Maisfutebol

Ucrânia

1
Bushchan (AP)

Georgiy Bushchan  

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 31.05.1994

Costumava ser conhecido como marido da bailarina Khrystyna Shyshpor, mas hoje em dia é uma celebridade em nome próprio: um guarda-redes de topo, titular no Dinamo de Kiev e, provavelmente, também na seleção.

Ao defrontar a Juventus, na época passada, para a Liga dos Campeões, pediu uma “selfie” a Buffon, que mais tarde escreveu-lhe uma mensagem a desejar sucesso para o futuro.

Bushchan é um leitor voraz, inclusive de clássicos. «Ler e desenvolver o pensamento ajudar a decidir mais rápido no campo», diz.

2
Sobol (AP)

Eduard Sobol

Clube: Club Brugge

Data de Nascimento: 20.04.1995

Quando apareceu no futebol profissional, ao serviço do Metalurh Zaporizhya, Sobol foi pretendido por Shakhtar e Dinamo. O defesa optou pelo emblema de Donetsk, ao qual está ligado desde 2013, mas passou a maior parte do tempo emprestado.

Em setembro de 2016 impressionou José Mourinho ao defrontar o Manchester United com a camisola do Zorya, na Liga Europa, mas foi no Club Brugge que atingiu o melhor momento de forma da carreira.

«Se tivesse de escolher alguém para ir para a guerra comigo, escolhia o Eduard», disse Clinton Mata, colega de equipa na Bélgica.

Ao falar do futuro, no ano passado, Sobol assumiu a vontade de jogar em Inglaterra: «Para já tenho de continuar a mostrar o meu valor na Bélgica, mas tenho lido notícias sobre o interesse de clubes da Premier League. Claro que quero jogar lá, vou lutar por isso. Se surgir uma oferta, aceitarei.»

3
Sudakov (instagram)

Heorhii Sudakov

Clube: Shakhtar Donetsk

Data de Nascimento: 01.09.2002

«Os sonhos tornam-se realidade. Acredita e trabalha». Foi assim que Sudakov descreveu as suas emoções ao receber a convocatória da seleção ucraniana. A decisão de Shevchenko causou alguma controvérsia entre os adeptos, tendo em conta que Sudakov só jogou 420 minutos pelo Shakhtar, na curta carreira profissional. Mas o selecionador diz que Sudakov «parece bom», e a verdade é que o jogador de 18 anos parece dar sorte, já que fez a estreia pelo Shakhtar na vitória sobre o Real Madrid, em outubro.

Em criança ganhou vários torneios de “Freestyle”, e a sua página de instagram está repleta de vídeos de truques com a bola ou golos espetaculares. Esses golos foram marcados quando era ainda mais novo, contudo, mas agora tem a possibilidade de mostrar o talento ao mais alto nível.

4
Kryvtsov (AP)

Serhiy Kryvtsov

Clube: Shakhtar Donetsk

Data de Nascimento: 15.03.1991

Tímido não é. Em 2018, no “ritual de iniciação”, o central levantou-se e cantou “Blue Eternity”, do falecido cantor de ópera Muslim Magomayev, conhecido como Sinatra soviético. «Poucos sabiam que Kryvstov sabia cantar assim. A sua prestação arrancou aplausos e gritos de “Bravo”», reportou a federação ucraniana.

Durante o confinamento andou a dar aulas de Educação Física, e em abril publicou uma fotografia da sua cara colada num fato de astronauta, com uma mensagem para Elon Musk: «Já disse antes que sonho viajar no espaço. Mas para ser um astronauta a sério… é como o futebol: uma coisa é correr com amigos ao fim de semana, outra é fazê-lo profissionalmente, sejam quais forem as condições. Como tal, aceita-me como turista espacial, Elon. Nada mais. Feliz Dia do Cosmonauta!», escreveu.

5
Sydorchuk (AP)

Serhiy Sydorchuk

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 02.05.1991

Sydorchuk estava de férias no Dubai, um dia, quando viu o ídolo, Steven Gerrard, mas a timidez fez com que não pedisse uma “selfie”. Ainda hoje recorda esse momento com um dos maiores lamentos da sua vida.

