Maisfutebol

Rep. Checa

1
Tomas Vaclik (AP)

Tomas Vaclik

Clube: Sevilha

Data de nascimento: 29.03.1989


Há nove anos, Vaclik era o guarda-redes do Viktoria Zizkov, um clube da segunda divisão checa que não lhe pagava salários há seis meses. Em 2021, o keeper joga em Espanha e prepara a estreia no Euro 2020. A vida muda. «Uma experiência como a que tive no Viktoria faz com que apreciemos as coisas de uma forma mais intensa», admite Tomas. «Não ter dinheiro era mais fácil para mim do que para os colegas que tinham família para sustentar. Mas, ainda assim, havia uma renda de casa para pagar.» O lado positivo da situação, afirma, era a mentalidade da equipa. «O treinador não queria ouvir lamentos ou desculpas. Só queria que trabalhássemos no máximo. Na verdade, estou agradecido por tudo o que ele exigiu. Trabalhei e progredi.»
Seis anos após o sofrimento na segunda divisão checa, Vaclik transferiu-se do Basileia para o Sevilha, ao mesmo tempo que Petr Cech anunciava a reforma. As portas da seleção abriram-se ali.

2
Pavel Kaderabek (AP)

Pavel Kaderabek

Clube: Hoffenheim

Data de nascimento: 25.04.1992


Cresceu como médio no Sparta Praga, antes de receber o chamamento para se tornar numa presença obrigatória na defesa da seleção. O lateral esteve no Euro 2011 de sub19 e estreou-se pela equipa principal da Rep. Checa em 2014. «Não quero ser demasiado otimista, mas temos uma boa equipa», diz Kaderabek em relação ao Europeu. «Há jogadores que estão em clubes de bom nível na Europa e os que jogam na liga checa também me parecem ótimos.» Pavel esteve quatro meses parado, devido a lesão, mas chega ao torneio em bom nível. «Nunca estive tanto tempo de fora e senti-me inútil ao passar o tempo em frente à tv. Não foi um período fácil, mas estou de volta.»
Pavel Kaderabek casou-se com a Miss República Checa-2012, Tereza Chlebovská, em 2017.

3
Ondrej Celustka (AP)

Ondrej Celustka

Clube: Sparta Praga

Data de nascimento: 18.06.1989


Jogou na Premier League pelo Sunderland em 2013/14, teve experiências na Turquia e na Alemanha, mas nunca usufruiu de um período de utilização estável na seleção. «Não sei porque não tenho oportunidades», lamentou em 2019. «Não sou um fenómeno de uma temporada, tenho uma carreira.» O defesa tem uma tatuagem de duas mãos em posição de oração num dos ombros e sonha com os jogos nos grandes palcos. «Adoro os jogos em que a minha equipa está mesmo sob pressão. Não gosto de jogos amigáveis, gosto daqueles que parecem bombas a cair e que tudo é uma questão de vida ou morte - é disso que gosto.»
No Sunderland, Celustka foi treinado pelo polémico Paolo Di Canio. E teve sensações mistas. «Às vezes as coisas escaldam. Uma vez perseguiu um jogador nosso pelo túnel para começar uma zaragata. Outra vez, numa reunião tática com o plantel, o telemóvel dele começou a vibrar e ele não soube como pará-lo. Abriu a porta e atirou-o para fora da sala. O Paolo não facilita.»

4
Jakub Brabec (AP)

Jakub Brabec

Clube: Viktoria Plzen

Data de nascimento: 06.08.1992


Brabec estava destinado a liderar a seleção do seu país. Defesa central autoritário e dominante, muito comunicador, Jakub Brabec já era o capitão da equipa que chegou à final do Europeu de sub-19, em 2011. Figura central dessa geração - ao lado de Ladislav Krejci, Pavel Kaderabek e Jiri Skalak -, Brabec cimentou bastante cedo uma posição no Sparta, o clube que amou desde criança, e chegou a fazer um golo ao Slavia no dérbi de Praga. «Estive no Sparta desde a minha infância. Decidir um dérbi como decidi era o meu sonho. Era, aliás, o sonho de toda a minha família», afirmou o defesa. Depois de jogar fora do seu país com as camisolas de Genk (Bélgica) e Rizespor (Turquia), Brabec voltou em 2019 a casa. Mas não para o Sparta. O atleta está há dois anos no Viktoria Plzen.

