Maisfutebol

Suíça: os jogadores

1
YANN SOMMER (AP)

YANN SOMMER

Data de nascimento: 17/12/1988

Clube: Borussia Mönchengladbach

Posição: Guarda-Redes

Desde a sua defesa decisiva ao penalti de Mbappé nos ‘oitavos’ do Euro que se tornou herói na Suíça e o jogador favorito de muitas crianças. Em termos desportivos, o guarda-redes do Gladbach é indiscutível desde 2014. No verão de 2022 rejeitou uma oferta do Manchester United, clube no qual seria suplente de David De Gea. Na sua vida privada é um fã do guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards, e ele próprio também toca guitarra e piano apaixonadamente. O seu pai já era guarda-redes na 3.ª divisão suíça. É casado com Alina e tem duas filhas.

2
EDIMILSON FERNANDES (getty)

EDIMILSON FERNANDES

Data de nascimento: 15/4/1996

Clube: Mainz

Posição: Médio

Primo do antigo internacional suíço Gelson Fernandes, vive um conto de fadas neste outono. Depois de uma odisseia de quatro anos e várias mudanças de clube, encontrou a sua casa em Mainz. O médio é regularmente utilizado como defesa. «É tranquilo no balneário, mas um grande homem», descreve o colega no Mainz, Silvan Widmer. Aos 20 anos, e com origens em Cabo Verde, deixou o Valais para se juntar ao West Ham. Transferências e empréstimos para Fiorentina, Mainz, Bielefeld e Young Boys seguiram-se antes do jogador de 25 anos ter mudado a sua sorte.

3
SILVAN WIDMER (AP)

SILVAN WIDMER

Data de nascimento: 5/3/1993

Clube: Mainz

Posição: Lateral/Ala-Direito

Aos 18 anos o defesa de Würenlos juntou-se à equipa principal do FC Aarau, na qual foi desafiado e encorajado por René Weiler. Apesar de oferta da Udinese, esperou para terminar o secundário. «Foi uma decisão super-difícil porque me levantou um peso nos ombros. Sabia que se não tivesse sucesso, podia voltar à Suíça ao Aarau ou ir para a universidade.» Mas Wimmer não voltou. Depois de alguns problemas iniciais afirmou-se na Udinese. Após uma lesão na cabeça, voltou a jogar, mas a agilidade tinha desaparecido. Em vez de Juventus ou Milan, o seu próximo clube foi Basileia. Em 2021 mudou-se para o Mainz, e ganhou um lugar a titular no Euro. No Mainz tornou-se um líder desde o início da época e até já foi capitão.

4
NICO ELVEDI (getty)

NICO ELVEDI

Data de nascimento: 20/9/1996

Clube: Borussia Mönchengladbach

Posição: Central

Tem as suas origens em Val Lumnezie no vale da montanha em Graubünden e cresceu no lago Greifensee perto de Zurique. O defesa central passou pela formação do Zurique antes de Lucien Favre o levar para o Borussia Mönchengladbach no verão de 2015, aos 19 anos. Elvedi ainda joga no clube. É um líder, mas nunca vai ser um orador. A calma com que se apresentou desde o primeiro jogo – contra o Bayern – valeu-lhe a alcunha “Kingfisher” na Alemanha. No Qatar vai celebrar a sua estreia em Mundiais e deve jogar ao lado de Akanji. Elvedi está com a sua namorada Alexandra, de Zurique, há seis anos. O irmão gémeo de Nico também é futebolista profissional – joga na Bundesliga 2 pelo Jahn Regensburg.

5
MANUEL AKANJI (AP)

MANUEL AKANJI

Data de nascimento: 19/7/1995

Clube: Manchester City

Posição: Central

A sua mãe é de Oberwinterhur, o seu pai da Nigéria – Manuel nasceu como o terceiro filho depois das suas irmãs Michelle e Sarah. O seu nome “Obafemi” significa «adorado pelo rei», e por isso tem uma coroa tatuada no antebraço esquerdo. Aos 11 anos transferiu-se do FC Wiesendangen para o Winterthur. Mas por meia época sentou-se no banco dos sub-18. Depois disso deu um salto de crescimento e disparou. Mas muitos críticos não acreditaram no potencial dele. Por isso tem «prova que estão errados» tatuado nas costas. Nem uma lesão nos ligamentos cruzados o fez descarrilar no Basileia. No início de 2018, quando só tinha 22 anos, mudou-se para o Borussia Dortmund – e agora para os campeões ingleses, o Manchester City. Na seleção, o internacional por 42 ocasiões tornou-se num líder defensivo. Akanji é casado com Melanie e pai de Aayden e Keeyan.

