Maisfutebol

Países Baixos

1
Maarten Stekelenburg

Maarten Stekelenburg

Clube: Ajax

Data de Nascimento: 22.09.1982

Um veterano da final do Mundial 2010, Stekelenburg tornou-se recentemente o jogador mais velho de sempre do Ajax a jogar na Eredivisie. Foi uma surpresa um jogador como ele ter voltado a destacar-se , depois de ter passado tanto tempo no banco nos anos mais recentes – nas últimas três épocas no Everton não jogou um único jogo na Premier League. Mas a primeira opção do Ajax, André Onana, foi suspenso por doping e isso deu-lhe uma oportunidade para dar um passo em frente. Fê-lo com estilo e assinou a renovação de contrato em maio. «Esta é a profissão mais bonita do mundo», disse ao Voetbal International. «E quero exercê-la o maior tempo possível.» Não é expectável que seja titular este verão, mas a sua experiência e o seu conhecimento serão grandes vantagens.

2
Joel Veltman

Joel Veltman

Clube: Brighton

Data de nascimento: 15.01.1992

Um defesa sólido, capaz de jogar no centro ou na direita. Quando era jovem, o seu tutor era Frank de Boer, que foi também quem lhe deu uma oportunidade na primeira equipa do Ajax. É forte a pregar partidas; no Ajax, as pessoas lembram-se com carinho do dia em que encheram o carro de Veltman com peixes como uma forma de vingança. «Apenas fiz coisas como brincar de cuecas ou meter plástico à volta do carro do Frenkie de Jong», revelou, no programa Bij Andy. «Mas um dia estava a ir para o carro e reparei que estava um peixe em baixo do limpa para-brisas. Pensei: ‘Não é assim tão mau’, mas depois olhei lá para dentro e vi uma cabeça de peixe gigante em cima do painel, com os óleos a sujarem o carro todo. Também estavam muitos camarões nos bancos. Depois disso lavei-o imensas vezes, mas tive de conduzir com aquele fedor durante sete semanas. Mas tudo bem. As pessoas ainda se riem disso.»

3
De Ligt

Matthijs de Ligt

Clube: Juventus

Data de nascimento: 12.08.1999

De Ligt estudou os livros de história do Ajax antes de estrear-se pelo clube, e fez o mesmo quando assinou pela Juventus aos 19 anos, em 2019. «Tens de saber tudo sobre o clube que representas.» Podia ter sido tudo diferente: em criança, jogou mais hóquei do que futebol, mas foi cativado ao assistir outras crianças a jogar futebol num campo próximo de casa. Evoluiu muito no Ajax, onde foi imediatamente encaminhado para um nutricionista para melhorar a resistência. Estreou-se na equipa principal em 2016 e marcou o golo da vitória frente à Juventus, quando o Ajax alcançou as meias-finais da Liga dos Campeões em 2019.

4
Nathan Aké

Nathan Aké

Clube: Manchester City

Data de nascimento: 18.02.1995

Apesar de estar ligado ao Chelsea desde os 17 anos, demorou algum tempo para Aké atingir o mais alto nível em Inglaterra. Mas chega ao verão com a motivação de ter ganho o título com o Manchester City, apesar de ter tido algumas lesões. Aprendeu piano no primeiro confinamento do ano passado. «Sempre quis tocar, mas nunca tinha tido tempo e nunca pensei que conseguisse aprender sozinho», disse. «Mas agora temos um piano, baixei uma aplicação no telemóvel e toco quase todos os dias. Mantém o meu cérebro a funcionar.» O futuro no Manchester City é uma incógnita, ele que foi associado à Roma de José Mourinho no final da temporada.

5
Owen Wijndal

Owen Wijndal

Clube: AZ Alkmaar

Data de nascimento: 28.11.1999

Um lateral-esquerdo rápido que adora atacar, como o seu ídolo Marcelo. Andou na escola com o Calvin Stengs e o Donyell Malen. «Owen gostava de jogar e era, no bom sentido da palavra, um patife», afirmou Martin Haar, seu treinador na formação. «Às vezes só pensava: quando é que lhe vai cair a ficha? Owen tinha acabado de dizer que em breve ia para o Real Madrid. Só mais tarde é que percebeu que essas coisas não acontecem assim com tanta facilidade.» John van den Brom, antigo treinador de Wijndal na formação do AZ, disse o seguinte ao De Telegraaf no ano passado: «O Owen é um pequeno rapaz muito fixe. Tem uma certa impertinência, é muito confiante e diz isso a toda a gente. Também dizia todas as sextas-feiras, a seguir ao treino: ‘Mister, estou pronto, você sabe’. E quando as coisas não correram bem, abanou um pouco, mas agora está cada vez melhor. Tem tudo para tornar-se o lateral-esquerdo da seleção nos próximos anos.»

