Maisfutebol

Macedónia do Norte: a análise

1

A Macedónia do Norte faz história ao participar no primeiro grande torneio de seleções, e é justo dizer que o sucesso da seleção gerou euforia no país. Goran Pandev, Eljif Elmas, Enis Bardi, Arijan Ademi, Stefan Ristovski, Ezgjan Alioski, Boban Nikolov e companhia já são heróis nacionais pelo que conseguiram. A qualificação já é um sucesso estrondoso para um pequeno país dos Balcãs, mas com uma enorme paixão pelo futebol.

O selecionador, Igor Angelovski, não quer ficar por aqui. O objetivo é continuar a somar conquistas, este verão, para que não seja apenas uma nota de rodapé.

«Não podemos ficar satisfeitos só com a qualificação. Queremos passar a fase de grupos e acredito mesmo que temos um grupo capaz de surpreender a Europa novamente», afirmou o selecionador.

O otimismo vem também da campanha de qualificação: após dominar o grupo da Liga das Nações, a Macedónia do Norte bateu o Kosovo e a Geórgia para garantir a presença no Europeu.

Depois a equipa ainda foi mais além, em Duisburgo, ao derrotar a Alemanha em jogo de apuramento para o Mundial2022, no passado mês de março. Não admira, por isso, que a esperança esteja elevada.

Taticamente, Angelovski deve manter a apostar no 3x5x2, tendo em conta que o meio-campo é a zona mais forte da equipa.

Os médios trabalham na perfeição para alimentar a “dupla italiana” de ataque, formada por Pandev e Elmas. Privado de Ilija Nestorovski (Udinese), por lesão, Angelovski tem um plano B em 4x2x3x1, com Pandev apenas na frente.

A Macedónia do Norte vai defrontar Áustria, Ucrânia e Países Baixos no Grupo C, e as possibilidades de passagem devem ser discutidas nos dois primeiros jogos, em Bucareste, antes da visita a Amesterdão para defrontar a seleção laranja.

«Penso que vamos ter os adeptos romenos do nosso lado. Sei que adoram a Macedónia, e com o apoio deles podemos surpreender. Depois vamos defrontar os Países Baixos com um espírito de luta ainda maior», referiu Nikolov, formado precisamente na Roménia, na academia de Gheorghe Hahi.

2
Igor Angelovski (AP)

O selecionador: Igor Angelovski

Em 2013, de forma surpreendente, o presidente do FC Rabotnicki decidiu mudar de treinador e entregou o comando da equipa a Angelovski, que era então o diretor desportivo do clube. Não se arrependeu. Angelovski provou ser um excelente treinador e conquistou a “dobradinha”.

Este feio foi reconhecido por Ilcho Gjorgjioski, então presidente da federação, que primeiro o contratou para adjunto de Ljubinko Drulovic, e depois como selecionador principal.

Logo no primeiro dia em funções, Angelovski foi a Génova convencer Pandev a regressar à seleção. O resto, como se costuma dizer, é história.

Angelovski deixou-se levar pela emoção após a vitória na Alemanha: «Não consigo falar. Estou emocionado, estou feliz. Fizemos o nosso povo feliz. É como ganhar o Euro. Estes rapazes prometeram fazer algo especial. A minha esposa está no hospital com sintomas de covid-19, mas felizmente está melhor. Obrigado a todos. O que posso dizer mais? Nada. Só chorar.»

3
Euro 2020 (Qualificação) Macedónia-Letónia (LUSA)

A figura: Goran Pandev

O maior ícone da história do futebol macedónio, a larga distância. Vencedor da Liga dos Campeões em 2010, com o Inter, sob o comando de José Mourinho, decidiu renunciar à seleção três anos depois, mas voltou em 2016. Desde então renasceu.

Vaiado algumas vezes no passado, devido a más exibições e resultados negativos, tornou-se um verdadeiro herói nacional, em todos os sentidos. Ainda no Génova, aos 37 anos, já atingiu a marca dos 100 golos na Serie A italiana.

4

Onze provável

3x5x2

Dimitrievski; Velkovski, Musliu, K. Ristevski; S. Ristovski, Nikolov, Bardhi, Ademi, Alioski; Pandev e Elmas

5
Milan Ristovski (instagram)

O jogador mais grato pelo adiamento: Milan Ristovski

Pela primeira vez na sua história, a Macedónia do Norte tem dois irmãos na seleção. Milan Ristovski, do Spartak Trnava, é o irmão mais novo de Stefan Ristovski, antigo jogador do Sporting, agora no Dinamo Zagreb. Se este último é uma presença habitual na seleção, Milan não estava nos planos do selecionador há um ano, devido a problemas físicos. «Estou muito feliz por fazer parte da equipa. Estou a viver um sonho com esta idade. Vou tentar justificar a oportunidade com uma atitude em prol da seleção», referiu o irmão de Stefan Ristovski.

6

O que os adeptos cantam

«Vamos ao Euro». Uma canção que louva a coragem da geração liderada por Goran Pandev.

7

O que os adeptos dizem

«Enquanto tivermos o Pandev na equipa, a marcar golos, mesmo aos 38 anos, a Macedónia vai ganhar»

«É o nosso momento. Temos lugar no Euro, o nosso sonho de infância!»

«Com Enis Bardi e Arian Ademi no meio não temos problemas em controlar o jogo»

8
Stefan Ristovski (instagram)

Herói/vilão da pandemia: Stefan Ristovski

Teve um ano difícil, com a saída do Sporting, mas não esqueceu o lado solidário. Na pior fase da pandemia, na Macedónia do Norte, o lateral doou equipamento médico para as duas maiores clínicas de tratamento da covid-19. «Obrigado por tomarem conta dos nossos compatriotas e por não se pouparem nesta batalha comum», disse Ristovski aos médicos.

Textos de Vladimir Bulatovic, que escreve para o Ekipa.

Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Escócia 7 jun, 00:23
Suíça 7 jun, 00:23
Suécia 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Bélgica 7 jun, 00:21
Turquia 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Croácia 7 jun, 00:19
Áustria 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45