6
Denis Zakaria (Gregorio Borgia/AP)

DENIS ZAKARIA

Data de nascimento: 20/11/1996

Clube: Chelsea

Posição: Médio

O médio passa pela altura mais complicada da carreira. Depois de se ter afirmado no Borussia Mönchengladbach (146 jogos), mudou-se para a Juventus no início de 2022. Em Turim não convenceu. A falta de minutos também o está a afetar no Chelsea de Graham Potter. Uma lesão séria em Mönchengladbach foi outro contratempo na carreira. O médio box-to-box tem potencial enorme devido ao seu poder em penetrar e capacidade para ler o jogo. Murat Yakin queria-o como um jogador chave na sua equipa. Devido aos seus contratempos no clube perdeu a titularidade para Djibril Sow.

7
BREEL EMBOLO (AP)

BREEL EMBOLO

Data de nascimento: 14/2/1997

Clube: AS Mónaco

Posição: Ponta-de-lança

Breel Embolo, de 25 anos, tornou-se num dos líderes da seleção. Tirou o lugar a Haris Seferovic como titular habitual depois de se afirmar na seleção. O avançado do Mónaco marcou dois golos nos últimos jogos da Liga das Nações frente a Espanha e Rep. Checa. Na melhor forma da sua vida, «explodiu» na Ligue 1. Já fez mais de 130 jogos na Bundesliga. Embolo é rápido e poderoso, e pode ultrapassar os adversários com um passo. O avançado nasceu nos Camarões e mudou-se em criança para Basileia. O seu pai ainda vive em África e o seu jogo contra os Leões Indomáveis será um momento especial para o jogador e a sua família.

8
Remo Freuler (Getty)

REMO FREULER

Data de nascimento: 15/4/1992

Clube: Nottingham Forest

Posição: Médio

O médio de Zurique Oberland não se afirmou no Grasshopper, embora tenha marcado um golo no dérbi da cidade frente ao FC Zurique aos 18 anos. Freuler foi enviado para o Winterthur, clube da 2.ª divisão. No Luzern afirmou-se na divisão superior. A Atalanta contrato-o em 2016. Demasiado cedo, diziam os críticos. Freuler mostrou a todos que estavam errados. Tornou-se imediatamente titular na Serie A. Também tem um lugar habitual ao lado de Granit Xhaka na seleção. Foi azarado no Euro, tendo sido expulso nos “quartos” frente à Espanha por uma falta dura, mas não assim tão dura. Este verão, Freuler, que se tornou pai pela primeira vez há um ano, encontrou um novo desafio no recém-promovido Nottingham Forest.

9
Haris Seferovic e Joe Allen no País de Gales-Suíça (Darko Vojinovic/AP)

HARIS SEFEROVIC

Data de nascimento: 22/2/1992

Clube: Galatasaray

Posição: Ponta-de-lança

Com o seu decisivo golo na final do Mundial sub-17 em 2009 deu à Suíça o seu único título de um Mundial. Depois começou a odisseia pela Europa: Fiorentina, Xamax, Lecce, Real Sociedad e Frankfurt. Mais recentemente passou cinco anos no Benfica, sendo o melhor marcador do clube na época 2018/2019, a mesma em que foi campeão. Este verão mudou-se para o Galatasaray para ter mais minutos antes do Mundial. Mas na Turquia, depois de quatro jogos sem golos, é apenas suplente. Durante anos foi o principal avançado da seleção, mas agora tem forte competição devido à forma de Breel Embolo. Será o terceiro Mundial de Seferovic. O primeiro como marido e homem de família. Ele e a mulher Amina são pais de dois: a menina Inaya e o irmão Zayn, que nasceu em agosto de 2021.

10
Suíça-Portugal (MICHAEL BUHOLZER/EPA)

GRANIT XHAKA

Data de nascimento: 27/9/1992

Clube: Arsenal

Posição: Médio

O consagrado treinador Ottmar Hitzfeld atirou-o às feras, ainda antes dos 19 anos, em Wembley durante um jogo de qualificação para o Euro frente a Inglaterra. Desde aí o campeão mundial sub-17 não largou o seu lugar. O pai de Granit, Ragip, foi preso no Kosovo em 1986, aos 22 anos, durante um protesto contra o governo comunista da Jugoslávia, e sentenciado a seis anos de prisão. «Dele, eu e o meu irmão herdámos força mental», garante Granit Xhaka. Taulant Xhaka, dois anos mais velho, ainda joga pelo Basileia, mas representa a seleção da Albânia. No Euro 2016 houve uma luta de irmãos. Granit venceu por 1-0 e esta época tem estado em grande pelo Arsenal. Tem duas filhas com a sua mulher Leonita: Ayana (3 anos) e Laneya (1).

