasse uma situação negativa em positiva, ajudando aqueles que mais precisam», explicou. Desde então forçou dois governos a recuar relativamente a medidas de apoio alimentar a famílias carenciadas e ajudou a reunir milhões de refeições escolares.

Para além disso ainda lançou um livro para crianças. E escreveu um livro de autoajuda. E marcou uma batelada de golos.

A propósito de comida: numa sessão de perguntas e respostas no twitter, recentemente, revelou que prefere um assado de domingo a um pequeno-almoço inglês, que coloca uma colher de açúcar no chá e que guarda o ketchup no frigorífico e não no armário.

12
Kieran Trippier (AP)

Kieran Trippier

Clube: Atlético Madrid

Data de Nascimento: 18.09.1990

O rapaz de Ramsbottom (Lancashire) tornou-se o primeiro inglês a conquistar o título espanhol depois de David Beckham, em 2007.

Adepto do Manchester United em criança, foi depois formado no rival City, e em 2018 tornou-se o terceiro jogador inglês a marcar numa meia-final de um Campeonato do Mundo, depois de Bobby Charlton e Gary Lineker. O livre ao estilo de Beckham ainda deu esperança à nação, nesse jogo com a Croácia, em Moscovo, mas depois veio o habitual mar de lágrimas.

Para celebrar o título espanhol, conquistado com o Atlético de Madrid, deixou que o colega Yannick Ferreira-Carrasco lhe rapasse a cabeça.

Suspenso dez meses por ter infringido as regras relativas às apostas, em 2019, regressou no mês de março para ajudar a equipa de Diego Simeone a conquistar La Liga.

13
Ramsdale (AP)

Aaron Ramsdale

Clube: Sheffield United

Data de Nascimento: 14.05.1998

Chamado para o lugar do lesionado Dean Henderson, já depois da estreia inglesa no torneio.

14
Kalvin Phillips (AP)

Kalvin Phillips

Clube: Leeds

Data de Nascimento: 02.12.1995

O “Pirlo de Yorkshire” deve muito do seu atual estatuto internacional a Marcelo Bielsa. Assim que chegou ao Leeds, o técnico argentino disse diretamente a cada jogador qual seria a sua posição. «Ele olhou para mim e disse: número 4», contou Phillips, que ficou irritado, tendo em conta que tinha sido quase sempre um médio “box-to-box”. Mas a verdade é que essa mudança fez maravilhas, tanto para o Leeds como para o próprio Phillips.

Kalvin é natural de Armley - uma área de Leeds que também deu ao mundo Alan Bennett, ator e argumentista -, e cresceu a jogar nos campos junto a uma fazenda de cogumelos, antes de ir para o Leeds com 14 anos. Tem estado em Elland Road desde então, ainda que tenha sido necessária a intervenção da avó para ajudar a convencê-lo a ficar, perante o interesse do Aston Villa, em 2019.

15
Tyrone Mings (AP)

Tyrone Mings

Clube: Aston Villa

Data de Nascimento: 13.03.1993

O pai, Adie, era um avançado amador que tinha uma perna maior do que a outra. Tyrone foi dispensado pelo Southampton aos 16 anos, e foi jogar para o Chippenham, clube dos escalões inferiores que o pai tinha representado enquanto jogador e treinador. Fez apenas dez jogos antes de ser descoberto pelo Ipswich.

Em 2015, quando jogava no Bournemouth, lançou a KTM Design, uma empresa de decoração de interiores, juntamente com Katie Thomas, uma amiga de longa data. «O Tyrone sempre mostrou interesse nesta área. Estudou design de interiores e tem mesmo olho para o detalhe», disse Katie em 2017.

16
Conor Coady (AP)

Conor Coady

Clube: Wolverhampton

Data de Nascimento: 25.02.1993

O conforto com que se adapta a uma defesa a três atraiu a atenção de Gareth Southgate. Defrontou Islândia e Dinamarca no passado mês de setembro, para a Liga das Nações, tornando-se assim o primeiro jogador do Wolverhampton a alinhar pela seleção inglesa desde Steve Bull, em 1990. Coady marcou mesmo no segundo destes jogos.

Em novembro falhou um jogos dos Wolves devido a um contacto de risco com uma pessoa infetada com covid-19, quebrando assim uma sequência de 84 jogos consecutivos, a terceira maior da história da Premier League.

Os jogos à porta fechada, impostos pela pandemia de covid-19, confirmaram Coady como um dos jogadores que mais fala em campo.

17
Jadon Sancho (AP)

Jadon Sancho

Clube: Borussia Dortmund

Data de Nascimento: 25.03.2000

Sentiu algumas dificuldades no início da época, e acabou mesmo por ficar fora da convocatória para o particular com o País de Gales, no outono, depois de ter marcado presença na polémica festa do 23.º aniversário de Tammy Abraham, que infringiu as regras de combate à covid-19.