«Aconteceu de manhã, no hotel, quando estava a tomar o pequeno-almoço com a minha mulher, Anna. Pedi ovos mexidos e olhei para o chão enquanto esperava. Os futebolistas têm uma característica que os distingue: unhas dos pés em mau estado. Reparei em alguém que tinha as unhas piores do que as minhas, olhei para cima e ali estava ele. Imaginem só! Sou muito tímido, não fiz nada. Só mais tarde é que os meus pais foram ter com ele e pediram um autógrafo que ofereceram a mim e à minha esposa no nosso aniversário. É incrível, ele escreveu: “Para o Serhiy e para a Anna”», relatou o jogador ucraniano.

Sydorchuk viveu com os pais até aos 19 anos, num apartamento partilhado, pelo que decidiu comprar-lhes uma casa assim que teve capacidade para isso.

Pai de três crianças e cristão ortodoxo, o capitão do Dinamo é conhecido também por vestir um traje nacional bordado, no Natal, e recitar poemas religiosos aos seus seguidores do Instagram.

6
Liga das Nações: Ucrânia-Suíça (Sergey Dolzhenko/EPA)

Taras Stepanenko

Clube: Shakhtar Donetsk

Data de Nascimento: 08.08.1989

Na memória dos adeptos ucranianos ainda está o conflito com Yarmolenko antes do Euro2016. Quando o Shakhtar fez o 3-0 no clássico com o Dinamo, Stepanenko puxou a camisola para beijar o emblema de Donetsk em frente à bancada dos adeptos da equipa de Kiev. Isso gerou uma enorme confusão entre jogadores das duas equipas, com Stepanenko a levar um pontapé de Yarmolenko, que, por sua vez, levou um soco de Oleksandr Kucher, outro internacional ucraniano.

«Vou dizer isto ao país inteiro, aqui e agora: a minha amizade com Yarmolenko acabou», disse Stepanenko na altura.

Os dois jogadores fizeram as pazes depois disso, mas Stepanenko nunca foge à confrontação. Se olharmos para uma equipa como um corpo, o médio do Shakhtar é a espinha dorsal. E as bolas.

Nas férias gosta de viajar com a mulher, Margarita, que tem uma marca de roupa. Ler é outras das paixões de Stepanenko: «O mundo paralelo existe nos livros. Cada um tem o seu universo. Eu nunca me canso de descobrir esses novos mundos.»

7
Yarmolenko (AP)

Andriy Yarmolenko

Clube: West Ham

Data de Nascimento: 23.10.1989

Metade da Ucrânia adora-o, a outra metade considera que é um jogador sobrevalorizado. Seria sempre difícil com a reputação que tinha na academia do Dinamo, até porque um dos treinadores, sem pensar, colocou-lhe o rótulo de “novo Shevchenko”. Isto pesou muito no trajeto de Yarmolenko.

Ainda assim continua a ser um jogador icónico da sua geração, e embora tenha desiludido no West Ham, em parte devido às lesões, será uma das figuras da Ucrânia no Euro. Em outubro brilhou frente à Espanha, na Liga das Nações, e Shevchenko avisou que quer mais.

Oleksandr Karavayev, colega de equipa, apoiou-o publicamente: «O Andriy tem uma enorme experiência, e a sua qualidade está à vista de toda a gente. É uma verdadeira estrela do futebol ucraniano. Enquanto estiver bem, será a nossa força. Tem um desejo enorme de ajudar a equipa.»

8
Ruslan Malinovskyi (AP)

Ruslan Malinovskyi

Clube: Atalanta

Data de Nascimento: 04.051993

Associado ao Chelsea de Thomas Tuchel, numa transferência estimada em mais de 20 milhões de euros, Malinovskyi chega ao Euro em boa forma, depois de uma sequência de jogos a marcar e a assistir na Serie A.

A esposa, Roxana, reclama responsabilidade nesta sequência, já que revelou ter prometido que cozinhava um bolo por golo marcado.

Filho de músicos, Ruslan sempre gostou de cantar, em criança implorou para entrar para o coro local.