11
RENATO STEFFEN (AP)

RENATO STEFFEN

Data de nascimento: 3/11/1991

Clube: Lugano

Posição: Extremo/Médio ofensivo

No que toca a grandes torneios tem tido azar. O extremo estreou-se na seleção em outubro de 2015, falhou os europeus de 2016 e 2020 por lesão e foi dispensado antes do Mundial 2018. Para as coisas finalmente funcionarem mudou-se do Wolfsburgo, no qual era suplente, para o Lugano da liga suíça no verão. O Qatar, onde provavelmente será suplente de Ricardo Rodriguez, será o culminar de uma carreira impressionante. Steffen, ao contrário dos amigos na seleção, não esteve numa academia: depois de escola obrigatória, completou um curso de pintor e jogou na 3.ª e 4.ª divisão. Do Solothurn chegou à Bundesliga via Thun, Young Boys e Basileia. Agora o “pintor” Steffen, que ainda pinta de tempos em tempos, está no Mundial. Casou-se com Quendresa em 2019 e são pais de Lian (4 anos).

12
JONAS OMLIN (getty)

JONAS OMLIN

Data de nascimento: 10/1/1994

Clube: Montpellier

Posição: Guarda-Redes

Exatamente quatro semanas antes do início do Mundial, Omlin experienciou um momento de choque. Contra o Lyon, o guarda-redes do Montpellier lesionou-se no tornozelo e teve de ser substituído. Mas o jogador de Obwalden teve sorte e a lesão foi apenas uma entorse e a sua participação no Mundial não ficou em risco. Omlin estreou-se pela seleção pouco depois da sua transferência do Basileia para o Montpellier, em outubro de 2020, num amigável contra a Croácia. Este ano esteve entre os postes na derrota por 2-1 em Wembley e assegurou a vitória por 1-0 contra Portugal na Liga das Nações com boas defesas. Omlin está numa relação com a filha do antigo defesa René van Eck. Tornou-se pai pela primeira vez em dezembro de 2020 e casou-se em Lucerna no ano seguinte.

13
RICARDO RODRIGUEZ (getty)

RICARDO RODRIGUEZ

Data de nascimento: 5/8/1992

Clube: Torino

Posição: Lateral/Ala-Esquerdo

Tem pai espanhol e mãe chilena que morreu em 2016. Cresceu com os seus irmãos Roberto e Francisco num bairro de classe operária em Zurique. Os três tornaram-se profissionais. O canhoto Ricardo é, contudo, e de longe, o mais bem-sucedido. O Qatar será o seu terceiro Mundial como titular na seleção, além de dois europeus. O campeão do mundo sub-17 e melhor amigo de Granit Xhaka é um lutador. Horas depois de nascer teve de ser operado a uma hérnia no diafragma. Os médicos deram-lhe 50 por cento de hipóteses de sobreviver. Um tio colocou uma fotografia de Virgem Maria na sala da operação. Mais tarde fez uma tatuagem da mesma. Tem 30 anos e é capitão do Torino na Serie A. Com a companheira Nicole, é pai de Santiago (10 meses).

14
MICHEL AEBISCHER (AP)

MICHEL AEBISCHER

Data de nascimento: 6/1/1997

Clube: Bologna

Posição: Médio

Depois de uns primeiros seis meses intermitentes com o Bolonha, Aebischer joga regularmente agora na Serie A. O jogador de Friburgo passou pelos escalões de formação mais altos do Young Boys, começando nos sub-16. A 10 de setembro de 2016 estreou-se no campeonato frente ao FC Luzern. 194 jogos, 15 golos, 35 assistências, uma taça e quatro campeonatos depois, mudou-se para Itália. Conquistou tudo pelo clube de Berna. Pela seleção ainda só tem um papel de apoio, sendo dura a competição por um lugar no meio-campo.