5
Vladimir Coufal (AP)

Vladimir Coufal

Clube: West Ham

Data de nascimento: 22.08.1992


No passado mês de outubro, o defesa rumou ao West Ham por um valor a rondar os seis milhões de euros e juntou-se ao antigo colega no Slavia, Tomas Soucek. Oito meses depois, já é um dos favoritos dos adeptos. «Ele é uma grande personagem», disse o treinador David Moyes. «Quer ganhar todos os jogos, não interessa quem está do outro lado.» Em maio, Mark Noble elogiou a postura humilde de Coufal e Soucek. «Eles têm sido inacreditáveis. O Coufal é uma máquina, adora futebol. Ele e o Soucek são grandes camaradas, passam horas a jogar ténis com a cabeça. Montam a rede, jogam, depois treinam e a seguir vemo-los a apanhar o autocarro para Chigwell [cidade próxima]. Enviei uma foto do Coufal sentado na paragem do autocarro para um colega nosso. É de loucos.»

6
Tomas Kalas (AP)

Tomas Kalas

Clube: Bristol City

Data de nascimento: 15.05.1993


O capitão do Bristol assinou pelo Chelsea quando tinha só 17 anos. Já valia mais de cinco milhões de euros, mas acabou por reforçar apenas a rede de empréstimos dos blues: Sigma Olomouc, Vitesse Arnhem, Colónia, Middlesbrough e Fulham. Em 2018 foi também emprestado ao Bristol e um ano mais tarde assinou em definitivo pelo clube do Championship, por um valor de 9,3 milhões de euros. «Pensei que com os empréstimos e com a experiência acumulada podia, um dia, jogar mesmo no Chelsea. Fui aprendendo e a analisar o que se passava. Não fui um tolo em acreditar, mas a dada altura vi que isso não seria possível. Decidi que precisava de outra família. No Chelsea eu era uma espécie de tio muito distante», afirmou Kalas, que se estreou em 2012 pela seleção, frente à Eslováquia.

7
Antonin Barak (AP)

Antonin Barak

Clube: Hellas Verona

Data de nascimento: 03.12.1994


O médio sofreu com muitas lesões durante a formação, mas acabou por tornar-se um elemento importante no Slavia Praga. A Udinese contratou-o em 2017, por três milhões de euros, e tornou-o num médio com grande capacidade goleadora na Serie A. O Hellas Verona contratou-o e tem sabido aproveitar isso. No ano passado fez as manchetes dos jornais checos ao abandonar um programa de televisão em direto, onde fazia comentários sobre a Liga dos Campeões, para se juntar à namorada que acabara de dar à luz. «Estávamos a almoçar e ela começou a ter contrações, mas disse-me que estava tudo ok e que eu podia ir para os estúdios. Só que estava no ar e recebi um telefonema a dizer que tinha de ir a correr para o hospital. Assim foi.»

VÍDEO: o dia em que Barak abandonou um programa em direto

8
Darida (Reuters)

Vladimir Darida

Clube: Hertha Berlim

Data de nascimento: 08.08.1990


É o capitão e o jogador mais experiente da seleção. No Hertha construiu o nome ao ser o homem que mais quilómetros em campo fazia, no papel de 'carregador de piano'. Corria mais de 13 quilómetros por jogo, já nos tempos do Viktoria Plzen. Quando foi eleito o jogador checo do ano, em 2018, tornou-se apenas no segundo atleta a quebrar a hegemonia de Petr Cech nesse troféu durante mais de uma década. «Esta é a parte boa do futebol. Quanto mais nos dedicamos a ele, mais ele nos dá em troca», disse Darida. «Recebo este prémio como forma de recompensa pelo que tenho feito e prometo fazer ainda mais.»