6
Stefan de Vrij

Stefan de Vrij

Clube: Inter de Milão

Data de nascimento: 05.02.1992

Foi eleito o melhor defesa do Mundial 2014 e o melhor da Serie A em 2019/20, mas De Vrij nunca para de tentar evoluir. Todas as semanas conversa durante algumas horas com Loran Vrielink, um antigo professor de educação física que ajuda jogadores dos cinco principais campeonatos da Europa com consultas individuais, com a ajuda de vídeos de certos momentos e cenários específicos. De Vrij: «Por exemplo, antigamente, quando driblava alguém na defesa, passava a bola o mais rápido possível. Agora, tento ver onde é que posso criar uma situação de desequilíbrio com um jogador a mais. Acho que muda o meu jogo. Uma vez o Pirlo disse que o futebol é um desporto que se joga com a mente. Concordo a 100 por cento.» Ganhou a Serie A com o Inter de Milão esta época.

7
Steven Berghuis

Steven Berghuis

Clube: Feyenoord

Data de Nascimento: 19.12.1991

A carreira do tecnicista extremo estagnou no Watford, mas a mudança para o Feyenoord em 2016 revitalizou-o e é agora opção de Frank de Boer para o ataque. O seu pai Frank, antigo internacional holandês, era um jogador elegante e é fácil notar as semelhanças. Quando Berghuis trocou de camisola com Zlatan Ibrahimovic ofereceu-a à mãe porque ela «adora jogadores excêntricos». Berghuis é adorado por usar a sola da chuteira para dominar bolas, um legado dos jogadores de futsal, mas tornou-se viral pelas piores razões em 2018, quando caiu para o chão de forma exagerada depois de sofrer uma ligeira palmada na nuca de Willem Janssen, do Utrecht. Acabou por levantar-se, ainda a esfregar a zona da nuca. No final acabou por rir-se da situação e disse, ao AD: «Agora tenho de ir para o hospital... às vezes fazemos coisas estúpidas em campo, agora toda a gente pensa que sou um idiota.»

8
Georginio Wijnaldum

Georginio Wijnaldum

Clube: Liverpool

Data de nascimento: 11.11.1990

Muito versátil, vencedor da Premier League com o Liverpool em 2019/20 e um verdadeiro líder. Foi imensamente elogiado por toda a Europa em 2019, pela forte intervenção que protagonizou quando Ahmad Mendes Moreira, jogador do Excelsior, sofreu insultos racistas por parte dos adeptos, adjetivando a situação de «desprezível». «Isto realmente afetou-me a um nível muito pessoal. Se fosse eu o alvo, ia embora? De certeza que nunca aceitaria isso. E se se for embora, não se deve voltar. Para quê? O que mudou? Já falámos sobre isto na seleção nacional – olhem para o nosso grupo: não olhamos para a cor da pele. Jogamos pela seleção holandesa, por esta camisola, pelo nosso povo.»

9
Luuk de Jong

Luuk de Jong

Clube: Sevilha

Data de nascimento: 27.08.1990

A clássica «arma secreta», Luuk é irmão do antigo jogador do Ajax Siem de Jong e filho de dois antigos internacionais holandeses de voleibol. No jardim de casa, perto do estádio do De Graafschap, tinham um campo de voleibol de praia. Um dos pais jogava com um dos filhos e o outro pai com o outro filho – e Luuk atribui a sensibilidade de timing e agilidade que tem a essa experiência, e aos genes que tem. É um dos muitos jogadores holandeses que tem a sua própria marca de roupa, tendo lançado a marca de roupa orgânicas «Mael» com o irmão Siem em 2016.

