Maisfutebol

Superliga: os homens por detrás dos 12 clubes fundadores

1
AC Milan-Atalanta (Lusa)

AC MILAN:

* por Pedro Jorge da Cunha

Proprietário: Elliott Management, EUA (desde julho de 2018)
Presidente: Paul Scaroni (desde julho de 2018)

Títulos principais: 18 campeonatos italianos; 5 taças de Itália; 7 Taças/Ligas dos Campeões; 2 Taças das Taças; 5 Supertaças Europeias; 4 Intercontinentais/Mundiais de Clubes.

Em 2017, o chinês Li Yonghong adquiriu o clube italiano a Silvio Berlusconi. O negócio envolveu uma verba a rondar os 740 milhões de euros. Para financiá-la, Yonghong recorreu a um hedge fund norte-americano e recebeu um empréstimo de 300 milhões. No ano seguinte, o homem de negócios oriundo da China falhou o pagamento de 32 milhões e o Elliott Management avançou para o controlo dos rossoneri, injetando logo 50 milhões de euros. O fundo dirigido por Paul Singer detém 99,93 por cento das participações do AC Milan.

2
8.º: Atlético Madrid (791 milhões de euros)

ATLÉTICO MADRID:

Proprietários: Miguel Angel Gil (51%), Idan Ofer (30%, desde 2017) e Enrique Cerezo (19%)
Presidente: Enrique Cerezo

Títulos principais: 10 campeonatos espanhóis; 10 taças de Espanha; 3 Ligas Europa; 1 Taça das Taças; 1 Taça Intercontinental; 3 Supertaças Europeias.

Em novembro de 2017, o magnata israelita Idan Ofer entrou no grupo proprietário do Atlético Madrid, adquirindo 15 por cento das ações numa primeira fase. O investimento totalizou 50 milhões e foi duplicado na época seguinte, quando Ofer – presidente da multinacional Quantum Pacific Group, que também está ligada ao Famalicão – passou a deter 30 por cento do capital. Ainda assim, o maior acionista é Miguel Angel Gil, filho do icónico Jesus Gil y Gil, histórico presidente dos colchoneros. O seu filho está ligado desde 1993 ao emblema de Madrid.

3
Arsenal-Slavia (Lusa)

ARSENAL:

Proprietário: Kroenke Sports, EUA (desde Agosto 2018)
Direção: Stan Kroenke, Josh Kroenke, Ken Friar e Lord Harris.

Títulos principais: 13 campeonatos ingleses; 14 taças de Inglaterra; 1 Taça das Taças; 1 Taça das Cidades com Feiras

Stan Kroenke, um milionário norte-americano de 73 anos, entrou na órbita do Arsenal em 2007 e em setembro de 2008 foi admitido oficialmente na direção. Kroenke foi adquirindo ações e preponderância nos gunners ao longo dos anos, até adquirir controlo absoluto em agosto de 2018. Kroenke é o dono de várias equipas norte-americanas (como os Denver Nuggets, na NBA) e comprou por 550 milhões de euros a participação do até então segundo maior acionista, Alisher Usmanov, um oligarca russo.

4
Champions: Chelsea-FC Porto (AP)

CHELSEA:

Proprietário: Roman Abramovich, Rússia (desde junho de 2003)
Presidente: Bruce Buck

Títulos principais: 6 campeonatos ingleses; 8 taças de Inglaterra; 1 Liga dos Campeões; 2 Ligas Europa; 2 Taças das Taças; 2 Supertaças Europeias

Há um ‘Antes de Abramovich’ e um ‘Depois de Abramovich’ na história de Chelsea. O magnata russo, de 54 anos, entrou no clube em julho de 2003 e os blues ganharam, desde aí, cinco dos seus seis campeonatos de Inglaterra. Elucidativo. Foi também na era-Abramovich que os londrinos ganharam a primeira e única Liga dos Campeões (2012) e as duas Ligas Europa (2013 e 2019). A respeitada revista Forbes escrevia, em janeiro de 2020, que Abramovich investira 250 milhões de euros da sua fortuna pessoal, só no ano de 2019.