9
Tomas Holes (AP)

Tomas Holes

Clube: Slavia Praga

Data de nascimento: 31.03.1993


Os últimos meses foram excelentes para Holes. Em 2019, quando trocou o Jablonek pelo Slavia, o lateral direito estava bloqueado por Vladimir Coufal e teve de esperar pacientemente uma oportunidade. «Às vezes nem convocado era», lembra o defesa, que teve mesmo de mudar de posição em campo para começar a ser chamado. Passou a ser médio-defensivo. Em abril marcou ao Arsenal, em Londres, depois marcou ao Sparta no dérbi de Praga e semanas depois soube que ia estar no Euro 2020. Depois do golo ao Arsenal, o seu irmão [Jiri] teve de enviar uma pequena carta a todos os habitantes do prédio onde mora, para pedir desculpa pelo barulho causado com os festejos. O pai de Tomas, Edvard, é o presidente da junta da pequena vila onde nasceu, Borovnice, e não esconde o orgulho por tudo o que o filho está a fazer. «Pelo menos não tivemos de pedir desculpas a ninguém, porque a nossa casa está rodeada pela floresta. Gritámos muito. Só tenho pena que o avô do Tomas não esteja aqui a celebrar connosco. De certeza que está muito feliz, lá em cima.»

10
Patrick Schick (AP)

Patrik Schick

Clube: Bayer Leverkusen

Data de nascimento: 24.01.1996


Depois da super transferência para a AS Roma em 2017, Patrik Schick teve de se adaptar ao estatuto de super estrela - os fãs italianos atiravam-se para cima do seu carro quando tinha de parar nos semáforos vermelhos. Schick não jogou muito no Sparta, mas quando a Sampdoria aceitou investir quatro milhões no seu passe, em 2016, a vida mudou. Quando era miúdo, Patrik detestava ter o pai na bancada a assistir aos jogos. «Ele vivia demasiado os meus jogos e quando eu fazia asneiras olhava para ele e via-o com as mãos a tapar a cara», contou um dia. «Isso deixava-me nervoso. Com 12 anos joguei um torneio pelo Sparta e a dada altura ouvi o meu pai a gritar-me qualquer coisa. Virei-me para ele e mostrei-lhe o dedo do meio.» Patrik Schik é o goleador da seleção checa e no verão passado transferiu-se para o Bayer Leverkusen por 26,5 milhões de euros.

11
Michael Krmencik (AP)

Michael Krmencik

Clube: PAOK

Data de nascimento: 15.03.1993


Krmencik inspirou-se em Fernando Torres quando jogava nas camadas jovens, mas teve grandes dificuldades em impor-se no Viktoria Plzen. «Eles pensavam que eu era um avançado móvel, por isso tive de adaptar-me», contou o ponta-de-lança. Conseguiu-o. Passou a jogar regularmente e foi um dos melhores jogadores do clube até ser vendido. Fortíssimo fisicamente, Michael Krmencik dedica tudo o que consegue na carreira ao seu padrasto. «Era muito exigente. Um dia isolei-me frente ao guarda-redes e tropecei nos meus próprios pés. O meu padrasto atirou os óculos ao chão.» Em 2021, Krmencik é agenciado pela companheira, que é quase tão implacável. «Estávamos no carro depois de um jogo e ela diz-me assim: 'Mais uma vez, estavas sempre a movimentar-te para o primeiro poste. Não o deves fazer'.» Em janeiro foi emprestado ao PAOK pelo Club Brugge e é uma opção sólida para o ataque no Euro 2020.