10
Memphis Depay

Memphis Depay

Clube: Lyon

Data de nascimento: 13.02.1994

O tempo que passou no Manchester United não durou muito, mas a forma que Depay tem exibido no Lyon é um lembrete do que ele consegue fazer, e o Barcelona está atento este verão. Estreou-se pela seleção em 2013, e em 2014 tornou-se no holandês mais novo de sempre a marcar em Mundiais. Fora do futebol, lançou o primeiro videoclipe de hip-hop, «LA Vibes», em 2017, e o seu álbum de estreia no ano passado, «Heavy Stepper», com uma música, «Big Fish», que visa os proprietários do Manchester United: «Estou a planear fazer algumas declarações, preciso de dinheiro como os Glazers.» Causou controvérsia o ano passado ao pousar ao pé de um ligre no Dubai, o que gerou algumas ameaças de ações legais por parte de grupos ligados aos direitos dos animais. «Para aqueles que não conhecem os factos, calem-se. Os ligres nem sequer são animais selvagens. Acho que nem conseguiriam sobreviver na selva.»

Conheça melhor Depay, protagonista dos Países Baixos.

11
Quincy Promes

Quincy Promes

Clube: Spartak de Moscovo

Data de nascimento: 04.01.1992

O rápido e tecnicista avançado formou uma grande dupla com Hakim Ziyech na sua primeira época no Ajax em 2019/20, mas perdeu fulgor depois da saída do marroquino para o Chelsea. Teve de passar dois dias sob custódia policial no final do ano passado depois de ter sido acusado de esfaquear um dos seus primos no joelho durante uma discussão numa festa na casa de Promes em Abcoude, em julho. Promes nega qualquer envolvimento na situação. Regressou ao Spartak no inverno e quer calar os críticos. «Não disseram a mesma coisa quando eu fui pela primeira vez para a Rússia?», questionou. «Que não seria campeão e que era um jogador mediano? Mas consegui. Sagrei-me campeão e o melhor marcador do campeonato. O meu trabalho agora é dissipar novamente essas dúvidas. Os haters dão-me energia. Preciso deles! Sem eles, isto não tem piada.»

12
Patrick van Aanholt

Patrick van Aanholt

Clube: Crystal Palace

Data de nascimento: 29.08.1990

Em 2018, o defesa-lateral revelou o quão perto esteve de desistir do futebol, desiludido com o sistema de empréstimos do Chelsea, ele que somou cinco em seis anos nos blues. «Pensei muito em desistir», afirmou ao Volkskrant. «Estava chateado, queria parar. Tentámos fazer as coisas funcionar: a primeira coisa que eu e a minha namorada fizemos quando nos mudávamos para algum sítio novo era procurar no Google o IKEA mais perto. Quando não estás familiarizado com um lugar, tentas encontrar coisas familiares. Mas sempre a comprar as mesmas velas, almofadas e coisas de casa de banho... a dada altura a minha namorada perguntou-me se não seria melhor comprarmos uma caravana.» Está no Crystal Palace desde 2017, mas talvez estejas prestes a mudar-se novamente, uma vez que está em final de contrato. Utiliza muitas vezes a sua conta no Twitter (@pvanaanholt) para combater o racismo e recebeu elogios em 2020 quando confrontou Katie Hopkins e esta acabou por ser banida permanente. A sua resposta: «Campeão indiscutível do Twitter. Não me mencionem.»

13
Tim Krul

Tim Krul

Clube: Norwich

Data de nascimento: 03.04.1988

Depois de ter defendido dois penáltis numa eliminatória da FA Cup frente ao Tottenham em 2020, Krul revelou o seu segredo: escreve os nomes dos batedores de penáltis e o lado para o qual costumam bater na garrafa de água. A garrafa acabou por desaparecer, mas um adepto do Norwich começou a vender réplicas, com o nome de Krul e as palavras «Penalty killer [matador de penáltis]». Krul esteve envolvido nos esforços do Norwich em cuidar dos adeptos mais velhos durante os confinamentos devido à covid-19, fazendo telefonemas a pessoas com mais de 80 anos. «Houve um adepto que me disse: ‘Não me interessa se dizes ser o Tom Hanks ou o Tim Krul, não acredito em ti’», revelou Krul ao Mirror. «Desligou na minha cara. Liguei-lhe muitas vezes, mas recusou-se a atender. Quando liguei para outra adepta, de 82 anos, ela estava mais preocupada com a irmã, de 94 anos, que costumava visitar duas vezes por semana. Então, guardei o número dela e, como vivia bastante perto de mim, fiz-lhe algumas compras. Ela abriu a janela e tivemos uma conversa adorável. Desde aquele dia, estamos de olho nela.»