15
DJIBRIL SOW (getty)

DJIBRIL SOW

Data de nascimento: 6/2/1997

Clube: Eintracht Frankfurt

Posição: Médio

O médio, de mansinho, assegurou o seu lugar a titular. O jogador de 25 anos tem tido um ano sensacional. Com o Eintracht tornou-se no primeiro suíço em 21 anos a vencer o segundo troféu europeu de clubes mais importante. Aos 18 anos, falhou em subir à primeira equipa do Zurique e mudou-se para o Borussia Mönchengladbach. A razão: Lucien Favre queria-o muito – só que o treinador suíço saiu quatro meses depois. Mas ainda foi importante para o crescimento de Sow viver sozinho pela primeira vez. Em 2018 o clube queria-o emprestar – até Stéphane Chapuisat entrar em cena. O Young Boys quis comprá-lo – e o diretor desportivo Max Eberl concordou. «Ainda hoje lhe dou crédito por não ter sid teimoso e autorizado a transferência», disse o agente de Sow. 1,6 milhões de euros voaram de Berna para Mönchengladbach. Mas foi um investimento que compensou: o Young Boys vendeu-o ao Frankfurt por 14 milhões de euros em 2019. Hoje o seu valor de mercado é superior. E a  tendência é aumentar.

16
Ruben Vargas

RUBEN VARGAS

Data de nascimento: 5/8/1998

Clube: Augsburgo

Posição: Ponta-de-lança

A fotografia andou pelo mundo: quando Ruben Vargas falhou o penalti contra a Espanha nos ‘quartos’ do Euro chorou baba e ranho. A sua mãe, Fabienne Della Giacoma, antiga participante nos europeus de trampolim admitiu: «Também fiquei triste quando o vi chorar assim. Mas também muito orgulhosa dele ter assumido a responsabilidade. Espero que continue a bater penaltis.» Conheceu o pai de Vargas quando jogava golfe; ele é da República Dominicana e um jogador de basebol semiprofissional. «O Ruben sempre teve um taco na mão desde os três anos, aprendeu a correr rápido, a ter timing e a ser coordenado. Ele também jogou ténis.» O caminho dos pais separou-se e Vargas beneficia de culturas diferentes: Suíça, República Dominicana e Itália – a sua mãe tem dupla nacionalidade. Vargas tirou um curso de pintor antes da carreira de futebolista. Na Suíça começou no FC Luzern, mas tem-se destacado no Augsburgo da Bundesliga.

17
CHRISTIAN FASSNACHT (getty)

CHRISTIAN FASSNACHT

Data de nascimento: 11/11/1993

Clube: Young Boys

Posição: Médio ofensivo/Extremo-Direito

O médio ofensivo chegou ao Mundial no último minuto. O jogador de 29 anos tem tido uma época difícil, marcada por lesões, e a sua audição ainda está afetada por uma severa concussão no ano passado. Durante os seus primeiros anos demorou a chegar a um clube grande e jogou como amador até aos 21 anos, assinando depois pelo Winterthur. Via Thun, chegou ao Young Boys, clube pelo qual ganhou quatro títulos e jogou na Liga dos Campeões. Teve um papel decisivo na reviravolta contra a França no Euro 2020 com duas recuperações de bola decisivas depois de entrar como suplente.

18
ERAY COEMERT (getty)

ERAY COEMERT

Data de nascimento: 4/2/1998

Clube: Valência

Posição: Central

Em 2016, o jogador formado no país estreou-se pelo Basileia. Depois disso foi inicialmente emprestado ao Lugano e depois ao Sion. Em todo o lado jogou com um nome falso: Era Cümart. Só depois do regresso ao Basileia em 2018 que Cümart se tornou Coemert. Como é que surgiu o erro? Quando os avós de Eray emigraram da Anatólia para a Suíça os nomes estavam documentados incorretamente nos papéis oficiais. Coemert tornou-se Cümart. Foi apenas em 2018 que a Turquia emendou o erro. Já como Coemert, fez a estreia na seleção em 2019 e mudou-se para o Valência em janeiro de 2022, no qual é titular no centro da defesa. Na seleção é o quarto central atrás de Akanji, Elvedi e Schär.

19
NOAH OKAFOR (getty)

NOAH OKAFOR

Data de nascimento: 24/5/2002

Clube: Salzburgo

Posição: Ponta-de-lança

O jovem jogador é a grande estrela ascendente da seleção e marca quase a pedido pelo Salzburgo no campeonato e Liga dos Campeões. Pés rápidos, forte no drible e um goleador. Agora o seu sonho de criança concretiza-se: o Mundial. «Em menino colecionava os cromos da Panini como um louco, e agora estou no álbum. Isso é especial», admitiu. Okafor está em alta. A única coisa que lhe dificultou esta época foi um dente do ciso dorido e que só vai ser retirado depois do Mundial. Tem dois irmãos mais novos, Elijah (19) e Isaiah (17), que tentam imitar o irmão. Ambos deixaram o Basileia no verão e tentaram a sua sorte na Alemanha. Elijah está nos juniores do Paderborn, Isaiah no Bayer Leverkusen.