12
Lukas Masopust (AP)

Lukas Masopust

Clube: Slavia Praga

Data de nascimento: 12.02.1993


No início de maio, Masopust chegou às primeiras páginas dos jornais depois de ter sido a grande figura no dérbi de Praga. O treinador do Sparta foi claro. «O Masopust fez de nós parvos.» Homónimo da lenda do futebol checo, Josef Masopust, Lukas é um produto da formação do Jihlava, um clube famoso pelo bom trabalho que faz na formação. Ajudou o Jihlava a subir à primeira divisão, brilhou no Jablonec e mais tarde tornou-se figura-chave no Slavia. Aos 28 anos, e com lugar no Euro 2020, este é o momento em que poderá sair para o estrangeiro e juntar-se a Vladimir Coufal, um grande amigo. «Fomos vizinhos, colegas de quarto no clube e passávamos imenso tempo juntos. Éramos como irmãos.»

13
Petr Sevcik (AP)

Petr Sevcik

Clube: Slavia Praga

Data de nascimento: 04.05.1994


Sevcik foi um dia considerado muito baixo e muito débil para ser jogador da seleção da República Checa. Provou que os críticos estavam errados. Em 2019/20 marcou o golo decisivo para o título do Slavia e, apesar de uma lesão complicada, ajudou o clube a ganhar o seu terceiro título consecutivo (21º no total) ao longo da última campanha. Em março assinou um contrato de longa duração e parece em boa forma para o Euro 2020. Fora dos relvados, Petr leva uma vida muito calma e gosta sempre de voltar a Supikovice, onde nasceu. É lá que leva o filho em passeios de bicicleta e onde saboreia gulash [prato típico]. «Eu a jogar a Liga Europa?», perguntou em 2017. «Para um rapaz simples de Supikovice é uma experiência magnífica.»

14
Jakub Jankto (AP)

Jakub Jankto

Clube: Sampdoria

Data de nascimento: 19.01.1996


Jankto cresceu ao lado de Soucek no Slavia, mas as suas carreiras tomaram caminhos completamente diferentes. Enquanto Soucek saltitou por pequenos clubes e chegou já numa fase adiantada da carreira à Premier League, Jankto saiu logo aos 18 anos da República Checa para a Udinese, em Itália. «Foi a melhor opção que podia ter tomado», garante. «Tive de sair de casa e fui obrigado a tratar de tudo com as minhas mãos.» Jankto começou a poupar dinheiro e decidiu investir em propriedades, comprou um bar em Praga e criou uma equipa de esports. «Adoro futebol, mas não consigo pensar nele durante 24 horas. Gosto de pensar nos meus negócios também e, além disso, sempre fui um tipo frugal. Não gosto de gastar dinheiro em roupas ou jóias.» Jankto mudou-se para a Sampdoria em 2018, primeiro por empréstimo, e fez um golo logo na estreia.

15
Tomas Soucek (AP)

Tomas Soucek

Clube: West Ham

Data de nascimento: 27.02.1995


Um talento enorme, absolutamente decisivo para as esperanças checas. As declarações do médio em janeiro tornaram-se viral, depois de assumir ter passado grandes dificuldades em Inglaterra com a calendarização à volta do Natal. «Costumo ter três semanas de descanso nessa fase e aproveito para comer salada de batata na República Checa. Dias depois, divulgou a foto de uma salada de batata: 'Salad A La Soucek'. O pitéu foi servido na cantina do West Ham. Contratado em janeiro de 2020 pelo West Ham, por 20 milhões de euros, Soucek apanhou logo o primeiro confinamento e não pôde explorar a cidade de Londres. Nessa altura, Soucek passou os dias com a mulher Natalie e a filha Tereza a treinar na zona de Hackney Marshes, este de Londres. «Ouvi durante muito tempo que havia a tradição do 'Sunday league football', mas nessa altura não havia nada de parecido a acontecer. Há 50 relvados numa zona, é incrível. Treinava lá uma vez por dia, passava lá imenso tempo. Espero que a vida volte ao normal e que eu ainda possa ir lá ver os famosos jogos da 'Sunday League.»

Conheça melhor Tomas Soucek, protagonista da Rep. Checa.