O selecionador ucraniano, Andriy Shevchenko, perspetiva um grande verão para o pupilo: «Tornou-se um verdadeiro líder. A imprensa italiana elogia-o muito. Este Europeu será uma verdadeira montra para o Ruslan: se ele impressionar sabe que os maiores clubes vão bater-lhe à porta.»

Para já a esposa, Roxana, apaixonada por alta costura, mantém o desejo de abrir uma boutique em Bérgamo, chamada “Mali by Roxana Malinovska”. «Planeio isto há algum tempo. Espero que, depois da pandemia, ajude a dar uma nova vida à cidade. Mesmo que o Ruslan venha a sair, posso sempre manter a loja e voltamos quando quisermos. Estamos apaixonados por esta cidade.»

9
Yaremchuk (AP)

Roman Yaremchuk

Clube: Genk

Data de Nascimento: 27.11.1995

Principal ativo do Genk, o avançado de 1,91m parece preparado para render dezenas de milhões após o Europeu: Arsenal, Wolves, Roma, Lazio e Sporting têm acompanhado a sua evolução.

Formado no Dinamo Kiev, mudou-se para a Bélgica em 2017. «Marcar é a minha responsabilidade direta. O meu pão e a minha manteiga. Em caso de emergência posso recuar para o meio-campo, mas os flancos não foram feitos para mim. Tentei uma vez e não me senti bem», referiu.

«Estou preparado para o Euro. Estamos preparados para o Euro. Temos de ser realistas, ainda assim. Bélgica, França e Inglaterra são favoritas, mas temos de colocar o foco em passar a fase de grupos. Sou o principal avançado, a jogar para uma lenda como Shevchenko. É uma honra e uma enorme responsabilidade. 44 milhões de compatriotas esperam que não os desiluda», afirmou.

10
Mykola Sharapenko (instagram)

Mykola Shaparenko

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 04.10.1998

Nasceu na região de Donetsk mas foi parar à academia do rival Dinamo de Kiev. Na adolescência era conhecido sobretudo pelo cabelo pelos ombros, e quando o cortou, em 2019, a imprensa “caiu-lhe em cima”. «Não percebo isto. Estavam sempre a dizer-me para cortar o cabelo, e agora, que o cortei, é esta confusão toda. É tudo uma questão de crescimento», disse então o jogador, que depois quase deixou crescer novamente o cabelo até aos ombros. «Não tenho a certeza. Assim que o cortei entrei em pânico. Não queria que as pessoas me vissem e usava capuz. Vou deixá-lo crescer novamente? Talvez sim, talvez não». Para já a resposta é não.

Sharapenko é também conhecido pelas tatuagens, sendo que uma delas carrega um significado especial: uma imagem do próprio, em criança, tatuada na perna esquerda com um fundo de casas e a inscrição: «Blessed. For Mykola» (Abençoado. Para o Mykola). Sharapenko diz que é uma forma de recordar os tempos difíceis da infância e até onde chegou.

Estreou-se pela seleção ucraniana em 2018, frente a Marrocos.

11
Marlos (AP)

Marlos

Clube: Shakhtar Donetsk

Data de Nascimento: 07.06.1988

O ala brasileiro chegou ao Metalist Kharkiv em 2012, assinou pelo Shakhtar em 2014 e tornou-se cidadão ucraniano em 2017, estreando-se pela seleção nesse mesmo ano.

É um verdadeiro talento, mas nos últimos anos tem estado limitado pelo problema de costas que tem desde que criança.

Quando volta ao Brasil para ver a família leva sempre a bebida ucraniana Horilka para oferecer. Os familiares garantem que Marlos se comporta mais como ucraniano do que brasileiro, mas não foi fácil aprender a conviver com a neve. «Nem queria acreditar no frio que fazia, quando cheguei. A primeira vez que vi neve foi inesquecível. Todos os miúdos brasileiros sonham com a neve. Para dizer a verdade, até pensava que era preciso pegar nela e guardá-la. Não pensei que derretesse. Mas agora já estou habituado. Não é como se fosse um planeta diferente», afirmou, em 2015.

O israelita Manor Solomon assumiu que, ao chegar ao Shakhtar, pensou que Marlos tinha nascido na Ucrânia. «Depois vi as fintas dele e percebi que não era possível», explicou.