Na Bundesliga só marcou em janeiro, mas parecia depois embalado para recuperar a melhor forma, até que uma lesão afastou-o por seis semanas.

Aprendeu a jogar futebol no sul de Londres, nos campos de cinco com redes à volta, e tinha então Ronaldinho Gaúcho como ídolo.

Determinado relativamente ao caminho que devia seguir para alcançar o sucesso, trocou o Watford pelo Manchester City, mas depois decidiu aceitar o desafio lançado pelo Borussia Dortmund. Desde que foi para a Alemanha que se especula sobre um regresso a Inglaterra, no entanto.

Dado curioso: em fevereiro foi capitão do Borussia Dortmund na vitória sobre o Augsburgo, mas… não era suposto. O jovem inglês devia ter passado a braçadeira a Matts Hummels após a saída de Marco Reus, mas acabou por colocá-la no braço.

18
Dominic Calvert-Lewin (AP)

Dominic Calvert-Lewin

Clube: Everton

Data de Nascimento: 16.03.1997

O substituto mais óbvio de Harry Kane. O que pode ser bom ou mau, depende do ponto de vista.

Adepto confesso de moda, deu nas vistas com o «look» apresentado na Semana da Moda de Nova Iorque, em fevereiro de 2020, ao lado do colega de equipa Tom Davies.

«Quando vejo alguém com roupa que eu não vestiria, eu não julgo. Limito-me a valorizar que essa pessoa esteja confortável e confiante ao vestir aquilo», justificou.

Cresceu como simpatizante do Sheffield United e, recentemente, revelou que come sempre salmão e massa na noite anterior aos jogos.

19
Mason Mount (AP)

Mason Mount

Clube: Chelsea

Data de Nascimento: 10.01.1999

«Não quero atirar lenha para a fogueira relativamente à conversa dele ser meu filho», disse Frank Lampard a sorrir, enquanto elogiava o jovem médio em novembro. De forma algo bizarra, Mount acabou por servir de pára-raios às críticas ao rendimento do Chelsea no início da época, mas essa contestação reduziu e o médio teve um papel fundamental no ressurgimento da equipa sob o comando de Thomas Tuchel, que o descreveu «com um jogador com o pacote completo».

Nascido em Portsmouth, teve o nome de Gary O’Neil na primeira camisola que recebeu do principal emblema da cidade. Fixou-se na equipa principal do Chelsea após empréstimos ao Vitesse e ao Derby County.

Protagonizou um vídeo viral ao filmar o momento em que pregou uma partida ao amigo Declan Rice, quando este estava a dormir, durante as férias de 2019.

Rice, por seu lado, diz que o amigo adora lanchinhos. «A mala dele parece um armazém de comida. Está sempre com fome», disse o jogador do West Ham durante um estágio da seleção inglesa.

20
Phil Foden (AP)

Phil Foden

Clube: Manchester City

Data de Nascimento: 28.05.2000

Dois anos depois de Pep Guardiola o ter classificado como o jogador «mais, mais, mais talentoso» que alguma vez treinou, Foden teve a época de explosão. Foi titular em menos de metade dos jogos da Liga inglesa, mas na Europa só falhou um, e protagonizou alguns momentos brilhantes, incluindo uma exibição arrasadora frente ao Liverpool, em fevereiro.

Para além disso ainda juntou o prémio de melhor jogador da final da Taça da Liga à distinção de melhor jogador do mundial de sub-17 de 2017.

Na família é tratado por Ronnie, para distingui-lo do pai. Os dois Phils gostam de passar tempo juntos, sobretudo a pescar. Aliás, o Phil Jr. falhou a primeira festa de campeão inglês porque tinha programado ir à pesca com o pai.

21
Ben Chilwell

Ben Chilwell

Clube: Chelsea

Data de Nascimento: 21.12.1996

Nem sempre titular com Thomas Tuchel, no Chelsea, Chilwell luta com Luke Shaw pelo lugar no lado esquerdo da defesa inglesa.

Entre os 12 e os 16 anos de idade conciliou a academia de futebol do Leicester com o centro de excelência de críquete de Northamptonshire. «Provavelmente, era melhor no críquete do que no futebol, mas a dinâmica não é a mesma», explicou.

Também jogou basquetebol na escola, correu pela sua região e, de acordo com um professor, «conseguia fazer coisas assustadoras no trampolim».

Quando esteve emprestado ao Huddersfield, em 2015, David Wagner chamou-o à parte: «Disse-me que eu podia ser um dos melhores laterais se continuasse a trabalhar. Não esquecemos algo assim.»

Outra das suas paixões são os chapéus. «Tenho uma coleção: de basebol, de camionista, gorros…»

22
Ben White (foto Inglaterra)

Ben White

Clube: Brighton & Hove Albion

Data de Nascimento: 08.10.1997

Foi adicionado à lista após a lesão de Trent Alexander-Arnold. Em tempos foi descrito por Michael Flynn, que o treinou no Newport County, como «o melhor jogador que passou pelo clube por empréstimo».