16
Ales Mandous (Instagram)

Ales Mandous

Clube: Sigma Olomouc

Data de nascimento: 21.04.1992


Ales passou muitos anos a lutar até receber o devido reconhecimento. Depois de várias épocas a lutar, e a falhar, para agarrar a baliza do Viktoria Plzen, o guarda-redes saiu em 2015 para os eslovacos do Zilina. As coisas não melhoraram muito. Jogou sobretudo pela segunda equipa e em jogos das taças até decidir regressar em 2018 à República Checa, para o Sigma Olomouc. Esta época, surpreendentemente, foi a época da afirmação de Ales Mandous. O Sigma acabou a meio da tabela, mas Ales foi um dos melhores da equipa, mostrou grande qualidade a jogar com os pés e fechou o ano com várias clean sheets. Agora, de repente, está no Campeonato da Europa. «Passei da terceira divisão à seleção nacional. O próximo passo é jogar num bom campeonato estrangeiro, é um dos meus objetivos.»

17
David Zima (instagram)

David Zima

Clube: Slavia Praga

Data de nascimento: 08.12.2000


Foi um ano de loucos para o defesa de 20 anos. Em 12 meses, Zima acabou o secundário, tirou a carta de condução e passou da equipa de reservas do Sigma Olomouc, na terceira divisão, para defrontar o Arsenal e o Leicester na Liga Europa. Quando o Slavia decidiu pagar um milhão de euros por ele, David Zima foi genuíno: «Não posso valer tanto, não sou assim tão bom. Ainda bem que o Slavia pagou, mas eu não pagaria isso tudo por mim.» Em março, David fez a estreia absoluta na seleção principal, contra a Estónia, e muitos esperam que possa ser a médio prazo o líder da defesa. David também pode jogar como médio defensivo. Depois dos jogos contra o Leicester, em fevereiro, o defesa falou sobre os duelos que teve com Jamie Vardy. «Estou orgulhoso por ter defrontado o melhor avançado da Premier League, mas o Jamie é um jogador muito chato. Temos de estar em permanente alerta.»

18
Jan Boril (AP)

Jan Boril

Clube: Slavia Praga

Data de nascimento: 11.01.1991


Que viagem. Jan Boril jogou na segunda divisão com a camisola do Viktoria Zizkov, às ordens do agora selecionador Jindrich Trpisovsky, e depois seguiu-o para o Slavia. Em Praga tornou-se o líder da equipa, a partir da posição de lateral esquerdo. Faz todo o corredor, ataca bem e até marcou um golo ao Barcelona em outubro de 2019. O presidente Jaroslav Tvrdik elogiou-o depois da partida. «Não será possível suportar as brincadeiras dele depois desta exibição. Vai pedir-me outra vez para colocar a sua imagem na parede do estádio.» Nesse mesmo jogo, Boril mostrou o seu lado mais selvagem e levou um cartão amarelo depois de dar uma cotovelada a Lionel Messi no estômago. «Achei que nem lhe tinha tocado, mas agora toda a gente me diz que sim. Por isso só tenho de lhe pedir desculpa.»

VÍDEO: o golo de Boril ao Barcelona

19
Adam Hlozek (instagram)

Adam Hlozek

Clube: Sparta Praga

Data de nascimento: 25.07.2002


É o talento mais cintilante do futebol checo. Ótimo na relação com a bola, Hlozek é um ótimo finalizador e acabou a época com 11 golos marcados pelo Sparta, apesar da lesão na fase final da campanha. Estreou-se pela seleção principal em setembro, contra a Eslováquia, e passou a ser o mais jovem internacional de sempre pela República Checa. «Cumpri um sonho. Sempre desejei um dia representar o meu país ao mais alto nível e agora consegui-o», disse Adam. A afirmação do avançado não surpreendeu ninguém, de resto. É titular do Sparta desde os 16 anos, é considerado um prodigioso talento de forma unânime e foi ligado ao Liverpool antes do início do Euro 2020. Já foi destacado até na rubrica PS - Para Seguir, do Maisfutebol. «Quando era adolescente, para ser honesto, tremia antes de qualquer jogo. Agora não. Fico focado, não fico nervoso. Mudei a minha mentalidade e espero que isso apareça nas minhas exibições.»