14
Davy Klaassen

Davy Klaassen

Clube: Ajax

Data de nascimento: 21.02.1993

Tal como Daley Blind, Klaassen redescobriu o seu melhor nível no Ajax após algumas aventuras menos bem-sucedidas no estrangeiro. Foi notícia ao atirar as chuteiras para o público durante os festejos da conquista da Erevidisie deste ano, percebendo depois que ainda tinham as palmilhas feitas especialmente para si dentro delas. Fez um apelo na internet: «A pessoa que agarrou as minhas chuteiras pode entrar em contacto comigo. As minhas palmilhas estavam lá e eu preciso delas para o jogo de domingo.» Poucas horas depois, recebeu uma resposta de um adepto, que alegou que tinhas as chuteiras; Klaassen pediu fotografias a prová-lo, fez umas verificações, e finalmente terminou com o suspense perante os seus seguidos no Instagram: «SÃO AS CHUTEIRAS CERTAS! Obrigado a todos pela vossa simpatia.»

15
Marten de Roon

Marten de Roon

Clube: Atalanta

Data de nascimento: 29.03.1991

Uma jornada notável até ao Campeonato da Europa, De Roon passou de ser praticamente um anónimo jogador do Sparta e do Heerenveen para ser figura indispensável da Atalanta e da seleção. Gosta de gozar consigo próprio na sua conta de Twitter, @Dirono, onde escreveu na bio de apresentação: «Resumo do que é jogar futebol em Itália: quando ganhamos recebo a melhor mesa de comida sem pagar. Quando perdemos, a minha mulher tem de salvar-me.» Também partilha a sua visão e as suas experiências na rede social Clubhouse. Uma vez teve de parar de negociar um contrato com o Middlesbrough porque a mãe pensou que o salário que lhe tinham oferecido já era suficiente. «A primeira vez que eu vi o dinheiro toda na minha conta bancária fiquei chocado, tive de parar para pensar», disse ao Voetbal International. «Pensas em todas as pessoas que ganham menos, e o que fariam se tivessem esta quantidade de dinheiro. A minha mãe é fisioterapeuta de idosos e disse-me que isto não é correto.»

16
Ryan Gravenberch

Ryan Gravenberch

Clube: Ajax

Data de nascimento: 16.05.2002

A falta de foco que Gravenberch demonstrava na formação era lendária – desde ver o irmão a comer batatas fritas e a implorar à mãe para comer também, até pedir uns calções brancos durante um jogo em que sujou com lama os que tinha vestido. Mas deixou isso para trás e, em 2018, tornou-se no estreante mais jovem de sempre do Ajax na Eredivisie, com 16 anos e 130 dias, batendo o recorde que perdurava há 27 anos de Clarence Seedorf. Fez a estreia pela seleção holandesa a 24 de março deste ano, no jogo a contar para a qualificação do Mundial 2022 frente à Turquia.

17
Daley Blind

Daley Blind

Clube: Ajax

Data de nascimento: 9.03.1990

Um ajacied dos pés à cabeça, deixou o Manchester United e regressou ao Ajax em 2018, de volta ao clube onde cresceu e onde o pai Danny celebrou tantos sucessos. Ainda persegue a marca de 17 troféus de Danny. «Está a aproximar-se», afirmou o Blind pai, ao podcast Ajax Life. «Vai ser apertado para mim. Tenho um bom trunfo no bolso de trás: a Liga dos Campeões, claro. Por outro lado, ele [Daley] já tem mais de 70 internacionalizações, eu apenas 42. Às vezes tenho de ficar calado.» Em 2019, Daley foi diagnosticado com um problema cardíaco após ter sentido uma tontura durante um jogo e foi equipado com um cardioversor desfibrilador implantável, que regula o ritmo cardíaco anormal. Foi ativado durante um amigável de pré-época em agosto do ano passado, mas voltou a jogar um mês depois.