12
Pyatov (AP)

Andriy Pyatov

Clube: Shakhtar Donetsk

Data de Nascimento: 28.06.1984

Se o Euro2020 tivesse sido disputado no ano certo, Pyatov teria sido o titular indiscutível da Ucrânia. Mas muito mudou ao longo do último ano: perdeu a titularidade no Shakhtar e os concorrentes na seleção amadureceram. Tendo isso em conta, Pyatov pretende retirar-se após o Euro, mas para já continua a ser uma presença essencial, dada a sua experiência e capacidade de liderança.

Pyatov foi um dos três guarda-redes ucranianos que testaram positivo à covid-19 no final do ano passado, obrigado a seleção a incluir Oleksandr Shovkovskiy, antigo guarda-redes e agora treinador, de 45 anos, na ficha de jogo para o particular com a França.

Em 2014 Pyatov foi uma das estrelas de um anúncio da Pepsi, ao lado de Lionel Messi.

13
Zabarnyi (AP)

Illia Zabarnyi

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 01.09.2002

Tirando treinadores ligados à formação, na Ucrânia, e os olheiros mais atentos, Zabarnyi era um perfeito desconhecido há um ano. Só que algumas lesões entre os elementos mais experientes do Dinamo de Kiev fizeram-no saltar para as primeiras escolhas, com um protagonismo tal que foi incluído numa lista dos 50 melhor estreantes na Liga dos Campeões.

«A minha mãe enviou-me esse artigo mas não prestei muita atenção. As pessoas falam muito disso, mas não vejo nada de especial. Claro que é bom, mas não me leva a lado nenhum», reagiu Illia.

A passagem do Dinamo à fase de grupos da Liga dos Campeões rendeu um prémio que o defesa comentou de forma curiosa: «Se tiverem em conta aquilo que eu ganho habitualmente, esse bónus corresponde a dez anos de salário.»

Bastante destemido, disputou o clássico com o Shakhtar com uma máscara na cara, depois de ter partido o nariz, mas ao fim de alguns minutos tirou a proteção e arrancou para uma exibição empolgante.

14
Yevhen Makarenko (federação ucraniana)

Yevhen Makarenko

Clube: Kortrijk

Data de Nascimento: 21.05.1991

Confiança não lhe falta: nos treinos da seleção está sempre a tentar mostrar que é tão bom quanto os jogadores mais evoluídos da equipa, como Yarmolenko ou Zinchenko.

Opção válida para o meio-campo ou para a defesa, deixou o Dinamo em 2016, de forma pouco pacífica: «Saí porque fui tratado de forma desumana. Não quero voltar a esse assunto.»

Mudou-se então para a Bélgica, para o Kortrijk, e em 2018 assinou pelo Anderlecht, mas na última temporada voltou ao Kortrijk por empréstimo. «Tinha de voltar. Não sou do tipo de jogar que fica muito tempo no banco sem a possibilidade de mostrar o que vale», explicou.

O Kortrijk não vai ficar com Makarenko, no entanto, com o treinador Matthias Leterme a dizer mesmo que o internacional ucraniano passou a época toda com o travão de mão puxado, a pensar no Euro.

Makarenko passou parte do período de confinamento a ensinar receitas aos seguidores do Instagram.

15
Tsygankov (AP)

Viktor Tsygankov

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 15.11.1997

Desde os tempos do lendário Valeriy Lobanovskyi que os adeptos do Dinamo têm uma superstição: qualquer equipa de sucesso precisa de um ruivo. Como tal, assim que saísse da academia do clube, o extremo Tsygankov estava destinado a receber uma atenção especial dos treinadores e dos adeptos.

Viktor não desiludiu, e quando Yarmolenko foi para a Alemanha tornou-se logo uma referência no ataque do Dinamo. É conhecido como um profissional exemplar, que adora o seu cão, um labrador chamado Lucky.

Tsygankov nasceu em Israel, onde o pai, Vitaliy, que era guarda-redes, jogava então.

«O Viktor é um dos jogadores mais talentosos que já treinei. A sua condição física nem sempre esteve à altura, mas isso está a mudar, ele está mais forte. Pode jogar ao mais alto nível», disse Mircea Lucescu, treinador do Dinamo, no passado mês de maio.