5
Lionel Messi festeja com os colegas o 0-3 do Barcelona ante o Athletic (Julio Munoz/EPA)

BARCELONA:

Proprietário: FC Barcelona
Presidente: Joan Laporta

Títulos principais: 26 campeonatos espanhóis; 31 taças de Espanha; 5 Ligas dos Campeões; 4 Taças das Taças; 5 Supertaças Europeias; 3 Taças das Cidades com Feiras; 3 Mundiais de Clubes

O emblema catalão tem 144 mil sócios e são eles que ainda decidem, em última análise, a vida do clube. São eles que elegem o presidente, de seis em seis anos, e que votam em assembleia geral as decisões que lhes são apresentadas pela direção. Joan Laporta é o presidente recém-eleito (março de 2021) e será também ele a decidir se avança para esta Superliga. Qualquer vínculo ao torneio terá de ser submetido à magna reunião de associados. Os estatutos do clube não permitem a entrada de investidores no capital social.

6
Torino-Inter (Fabio Ferrari/LaPresse via AP)

INTER MILÃO:

Proprietários: Suning Holdings, China (68,55%, desde 2016) e LionRock Capital, Hong Kong (31,05%, desde 2019)
Presidente: Steven Zhang

Títulos principais: 18 campeonatos italianos; 7 taças de Itália; 3 Taças/Ligas dos Campeões; 3 Taças UEFA; 3 Intercontinentais/Mundiais de Clubes

O pesado legado da família Moratti, histórica proprietária do Inter, começou a ser desfeito em 2012. Aos pedaços. O primeiro consórcio internacional a investir no clube foi liderado pelo chinês Kenneth Huang mas, em 2013, 70 por cento do capital passou para as mãos do indonésio Erick Tohir, que já possuía o controlo do DC United, na Major League Soccer. O Inter passou por sobressaltos financeiros, maus resultados e em 2016 surgiu em cena o grupo Suning Holdings, também da China. Steven Zhang, representante da empresa, ascendeu a presidente do Inter em outubro, ainda antes da entrada da LionRock, a troco de um investimento de 150 milhões de euros.

7
7.º: Juventus (829 milhões de euros)

JUVENTUS:

Proprietário: Família Agnelli, Itália (desde 1923)
Presidente: Andrea Agnelli

Títulos principais: 36 campeonatos italianos; 13 taças de Itália; 2 Taças/Ligas dos Campeões; 1 Taça das Taças; 3 Taças UEFA; 2 Supertaças Europeias; 2 Intercontinentais

A família Agnelli ganharam o controlo da Juventus em 1923, 24 anos depois de fundarem a FIAT. Edoardo foi o primeiro Agnelli a presidir aos bianconeri e a dinastia dura já há um século. O atual Agnelli no poder, Andrea, é mais liberal nos costumes e na forma como está no desporto. Nos últimos anos tem permitido a entrada de pequenos investidores e acionistas, embora a família mantenha a larga maioria do capital da Juve.

8
Leeds-Liverpool

LIVERPOOL:

Proprietário: Fenway Sports Group, EUA (desde outubro de 2010)
Presidente: Tom Werner

Títulos principais: 19 campeonatos ingleses; 7 taças de Inglaterra; 6 Taças/Ligas dos Campeões; 3 Taças UEFA; 4 Supertaças Europeias; 1 Mundial de Clubes

A 6 de fevereiro de 2007, a família Moores – proprietária dos reds durante mais de 50 anos – vendeu a totalidade da sua participação aos norte-americanos George Gillet e Tom Hicks. O negócio foi avaliado em 253 milhões de euros e tirou pela primeira vez o Liverpool de mãos britânicas. Gillet e Hicks, cujo passado no desporto se resumia a investimentos no hóquei no gelo e em equipas da NASCAR, não caíram nas graças dos fiéis adeptos e afastaram-se em 2010. A 15 de outubro de 2010, o grupo Fenway Sports, também norte-americano, anunciou a compra de todas as ações a Gillet e Hicks por mais de 300 milhões de euros. O fundador do consórcio é John W. Henry, que a acumula a propriedade dos reds com a dos Boston Red Sox, famosa equipa de basebol.