18
Donyell Malen

Donyell Malen

Clube: PSV Eindhoven

Data de nascimento: 19.01.1999

Incrivelmente rápido e cheio de potencial, Malen parece destinado a uma grande transferência neste verão, independentemente do que aconteça. Quando era adolescente, passou dois anos na formação do Arsenal, depois de Arsène Wenger – durante um almoço – o ter convencido a deixar o Ajax para mudar-se para Londres, mas o clube vendeu-o ao PSV em 2017. Desde então tem feito grandes exibições, incluindo os cinco golos que marcou frente ao Vitesse em 2019. No dia seguinte, foi o primeiro a chegar ao treino, às 7h30 da manhã. Estreou-se pela seleção holandesa nesse ano, ao sair do banco e apontar um golo na vitória por 4-2 frente à Alemanha. As expectativas estão altas. Passa muitas vezes as tardes livre num campo de basquetebol que tem perto de casa, a praticar lay-ups e lançamentos para arejar a cabeça e treinar o salto e o respetivo timing.

19
Wout Weghorst

Wout Weghorst

Clube: Wolfsburgo

Data de nascimento: 07.08.1992

Um goleador furtivo de 1.97 metros que poucos esperavam que chegasse ao topo, está aqui graças ao seu trabalho árduo, mas nem sempre convencional – como no verão passado, em que foi treinado por um treinador de voleibol que o ajudou a gerir melhor o tempo de salto. Gosta de relaxar acendendo uma vela na igreja, renovando casas velhas ou passeando com idosos solitários, o que fazia muito antes da pandemia. «As caminhadas dão-me paz e satisfação. Basta sair para fazer uma caminhada e conversar um pouco durante o caminho – eles ficam felizes e eu também. Fiquei chocado quando soube a quantidade de idosos que estão sozinhos. Tocou-me e quis fazer algo.»

20
Van de Beek

Donny van de Beek*

* Vai falhar o Euro2020 por lesão, mas não foi chamado nenhum jogador para o substituir.

Clube: Manchester United

Data de nascimento: 18.04.1997

Para já, uma figura discreta no Manchester United, mas ainda é um dos preferidos no Ajax, clube do coração desde pequeno. Quando era jovem, levou o seu tambor a um jogo da seleção holandesa, em busca de autógrafos, mas foi bastante seletivo sobre quem poderia assinar. O seu pai André contou uma vez ao AjaxShowTime: «O Rafael van der Vaart e o Wesley Sneijder, por quem o Donny era louco, estavam em campo. Van Basten, na altura selecionador, foi o primeiro a ver o tambor e assinou-o. Depois também assinaram Van der Vaart e Sneijder. Mas quando o Dirk Kuyt, um ídolo do Feyenoord, rival do Ajax, se aproximou e começou também a assinar o tambor, o Donny gritou: ‘Não, não, isto não está certo.’ Van der Vaart e Sneijder riram-se.»

21
Frenkie de Jong

Frenkie de Jong

Clube: Barcelona

Data de nascimento: 12.05.1997

O criativo médio que custou 75 milhões de euros está a viver o sonho de jogar ao lado do ídolo, Lionel Messi. Frenkie diz que o seu pai John, um polícia de trânsito, tinha um sentimento parecido com Johan Cruyff: «Ele adora o Cruyff. No Arkel ele jogava com a camisola 14 e tinha o mesmo penteado do Cruyff.» Sobre a discussão de quem é o melhor, Messi ou Cruyff, John destacou como Cruyff fazia com que os jogadores à sua volta jogassem a um nível mais elevado. Frenkie respondeu: «Talvez, mas o Messi não precisa dos outros.» O nome Frenkie foi escolhido em honra da banda favorita dos seus pais, «Frankie Goes to Hollywood».

22
Denzel Dumfries

Denzel Dumfries

Clube: PSV Eindhoven

Data de nascimento: 18.04.1996

O forte e obstinado lateral-direito e capitão do PSV fez dois jogos pela seleção de Aruba contra o Guam, e até marcou um golo. Mas nunca desistiu do sonho de representar a Holanda. Sean Verburg, antigo companheiro de equipa de Dumfries no clube amador Smitshoek, lembrou: «Ele não era o melhor jogador da nossa equipa e éramos apenas o Smitshoek, mas enquanto nós passávamos o tempo livre a rir e a beber, ele fazia treinos extra. E quando fomos campeões, quase que foi forçado a beber uma cerveja.» Chegou ao PSV proveniente do Heerenveen em 2018 e tem mais de 150 jogos na Eredivisie no currículo.