16
Vitaliy Mykolenko (AP)

Vitaliy Mykolenko

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 29.05.1999

Na escola não esteve atento às aulas de história, e ainda hoje é recordado por uma entrevista televisiva na qual falhou a data do colapso da União Soviética e da independência da Ucrânia.

Em todo o caso é um dos talentos emergentes do país, e ainda hoje se fala da exibição contra Portugal, o ano passado. Mostrou toda a sua qualidade nessa noite, mas tem sentido problemas para apresentar-se regularmente a esse nível.

No passado mês de maio apanhou um enorme susto, ao sair lesionado da final da Taça da Ucrânia com suspeitas de fratura no braço, que os exames não confirmaram.

Revelou ter investido o prémio da qualificação para o Euro2020 num carro novo, para substituir o Subaru Forester de 2005: «Era o meu sonho.»

17
Zinchenko (AP)

Oleksandr Zinchenko

Clube: Manchester City

Data de Nascimento: 15.12.1996

A estrela incontestada da equipa. A mãe, que o levou para a Rússia de forma a fugir da guerra na região de Donbass, supervisionou os treinos durante um período de enorme convulsão. «Fui rígida com ele, mas ele sabia que tinha de fazer sacrifícios para chegar lá», afirmou.

Em casa não ostenta o estatuto de celebridade, mas exerce uma autoridade natural na equipa e é o capitão mais jovem da história da seleção ucraniana.

Oleksandr representa também metade do casal mais mediático do futebol ucraniano, tendo em conta que a esposa, Vlada, tem feito carreira no jornalismo desportivo.

Contratado pelo Manchester City em 2016, ao modesto Ufa, por dois milhões de euros, Zinchenko recebeu elogios recentes de Pep Guardiola: «É um talento excecional. Podia ter saído do clube no início da época. Havia uma proposta, mas ele lutou pela permanência, disse que queria ficar. Isso significa muito. Pode fazer várias posições, nunca se queixa, não comete erros, ouve sempre e está constantemente focado e concentrado», disse o técnico do Man City.

Conheça melhor Zinchenko, o protagonista da Ucrânia.

18
Roman Bezus (AP)

Roman Bezus

Clube: Gent

Data de Nascimento: 26.09.1990

Jogou a um nível soberbo nos playoffs da Liga belga, ajudando o Gent a qualificar-se para a edição inaugural da Conference League.

A convocatória para o Euro2020 surgiu de forma dramática: estava num avião para a Turquia quando foi enviada a mensagem a dizer que ia substituir o lesionado Vitaliy Buyalskiy.

Em criança era fã da Roma e de Francesco Totti, por isso não foi nenhuma surpresa que estava particularmente motivado para ser um dos melhores jogadores do Gent frente à equipa italiana, na Liga Europa.

O jogador de 30 anos gosta de mudar a aparência, sobretudo o corte de cabelo.

Pai de três filhos, inspirou-se nos autores dos evangelhos, Lucas e Mateus, para escolher os nomes dos rapazes mais velhos, sendo que o terceiro foi uma homenagem a São Cirilo. Relativamente à criança mais nova, Bezus diz que podia ter sido o protagonista do filme “Sozinho em Casa”.

19
Artem Besedin (AP)

Artem Besedin

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 31.03.1996

Suspenso por doping o ano passado, marcou dois golos no primeiro jogo após o regresso. É difícil pensar em alguém que tenha beneficiado mais com o adiamento do Euro2020.

Já protagonizou alguns momentos negativos, incluindo o vídeo viral em que aparecia a ser espancado por um grupo de desconhecidos.

«Foi algo que aconteceu há alguns anos. Que esse vídeo seja uma lição para jovens rapazes e raparigas, para que não andem com más companhias», disse depois.

Oleksandr Sevidov, que o treinou no Metalist, descreveu-o recentemente como alguém «muito complicado». «É trabalhador e talentoso, mas complexo, por natureza», sustentou.