O defesa foi dispensado na formação do Southampton, mas agora é um elemento importante do Brighton de Graham Potter. Os empréstimos a Exiles, Peterborough e Leeds prepararam-no para uma bela época de estreia na Premier League.

White atribui crédito a Marcelo Bielsa pela sua evolução durante o período em que esteve em Elland Road, muito devido à atenção do técnico argentino com os detalhes.

Ainda no Newport ajudou a equipa a chegar à quarta ronda da Taça de Inglaterra, na qual obrigou mesmo o Tottenham a fazer um segundo jogo. «Enfrentar o Harry Kane foi fantástico, e pensei que estive à altura contra ele», disse White, agora colega do avançado na seleção.

23
Sam Johnstone (instagram)

Sam Johnstone

Clube: West Bromwich Albion

Data de Nascimento: 25.03.1993

Vem de uma família de guarda-redes. O pai foi profissional e passou pelo Preston North End, enquanto que o irmão, Max, que passou pelo Manchester United, tal como Sam, está agora no AFC Fylde.

Ir à baliza está no sangue, portanto, mas curiosamente começou como central numa equipa que não tinha n.º 1, pelo que foi instituído um regime de rotatividade.

«Se tivéssemos alguém que quisesse ir à baliza, provavelmente não estaria aqui agora», disse Johnstone o ano passado.

Uma vez partiu um dedo e andou a treinar como jogador de campo, o que ajuda a explicar a capacidade de passe.

Mantém contacto com a senhora com quem vivia nos tempos do Manchester United (os clubes ingleses costumam pagar a “famílias de acolhimento” dos jovens), ainda que diga que ela era «muito rígida». «Eu e a minha esposa estamos com ela de vez em quando. Respeito-a muito, mas na altura não gostava muito.»

24
Reece James (AP)

Reece James

Clube: Chelsea

Data de Nascimento: 08.12.1999

A irmã, Lauren, é uma estrela no ataque da equipa feminina do Manchester United.

O irmão mais velho usa a velocidade como arma no papel de lateral ofensivo, embora também seja adaptável a uma defesa de três elementos, tal como sucedeu na final da Taça de Inglaterra.

James, que já falou abertamente sobre os insultos racistas que recebeu nas redes sociais, investe parte do seu tempo livre no Projeto Félix, nomeadamente a entregar refeições a pessoas mais carenciadas. Nos seus aposentos, acima da cama, exibe orgulhosamente uma camisola do Chelsea que recebeu do então capitão dos “blues”, John Terry, quando tinha apenas nove anos.

25
Bukayo Saka (AP)

Bukayo Saka

Clube: Arsenal

Data de Nascimento: 05.09.2001

Foi um ponto brilhante numa época miserável do Arsenal. Daí que às vezes até seja preciso lembrar que tem apenas 19 anos.

Fora do campo também parece ser brilhante, a avaliar pelas incríveis notas que tirou nos exames do secundário, embora passasse a maior parte do tempo livre a jogar futebol. «Jogávamos horas. O meu pai e o meu irmão começavam a dizer para irmos para dentro, mas eu nunca deixava, pelo menos antes de ganhar», contou.

Saka vem da academia do Arsenal em Hale End, onde procurou inspiração numa imagem de Jack Wilshere pendurada na parede: «Via aquilo todos os dias e dizia a mim próprio que era possível chegar à equipa principal, que existia um caminho para lá».

O caminho para uma longa carreira internacional também parece bem visível.

26
Bellingham (AP)

Jude Bellingham

Clube: Borussia Dortmund

Data de Nascimento: 29.06.2003

Bateu um recorde de 49 anos, ao fazer a estreia pelo Birmingham com 16 anos e 38 dias de idade, superando Trevor Francis como o jogador mais novo da história do clube. Teve um impacto tão grande, logo na primeira época, que o clube decidiu retirar a camisola 22 quando Bellingham saiu para o Borussia Dortmund. Essa transferência também bateu um recorde: ao pagar cerca de 30 milhões de euros, o emblema alemão fez dele o jogador de 17 anos mais caro de sempre.

O rapaz de Stourbridge adaptou-se rapidamente à Bundesliga e teve um papel fundamental no “sprint final” do Dortmund para a Liga dos Campeões. Impressionante para alguém que começou a jogar aos sete anos de idade e que «nem gostava muito». É um talento excecional, e esta pode ser a primeira de muitas presenças em grandes torneios.

Textos de Simon Burnton, John Ashdown e John Brewin, que escrevem para o Guardian.

Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Suíça 7 jun, 00:23
Suécia 7 jun, 00:23
Escócia 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Bélgica 7 jun, 00:21
Turquia 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Croácia 7 jun, 00:19
Áustria 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45