23
Marco Bizot

Marco Bizot

Clube: AZ Alkmaar

Data de nascimento: 10.03.1991

Um guarda-redes atlético conhecido pela sua consciência social. Há três épocas passou um ano como mentor de um refugiado de Eritreia. «Na altura, a minha esposa trabalhava no consulado para refugiados», revelou, ao jornal Trouw. «Sempre tivemos a ideia de fazer alguma coisa de útil e, tanto quanto possível, ajudar outras pessoas. Por isso, quando vi este programa, fiquei logo entusiasmado. Encontrava-me com o meu companheiro uma vez por semana, ajudava-o com a papelada, mostrava-lhe o país, nadávamos juntos. De repente, estava às 8 da manhã de um domingo a fazer alongamentos na piscina. Estas pessoas têm muitas histórias e um grande passado. Acho que é importante retribuir à sociedade.

24
Teun Koopmeiners

Teun Koopmeiners

Clube: AZ Alkmaar

Data de nascimento: 28.02.1998

O capitão do AZ Alkmaar, que também joga bem a defesa-central, é conhecido pela sua maturidade. Recentemente falou sobre a pressão que os clubes profissionais colocam em cima de jovens crianças. «Será que gostava que os meus filhos tivessem o mesmo percurso do que eu?», questionou, em entrevista ao NRC. «Claro que eu apoiaria o que eles realmente quisessem, mas clubes que escolhem crianças com sete anos... não sei se permitiria isso. Provavelmente, esconderia a carta do Ajax até eles fazerem dez anos. Até lá, não devem bombardear as crianças com «boa comida» e «tens de dormir à hora certa» – o futebol tem de ser divertido. Ele, no entanto, nega que pense como uma pessoa mais velha do que realmente é. «A minha namorada acha que sou uma criança. Quando estou de folga, ela pede-me para tirar a louça da máquina, entregar uma encomenda, fazer algumas compras, mas depois chega a casa e eu não fiz nada. Tão infantil.»

25
Jurrien Timber

Jurrien Timber

Clube: Ajax

Data de nascimento: 17.06.2001

Nos últimos meses, o versátil defesa tornou-se repentinamente o novo Frank Rijkaard. Com as suas investidas, ele leva a bola para o meio-campo adversário sem grande esforço, mantendo sempre a solidez defensiva. Sempre foi inseparável do seu irmão gémeo Quinten, mas na última temporada Jurrien subiu à primeira equipa do Ajax e este verão verá o irmão mudar-se para o Utrecht, clube da sua cidade natal. A sua mãe, Marilyn, tem o Ajax no coração, mas foi o Feyenoord quem primeiro agarrou os jovens talentos da Utrecht DVSU. Eles mudaram-se depois para o Ajax aos 13 anos. Os irmãos são tão próximos que até partilharam o primeiro telemóvel e utilizavam à vez o Blackberry. Surpreendentemente, isso nunca originou qualquer briga, como o seu irmão, Christopher, disse ao Algemeen Dagblad no ano passado. «Muitas vezes eles discutem, mas um olhar é suficiente para resolverem as coisas. Dão tudo um ao outro.»

26
Cody Gakpo

Cody Gakpo

Clube: PSV Eindhoven

Data de nascimento: 07.05.1999

Um grande momento para o recém-internacional Gakpo, que conseguiu chegar à seleção. Muito popular entre os adeptos dp PSV, cresceu perto do estádio e foi criado pelos antigos jogadores do clube Ruud van Nistelrooy, Luc Nilis e Boudewijn Zenden. Um finalizador de qualidade, ele cita dois conselhos chave de Nilis: «Não deves rematar a 100 por cento, 80 por cento é suficiente, porque assim podes direcionar melhor o remate»; e: «A baliza nunca se move.» Já tem 88 jogos pelo PSV com apenas 22 anos.

Textos de Bart Vlietstra, que escreve para o Volskrant.

Siga-o no twitter.

Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Suíça 7 jun, 00:23
Suécia 7 jun, 00:23
Escócia 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Turquia 7 jun, 00:21
Bélgica 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Áustria 7 jun, 00:19
Croácia 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45