20
FABIAN FREI (AP)

FABIAN FREI

Data de nascimento: 8/1/1988

Clube: Basileia

Posição: Médio defensivo

No Basileia chamavam-lhe “Cérebro” porque era um dos jogadores mais inteligentes – e geralmente tem resposta para tudo. Frei é nascido e criado em Fraunfeld e casou-se com a namorada de longa data, Muriel. O casal tem duas filhas, Mara e Lena. O pai de Frei, Markus, foi o treinador que levou os sub-17 da Suíça ao título europeu há 18 anos. Não admira que Fabian tenha crescido com uma bola. Via Fraunfeld e Winterhur chegou ao Basileia com 15 anos. Em maio de 2022 substituiu Massimo Ceccaroni como o recordista de presenças do Basileia.

21
GREGOR KOBEL (Getty)

GREGOR KOBEL

Data de nascimento: 6/12/1997

Clube: Borussia Dortmund

Posição: Guarda-Redes

Maturou-se como melhor guarda-redes no Borussia Dortmund, apesar de já ter jogado na Bundesliga pelo Hoffenheim, Augsburgo e Estugarda. Entretanto o seu valor de mercado de 22 milhões de euros é superior ao de Manuel Neuer (15). O pai de Kobel é um antigo jogador profissional de hóquei no gelo, Peter Kobel. Começou a jogar futebol no FC Seefeld, juntou-se ao GC Juniors aos oito anos e mudou-se para a Alemanha aos 16 anos porque os recordistas de títulos na Suíça não acreditavam nele. Kobel também jogou ténis, fez snowboard e jogou hóquei no gelo em criança. «Mas o meu pai sentiu que aí talvez não fosse muito talentoso.» O maior disparate que fez em criança: «Costumávamos disparar uma pistola de água com a janela aberta ou atirar balões de água para os comboios quando passavam em Zurique. No inverno fazíamos a mesma coisa com bolas de neve. Mas fora isso era bom rapaz…»

22
FABIAN SCHAR (GETTY)

FABIAN SCHÄR

Data de nascimento: 20/12/1991

Clube: Newcastle

Posição: Central

A sua carreira começou por puro acaso. O Wil II, clube da 6.ª divisão, tinha falta de jogadores. O treinador Axel Thoma, antigo colega do treinador campeão do mundo Jogi Löw no FC Schaffhausen, teve a recomendação do jovem de 16 anos, Schär. «Embora me tivessem dito que ele precisava de um pontapé no rabo». Schär impressionou com a sua tranquilidade e Thoma levou-o para a equipa principal. O forte central disparou. Wil, Basileia, Hoffenheim, Deportivo Corunha. Depois do Mundial 2018 mudou-se para o Newcastle na Premier League, tendo recentemente renovado contrato até 2024. Tornou-se de novo regular no clube desde que Eddie Howe assumiu os “Magpies”.

23
Suíça-Inglaterra (Hugo Delgado/Lusa)

XHERDAN SHAQIRI

Data de nascimento: 10/10/1991

Clube: Chicago Fire

Posição: Médio ofensivo/Extremo-Direito

Também é chamado de cubo do poder, anão mágico ou Messi alpino. Mas ele prefere XS, diz o driblador puro, que tem apenas 1.69 metros. A circunferência dos gémeos de Shaqiri já foi medido em 41.5cm. O jogador ofensivo foi descoberto em 2009 na FIFA Youth Cup, quando o super-talento do Basileia levou o clube ao troféu. Depois disso as coisas aconteceram rapidamente: Basileia, Bayern de Munique, Inter, Liverpool… joga agora no Chicago Fire da MLS. Mesmo aos 31 anos a seleção depende da sua criatividade e génio, e o suíço-kosovar é ainda o querido dos adeptos suíços. Ninguém passa tanto tempo a tirar selfies e a dar autógrafos. XS já estava na seleção para o Mundial 2010.