Besedin rejeitou qualquer erro seu no caso de doping: «Foi a caminho de um jogo. Disse ao médico que a minha dor de cabeça estava pior, mas a mala dele estava na bagageira, e não podíamos parar porque estávamos atrasados. Ele acabou por dar-me um comprimido que estava no estojo de primeiros socorros, mas o fim das contas era um comprimido errado», justificou.

O avançado descreveu o último ano como difícil: «Privaram uma pessoa de fazer aquilo de que mais gosta. Mas tive o apoio da minha família e do clube.»

20
Oleksandr Zubkov (AP)

Oleksandr Zubkov

Clube: Ferencvaros

Data de Nascimento: 03.08.1996

Um extremo “voador” que podia ter sido ginasta, algo de que desistiu em prol do futebol, quando era criança.

Jogou a final da Youth League 2015, que o Shakhtar perdeu para o Chelsea, mas em vez de esperar por uma oportunidade na equipa principal do emblema de Donetsk, decidiu dar um passo atrás e ir para a Hungria. A aposta resultou: as prestações ao serviço do Ferencvaros têm despertado atenções, e, para além disso, teve a oportunidade de defrontar Barcelona e Juventus na Liga dos Campeões.

«Em quanto é que me avalio? Cinco milhões», afirmou.

É um grande fã de rap, mas também diz que o seu sonho é conhecer os lutadores Floyd Mayweather e Conor McGregor.

A primeira chamada à seleção ucraniana foi descrita como «um sonho de infância tornado realidade».

21
Oleksandr Karavaev (AP)

Oleksandr Karavaev

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 02.06.1992

Poucos ousam assinar pelo Dinamo depois de uma carreira no Shakhtar, mas “Kara” é um dos desses casos, a par do treinador Mircea Lucescu.

Quando era jovem foi “chumbado” no Shakhtar, mas depois acabou por assinar. Não jogou muito, no entanto, e teve quatro empréstimos, incluindo o Fenerbahçe (com Dick Advocaat), antes de assinar pelo Zorya Luhansk, em 2017, e depois anos depois pelo Dinamo.

A carreira não foi bem pelo caminho que Karavaev imaginava, na verdade. «Em criança sonhava ser advogado. Mas depois, ao perceber quão complicado era o Direito, decidi esta vida. O futebol não é tão complicado, embora seja preciso pensar», disse em 2017.

22
Mykola Matviyenko (AP)

Mykola Matviyenko

Clube: Shakhtar Donetsk

Data de Nascimento: 02.05.1996

Nasceu na Crimeia, onde os pais ainda vivem. Foi associado ao Arsenal há um ano, mas o Shakhtar não cedeu na negociação. A esposa, Anna, não escondeu a desilusão: «Sonhei estar sentada no Emirates a ver o meu marido a jogar.»

«Por vezes ouvimos o mister Shevchenko a contar histórias daquela lendária equipa do Milan. Ouvimos sempre com grande interesse. Claro que gostaria de jogar num clube tão grande, numa liga de topo, mas não posso dizer muito mais. Tudo o que posso fazer é captar a atenção de uma equipa como essas e deixar o meu empresário tratar do resto».

O compatriota e colega de seleção Oleksandr Zinchenko é padrinho de batismo da filha de Matviyenko.

23
ANATOLII TRUBIN, guarda-redes do Shakhtar Donetsk, de 19 anos, utilizado em cinco dos seis jogos da fase de grupos. O jovem guardião manteve a sua baliza inviolada em três ocasiões

Anatoly Trubin

Clube: Shakhtar Donetsk


Data de Nascimento: 01.08.2001

Não há muitos guarda-redes de 19 anos que possam dizer que mantiveram a baliza inviolada frente a Inter de Milão e Real Madrid. A ascensão de Trubin coincide com o declínio de Pyatov. Anatoly tornou-se o capitão mais jovem da história do Shakhtar, com 18 anos, e foi eleito o Jogador do Ano em 2020.

Não é provável que fique muito tempo no clube de Donetsk, de resto, tendo em conta a crescente lista de clubes atentos, entre os quais Arsenal, Chelsea e os dois clubes de Milão, para além do Bayer Leverkusen.