9
Tottenham-Manchester United

MANCHESTER UNITED:

Proprietário: Família Glazer, EUA (desde maio de 2005)
Presidentes: Joel Glazer e Avram Glazer

Títulos principais: 20 campeonatos ingleses; 12 taças de Inglaterra; 3 Taças/Ligas dos Campeões; 1 Taça das Taças; 1 Liga Europa; 1 Supertaça Europeia; 2 Intercontinentais/Mundiais de Clubes

Malcolm Glazer, pai de Joel e Avram, entrou no United em 2003. Numa primeira fase, o empresário norte-americano adquiriu 28,7 por cento das ações, mas em maio de 2005 passou a ser acionista maioritário. Dono de uma fortuna colossal, criada sobretudo no mundo do investimento imobiliário, Glazer foi solidificando a presença no clube, até lograr o controlo total. De acordo com a Forbes, o magnata investiu à volta de 900 milhões de euros no United até à data da sua morte, em maio de 2014. Os filhos Joel e Avram assumiram a gestão do clube, mas a contestação aos Glazer nunca cessou. Um grupo de adeptos do United, aliás, criou outro clube de raiz, o FC United of Manchester, como forma de protesto à entrada do capitalismo selvagem em Old Trafford.

10
Borussia Dortmund-Manchester City (Lusa)

MANCHESTER CITY:

Proprietário: Sheikh Mansour, Emirados Árabes Unidos (desde 1 de setembro de 2008)
Presidente: Khaldoon Al Mubarak

Títulos principais: 6 campeonatos ingleses; 6 taças de Inglaterra; 1 Taça das Taças

A temporada 2008/09 foi a primeira do City nas mãos do Abu Dhabi United Group, o fundo de investimento detido pelo Sheikh Mansour, um membro da família real do emirato. Os petrodólares revolucionaram o emblema de Manchester e colocaram-no num patamar que nunca antes conhecera. O estádio, a academia, o plantel e o staff técnico passaram a estar ao nível dos melhores do mundo. E os resultados começaram a surgir. No capital social dos ingleses também há dinheiro norte-americano (Silver Lake, detentor de 12 por cento das ações) e chinês (através dos fundos CITIC Capital e China Media Capital).


11
Real Madrid-Barcelona

REAL MADRID:

Proprietário: Real Madrid CF
Presidente: Florentino Pérez

Títulos principais: 34 campeonatos espanhóis; 19 taças de Espanha; 13 Taças/Ligas dos Campeões; 2 Taças UEFA; 4 Supertaças Europeias; 7 Intercontinentais/Mundiais de Clubes

O clube é presidido desde 2000 por Florentino Pérez. Antigo engenheiro civil, Pérez fez fortuna no mundo da construção civil e tem uma fortuna avaliada em dois mil milhões de euros. Apesar de o Real Madrid não ter um proprietário individual, e pertencer aos seus quase 100 mil sócios, o clube tem sido gerido através das injeções financeiras de Pérez e das empresas que o têm apoiado ao longo destas duas décadas. Pérez saiu em 2006 e voltou em 2009 ao Real Madrid, mantendo-se até hoje ao leme dos blancos. Tem 74 anos.

12
Gareth Bale festeja o 1-0 no Tottenham-Crystal Palace (John Walton/EPA)

TOTTENHAM:

Proprietário: ENIC International, Bahamas (desde fevereiro de 2001)
Presidente: Daniel Levy

Títulos principais: 2 campeonatos ingleses; 8 taças de Inglaterra; 1 Taça das Taças; 2 Taças UEFA

De 2001 a 2007, o grupo controlado pelo milionário Joe Lewis passou de acionista maioritário a acionista totalitário. Apesar de ter um fundador inglês, o fundo está registado nas Bahamas. Atualmente, Lewis detém 70,6 por cento do capital do Tottenham e o restante pertence ao seu parceiro de negócios (e presidente dos Spurs) Daniel Levy. Apesar do enorme investimento feito no clube – estádio, centro de treinos, plantel, staff -, os resultados desportivos têm sido quase sempre dececionantes. O Tottenham ganhou uma Taça da Liga em 2008 e esteve na final da Liga dos Campeões em 2019. Perdeu para o Liverpool, outro dos signatários deste novo, e muito contestado, torneio europeu.



Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Suécia 7 jun, 00:23
Escócia 7 jun, 00:23
Suíça 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Turquia 7 jun, 00:21
Bélgica 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Áustria 7 jun, 00:19
Croácia 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45