24
PHILIPP KOHN (getty)

PHILIPP KOHN

Data de nascimento: 2/4/1998

Clube: Salzburgo

Posição: Guarda-Redes

Beneficiou de várias lesões dos outros guarda-redes suíços esta época e viaja num papel incomum: é o quarto guarda-redes. Nascido em Dinslaken, Alemanha, uma cidade famosa pela sua pista de corridas e mina de carvão fechada, formou-se as academias do Duisburg e Schalke, juntando-se ao Estugarda com 15 anos. O treinador de guarda-redes da seleção suíça, Patrick Foletti, admite que Köhn é tímido, mas também um «guarda-redes muito moderno e muito forte com a bola nos pés». Jogou pelo Salzburgo na Liga dos Campeões, mas talvez tenha de se mudar para uma das principais ligas europeias para crescer ainda mais.

25
FABIAN RIEDER (getty)

FABIAN RIEDER

Data de nascimento: 16/2/2002

Clube: Young Boys

Posição: Médio

O jogador do Young Boys é considerado um dos maiores talentos da Suíça. O treinador do Basileia e recordista de golos pela seleção (42), Alex Frei, diz sobre ele: «Só há um jogador na liga que posso já dizer que vai ter um grande futuro à sua frente. Ficava em boas mãos no Bayern. Numa equipa de topo ia ter jogadores de classe mundial ao lado dele e podia crescer muito bem com eles». Completou um curso de comercial no seu clube, Young Boys.

26
ARDON JASHARI (getty)

ARDON JASHARI

Data de nascimento: 30/7/2002

Clube: Luzern

Posição: Médio

O jogador de 20 anos é a descoberta do futebol suíço deste ano. Só na última paragem de verão é que o treinador do Luzern Mario Frick o trouxe para a equipa principal e umas semanas depois tornou-se titular, sub-capitão e internacional suíço. «Agora não lhe conseguem parar a carreira», diz Frick. O filho de imigrantes macedónios faz lembrar um jovem Granit Xhaka. O capitão da seleção também é um dos exemplos de Jashari que se estreou na Liga das Nações frente à Chéquia. «O Granit é um grande exemplo e com ele aprendo muito.» Também aprecia muito Shaqiri como jogador. «Também o segui e via os seus jogos desde miúdo.» Se Jashari continuar sem lesões e não perder o foco será uma parte integrante da seleção a médio-termo.

 

Textos de Andreas Böni, Michael Wegmann, Ugo Curty e Christian Finkbeiner, que escrevem para o Blick.

 

Maisfutebol
Croácia: os jogadores 18 nov 2022, 16:13
Sérvia: os jogadores 17 nov 2022, 16:34
Bélgica: os jogadores 17 nov 2022, 15:08
Suíça: os jogadores 16 nov 2022, 13:36
Camarões: os jogadores 15 nov 2022, 15:46
EUA: os jogadores 15 nov 2022, 00:38
Irão: os jogadores 14 nov 2022, 23:24
Uruguai: o guia 11 nov 2022, 18:42
Gana: o guia 11 nov 2022, 15:09
Brasil: o guia 10 nov 2022, 21:39
Qatar: o guia 7 nov 2022, 10:43
Portugal: os jogadores 2 nov 2022, 00:32
Portugal: o guia 1 nov 2022, 23:42
Alemanha: o guia 25 jun 2022, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun 2022, 00:00
Dinamarca: o guia 24 jun 2022, 23:55
Irlanda do Norte: o guia 24 jun 2022, 16:02
Áustria: o guia 24 jun 2022, 14:13
França: o guia 24 jun 2022, 00:00
Países Baixos: o guia 23 jun 2022, 23:24
Portugal: o guia 23 jun 2022, 20:41
Inglaterra: o guia 23 jun 2022, 11:38
Suécia: o guia 23 jun 2022, 00:00
Suíça: o guia 23 jun 2022, 00:00
Itália: as jogadoras 22 jun 2022, 20:04
Suíça: as jogadoras 21 jun 2022, 23:28
Bélgica: as jogadoras 21 jun 2022, 23:17
Noruega: as jogadoras 20 jun 2022, 23:35
França: as jogadoras 20 jun 2022, 14:32
Dinamarca: as jogadoras 19 jun 2022, 22:20
Suécia: as jogadoras 17 jun 2022, 00:10
Islândia: as jogadoras 16 jun 2022, 23:17
Finlândia: as jogadoras 16 jun 2022, 15:14
Inglaterra: as jogadoras 16 jun 2022, 01:24
Portugal: as jogadoras 31 mai 2022, 18:34
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
Turquia 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51