Em Itália chamam-lhe mesmo o “Gigi Donnarumma ucraniano”, mas Trubin desvaloriza: «São apenas rumores, e não tenho tempo para rumores. O Donnarumma é o Donnarumma, e eu sou eu. Não sou o Donnarumma da Ucrânia, sou o Trubin da Ucrânia», respondeu.

24
Oleksandr Tymchyk (instagram)

Oleksandr Tymchyk

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 20.01.1997

Natural de uma pequena localidade, teve de trabalhar arduamente para dar nas vistas, antes mesmo de entrar na academia do Dinamo. Depois passou por vários empréstimos antes de conquistar o seu espaço, mas a qualidade é evidente.

Teve uma estreia memorável pela seleção, no ano passado, ao assistir o golo de Yarmolenko frente à Suíça, na Liga das Nações.

«Ir ao Euro é um sonho. Estou bem fisicamente, a 100 por cento. Graças a Deus não tenho preocupações nesse aspeto. Por isso só me resta trabalhar e dar o meu melhor. Qualquer jogador sonha com o Euro», afirmou.

25
Denys Popov (instagram)

Denys Popov

Clube: Dinamo Kiev

Data de Nascimento: 17.02.1999

Meteu Junior Moraes no bolso logo num dos primeiros jogos pelo Dinamo. O avançado tinha trocado a equipa de Kiev pelo Shakhtar, pelo que Popov tornou-se logo um herói para os adeptos da equipa da capital, que até fizeram tshirts para imortalizar essa prestação.

Comparado ao “Incrível Hulk» pelos músculos e pelo temperamento, Denys assume que fica facilmente de cabeça quente.

Contratado a época passada pelo Dinamo, o brasileiro Clayton ficou pasmado com a capacidade física do colega: «No Brasil comemos muita massa antes dos treinos, mas aqui é tudo sopa. Olho para o Popov e é incrível. Estava sentado, a conversar com o Gerson, e ele sussurrava-me: “Como é que ele ficou assim só a comer sopa? Que sopa será? Brincámos muito com isso», afirmou.

Fundamental no título mundial de sub-20 conquistado pela Ucrânia, Popov foi namorado da judoca ucraniana Daria Bilodid, e tem sido associado ao Milan nos últimos meses.

26
Artem Dovbyk (AP)

Artem Dovbyk

Clube: Dnipro

Data de Nascimento: 21.06.1997

Uma raridade na seleção ucraniana: um jogador que chegou ao topo do futebol ucraniano sem passar pelo Dinamo ou pelo Shakhtar.

Formado na academia do Cherkaskyi Dnipro, Dovbyk também jogou na Moldávia e na Dinamarca, e fez a estreia pela seleção no passado mês de março, frente ao Cazaquistão, em jogo de apuramento para o Mundial.

Poucos esperariam que fosse convocado para o Euro2020, mas a lesão de Junior Moraes abriu-lhe as portas, oferecendo-lhe a oportunidade de impressionar.

Clubes de Itália, França e Bélgica já o observaram.

«As emoções ficaram ao rubro quando fui chamado. Temos três avançados na equipa, por isso a luta por um lugar vai ser dura, mas vou lutar por ele. Se tiver uma oportunidade é certo que vou marcar», referiu.

Textos de Serhii Shvets, que escreve para o ua-football.com.

Siga-o no twitter.

Maisfutebol
Finlândia 7 jun, 00:24
Suíça 7 jun, 00:23
Suécia 7 jun, 00:23
Escócia 7 jun, 00:23
Dinamarca 7 jun, 00:23
Espanha 7 jun, 00:22
Ucrânia 7 jun, 00:22
Itália 7 jun, 00:22
Países Baixos 7 jun, 00:22
Bélgica 7 jun, 00:21
Turquia 7 jun, 00:21
País de Gales 7 jun, 00:20
Rep. Checa 7 jun, 00:20
Polónia 7 jun, 00:20
Croácia 7 jun, 00:19
Áustria 7 jun, 00:19
Hungria 7 jun, 00:19
Rússia 7 jun, 00:19
Alemanha 7 jun, 00:18
Eslováquia 7 jun, 00:18
Inglaterra 7 jun, 00:18
França 7 jun, 00:17
Portugal 20 mai, 23:45