20
Matej Vydra (AP)

Matej Vydra

Clube: Burnley

Data de nascimento: 01.05.1992


Contratado pela Udinese por quatro milhões de euros aos 19 anos, logo após ganhar o prémio de «Revelação do Ano» na República Checa pelas exibições no Banik Ostrava, Vydra teve de gerir uma enorme onde de entusiasmo gerada à sua volta. Não deixou a marca na Serie A, mas no Watford teve dois empréstimos com muitos minutos e golos, incluindo dois marcados ao Leicester num inesquecível play-off em 2013. «Às vezes brincamos e dizemos que esse jogo devia originar um filme. Aqueles últimos dez minutos foram... raros. Foi maravilhoso fazer parte disso, apesar de depois não termos ganho na final. Tudo acabou por ser inútil.» Nesta última época, o avançado ajudou o Burnley a manter-se na Premier League e chega ao Europeu em boa forma. Ele cresceu em Chotebor, apenas a 15 quilómetros da terra-natal de Tomas Soucek, Havlickuv Brod. Isto significa que a Premier League encontrou dois checos no mesmo distrito. Coincidência? «Se calhar bebemos uma água diferente na nossa região», disse Vydra em março.

21
Alex Král (AP)

Alex Král

Clube: Spartak Moscovo

Data de nascimento: 19.05.1998


Ajudado pelo look 'à David Luiz', Král rapidamente chamou a atenção durante o processo de formação. É um médio centro de boa qualidade técnica, forte no passe e muito bom no ar. Trocou o Slavia Praga pelo Spartak Moscovo em 2019, mas parece destinado a uma transferência ainda maior em breve. O nome de Král anda no bloco de notas de Newcastle, Everton e, claro, West Ham, onde jogam os colegas Soucek e Coufal. Está avaliado em 15 milhões de euros. Fez dupla no meio-campo com Soucek, no Slavia, e têm tudo para repetir o dueto ao serviço da seleção checa. «Não me surpreendeu a rapidez com que me impus na seleção», afirmou Král, sempre confiante. «Acho que o fator decisivo é a cabeça, a forma como o atleta se comporta fora do relvado.»

22
Ales Mateju (AP)

Ales Mateju

Clube: Brescia

Data de nascimento: 03.06.1996


Mateju assinou pelos ingleses do Brighton em 2017 e as coisas não funcionaram. No Brescia, porém, o atleta mostrou grande progresso e convenceu o selecionador checo a chamá-lo pela primeira vez à seleção em outubro de 2020, contra Chipre. Em Itália, os colegas de equipa não conseguem pronunciar o seu nome, por isso chamam-lhe Matthew. Apesar de jovem, Mateju passou por muito até chegar ao Euro 2020: apelidado de jovem prodígio, Ales quase acabou a carreira em 2018, depois de ter um grave acidente de viação quando conduzia alcoolizado. O eslovaco Nikolas Spalek também ia no carro. «Lembro-me das luzes a piscar, do silêncio e depois do assobio nos meus ouvidos, o terrível assobio», escreveu Mateju mais tarde. «O carro todo destruído e encolhido. A minha carreira podia ter acabado nesse dia, podia ter perdido tudo. Podia ter até acabado com a minha vida e com a vida de outra pessoa. Fiz asneira, mas aprendi.»

23
Tomás Koubek (REUTERS/Christopher Saidi)

Tomas Koubek

Clube: Augsburgo

Data de Nascimento: 26.08.1992

Gerou enorme polémica em 2016, quando decidiu uma decisão de uma árbitra assistente, Lucia Ratajova, dizendo que «o lugar das mulheres era no fogão, e não a arbitrar jogos de homens». O Sparta Praga, clube que representava então, colocou-o a treinar com a equipa feminina. «Sou emocional. Arrependo-me dessa frase, e peço desculpa a todas as mulheres. Não queria soar machista», disse depois.

