Maisfutebol

Rio Ave: o regresso depois do acidente

1
Rio Ave (Facebook)

O Rio Ave caiu, levantou-se e um ano depois está de volta. O percurso na época passada até ao título de campeão da II Liga reforça a ideia de que a descida de divisão foi um acidente de percurso na história de um clube que habituou os adeptos a outro patamar e enriqueceu ao longo dos anos o campeonato português. Esta é, no entanto, a temporada em que a equipa terá de confirmar isso mesmo em campo.

Ao fim de treze temporadas seguidas no primeiro escalão, o Rio Ave caiu em 2021, numa época que tinha começado a disputar as competições europeias, depois do quinto lugar em 2019/20. O treinador escolhido para devolver o clube à Liga foi Luís Freire. Cumpriu a missão e continua ao leme de uma equipa que parte de uma boa base de trabalho, ao manter a estrutura da época passada, se não houver surpresas de maior até ao fecho da janela de transferências. Com exceções, claro, sobretudo na frente. Já não está Gabrielzinho e não está Pedro Mendes, o avançado cedido pelo Sporting que foi crucial na época passada mas não chegou a acordo para novo empréstimo até ao arranque da Liga. Com o processo a arrastar-se, o Rio Ave avançou para outra frente e contratou Leonardo Ruiz, avançado de provas dadas que chegou do Estoril e foi surpresa na apresentação aos adeptos.

O médio Guga Rodrigues, eleito melhor jogador da II Liga na época passada, continua em Vila do Conde, tal como o goleador Aziz e o guarda-redes Jhonatan, ambos agora em definitivo. Mantém-se a estrutura defensiva e a mistura de juventude e experiência, garantida por veteranos como Ukra, Vítor Gomes ou Aderllan Santos, em que assentou o percurso bem sucedido da última época.

Para já, o Rio Ave acrescentou opções para a defesa com dois jovens que chegaram do Benfica: central Miguel Nóbrega, em definitivo, e o lateral João Ferreira, que chega por empréstimo ao clube onde aliás começou o seu percurso na formação. Patrick William, jogador com mais experiência, é outra aposta para o centro da defesa.

O clube ainda continua a procurar reforçar o plantel para as exigências da época. Os sinais que chegam de Vila do Conde são de serenidade, com os responsáveis a repetirem a ideia de que o clube está a trabalhar para fazer um campeonato tranquilo e um bom percurso nas Taças, honrando as competições em que se destacou também ao longo da última década. Mas a abordagem ao mercado tem sido morosa e o facto é que o Rio Ave terá um mês de agosto intenso, defrontando Sporting e FC Porto nas primeiras quatro jornadas.

2
Rio Ave é campeão da II Liga

Classificação da época passada: Campeão da II Liga

Melhor classificação: 5º (1981/82, 2017/18 e 2019/20)

Presenças na I Divisão: 27

Objetivo: Manter o clube na Liga

3
Luís Freire (Rio Ave)

Treinador: Luís Freire

A fama precedia-o e Luís Freire fez-lhe justiça em Vila do Conde. O treinador que se distinguiu pelas várias subidas de divisão conseguiu mesmo levar o Rio Ave de volta à Liga. Renovou por duas épocas e aos 36 anos é o mais jovem treinador do campeonato. Será a sua segunda experiência no principal escalão e Luís Freire diz-se hoje mais preparado para o desafio.

Luís Freire começou o percurso de treinador muito jovem, primeiro como adjunto e depois a solo e em «casa», conduzindo o Ericeirense a duas subidas de escalão nos distritais de Lisboa. A tendência manteve-se no Pêro Pinheiro, subindo à divisão de Honra distrital e depois aos Nacionais. Veio mais uma época e mais uma subida, agora com o Mafra, para a II Liga. Seguiu-se o Estoril, para uma experiência menos feliz no segundo escalão, saindo a meio da época. Mas voltou a festejar uma promoção na temporada seguinte, quando liderou o Nacional na campanha que terminou mais cedo, por causa da pandemia. Estreou-se na Liga ao comando do clube madeirense, mas saiu com o Nacional na zona de despromoção, a dois meses de se consumar a descida.

No verão de 2021 assumiu o Rio Ave e voltou a ser feliz, naquela que foi a sétima subida de escalão da sua carreira. Agora, o treinador que ainda não completou a formação mas já acumulou muita experiência tem nova oportunidade de mostrar credenciais na Liga.

4
Banco de suplentes

Plantel

Clique aqui para ver o plantel completo

Entradas: Lucas Flores (Internacional Porto Alegre), Patrick William (Famalicão/Estoril), Miguel Nóbrega (Benfica B), Paulo Vítor (Valladolid, empréstimo), João Ferreira (Benfica, empréstimo), Leonardo Ruiz (Estoril);

Saídas: Ângelo Meneses, Zimbabwe, Sávio (Goiás, empréstimo), Gelson Dala, Alhassane Sylla (Moreirense), Gabrielzinho (Al Wasl), Nuno Namora (Felgueiras, empréstimo).

5
Paulo Vitor (Rio Ave)

Atenção a: Paulo Vítor

Tem 23 anos e chega a Vila do Conde por empréstimo do Valladolid. Será a primeira experiência de Paulo Vítor em Portugal, mas o extremo já tem muitas referências sobre o futebol nacional, bem familiar para o seu irmão mais velho Denilson, avançado que representou Tondela e Paços Ferreira.

Os dois irmãos tiveram percursos distintos. Ambos começaram no Fluminense, mas Paulo Vítor completou a formação no Vasco da Gama. Chegou à primeira equipa aos 17 anos e foi opção regular, num período em que chegou a defrontar Denilson, então no São Paulo. Nessa altura, Paulo Vítor falava ao Globoesporte sobre as diferenças entre ambos: «Eu sou mais nervoso, mais competitivo, não aceito perder. Se der para brigar, eu brigo. Sou mais estourado.»

Chegou a ser chamado à seleção sub-20 do Brasil e em 2018/19 rumou à Europa, para jogar em Espanha. Primeiro no Albacete, depois no Marbella e a seguir no Valladolid de Ronaldo Fenómeno, onde jogou na equipa B nas duas últimas temporadas. Terminou a época passada como melhor marcador da equipa no terceiro escalão do futebol espanhol, mas os oito golos que marcou em 31 jogos não impediram a descida de divisão.

6
Genéricas Maisfutebol

Equipa-tipo

Jhonatan;

Miguel Nóbrega, Aderllan Santos, Pedro Amaral;

Costinha, Vítor Gomes, Guga, Paulo Vitor;

Joca, Aziz, André Pereira

Maisfutebol
Alemanha: o guia 25 jun, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun, 00:00
Áustria: o guia 24 jun, 14:13
França: o guia 24 jun, 00:00
Portugal: o guia 23 jun, 20:41
Suécia: o guia 23 jun, 00:00
Suíça: o guia 23 jun, 00:00
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Turquia 7 jun 2021, 00:21
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51