Trocou o Sparta pelo Rennes em 2017, e dois anos depois assinou pelo Augsburgo, onde teve dificuldades de afirmação. A falta de competição fez com que perdesse estatuto na seleção, mas a lesão de Jiri Pavlenka valeu-lhe uma inclusão tardia na convocatória.

24
Pekhart (instagram)

Tomas Pekhart

Clube: Légia Varsóvia

Data de nascimento: 26.05.1989


Melhor marcador da liga polaca, Pekhart recebeu em março a primeira chamada à seleção nacional desde 2013. Ele enfrenta a impossível tarefa de ganhar a Patrik Schick um lugar no onze inicial, mas é um plano B que chega em excelente forma ao Europeu. «Na Polónia comparam-me ao Lewandowski», disse Pekhart em março. «Isso é demasiado! Ele é outra coisa.» Aos 31 anos, o Euro 2020 poderá ser a última oportunidade de Pekhart jogar numa grande competição de seleções, depois de uma carreira de globetrotter. Contratado pelo Tottenham ainda com idade de adolescente, Pekhart não conseguiu chegar à equipa principal dos Spurs e teve de procurar minutos na Alemanha, em Israel e em Espanha. «Se calhar já viajei demasiado. Não me faltam muitos sítios para visitar», disse Pekhart, que espera ter minutos no Europeu. «É a minha última oportunidade. Já não sou o mais novo da equipa, não tenho muitos anos de futebol pela frente.»

25
Jakub Pesek (AP)

Jakub Pesek

Clube: Slovan Liberec

Data de nascimento: 24.07.1993


Há muito apontado como um jogador de grande potencial, Pesek parece que só agora começa a dar razão a essas enormes expetativas. O médio recebeu a primeira chamada à seleção em setembro, quando todas as primeiras escolhas da seleção estavam confinadas, e respondeu à aposta com um golo à Escócia. A convocatória para o Euro 2020 é uma recompensa pela boa resposta e Jakub Pesek está determinado a dar seguimento a esta boa fase. Está no radar de clubes maiores, incluindo o Slavia. «Certamente que sim, penso em jogar a um nível mais alto e aproveitar esta fase. Joguei bem em jogos importantes e acredito que posso atrair o interesse de bons clubes.» Pesek explica o bom momento com o «encontro com a serenidade». «Deixei de querer fazer demasiado. Quando estava no Sparta aos 14 anos era o mais pequeno e continuei a ser o mais pequeno em todos os clubes. Isso foi um handicap para mim, até que percebi que podia tirar partido de outras coisas: velocidade, maturidade e inteligência.»

VÍDEO: o golo de Pesek à Escócia (aos 30 segundos)

26
Michal Sadilek (AP)

Michal Sadilek

Clube: PSV Eindhoven

Data de nascimento: 31.05.1999


Aos 16 anos, Sadilek deixou o Slovacko e foi para a academia do PSV, na Holanda. Ele foi o capitão em vários escalões da equipa de Eindhoven e em 2018 chegou ao plantel principal. No último ano foi emprestado ao Slovan Liberec e impressionou vários observadores. Enquanto lutava por um lugar no Euro 2020, Sadilek esteve no Europeu de sub-21. Os resultados foram maus, mas não abalaram a sua confiança. «Estar no Europeu seria fantástico, é o meu maior sonho», afirmou ainda antes de saber que estava nos convocados checos. «É incrível poder treinar ao lado dos melhores, como o Tomas Soucek. Aprendo todos os dias.»

Textos de Jan Podrouzek, que escreve para o iSport.cz

Siga-o no twitter

Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Escócia 7 jun, 00:23
Suíça 7 jun, 00:23
Suécia 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Bélgica 7 jun, 00:21
Turquia 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Croácia 7 jun, 00:19
Áustria 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45