Maisfutebol

Uruguai: o guia

1
Uruguai (AP)

O PLANO

O Uruguai chega ao Qatar 2022 com uma equipa em desenvolvimento e à descoberta. Tem um plantel dividido entre históricos e estreantes. Para Fernando Muslera, Diego Godín, Martín Cáceres, Luis Suárez e Edinson Cavani será o quarto Mundial. Para Sergio Rochet, Mathías Olivera, Federico Valverde, Nicolás de la Cruz, Facundo Pellistri e Darwin Núñez, todos titulares, será o primeiro. Além disso há Rodrigo Bentancur que, aos 19 anos, se estreou no Rússia 2018. Por outro lado, tem a qualidade para se apresentar no Qatar com uma equipa que pode surpreender no mundial. Contudo, falta tempo para encontrar as prestações ideais.

O selecionador diz que o Uruguai viaja para ser campeão mundial. «Os jogadores e eu queremos ser campeões mundiais. Vamos para ganhar. Se queres ganhar tens de te preparar para isso. Somos uma equipa com muita esperança e crença em nós próprios. Acredito muito nos meus jogadores. O Uruguai vai ganhar o Mundial.» Estas declarações, proferidas em maio, causaram uma expectativa singular nos adeptos. Pode o Uruguai ser campeão do mundo? Sem dúvida. Tem possibilidades de chegar à decisão. Nesta altura da época as prestações individuais das suas maiores figuram fazem sonhar alto. Contudo, Diego Alonso precisa que os jogadores trabalhem como uma equipa a sério e isso é o aspeto que gera incerteza.

Diego Alonso está há nove novos na seleção. É um período curto, mas gerou mudanças na estrutura da equipa e no seu futebol. No último jogo usou o 4-4-2, o que faz crer que faça o mesmo frente à Coreia do Sul a 24 de novembro. O maior contratempo da seleção foi a perda de Ronald Araújo por lesão, mas o defesa do Barcelona foi convocado o que abre perspetivas de utilização.

2
O selecionador do Uruguai, Diego Alonso (AP Photo/Matilde Campodonico, Pool)

O SELECIONADOR: DIEGO ALONSO

Construiu uma carreira rápida e de sucesso no México (2014-2019). Mais tarde David Beckham levou-o para o Inter Miami. O técnico sabe como passar a ideia ao jogador e é um grande motivador. Gosta que as suas equipas sejam protagonistas com bola. Varia entre o 4-4-2 e o 4-3-3. Gosta de pressionar a saída adversária e toma vantagem dos erros dos mesmos. Oferece um futebol intenso. Gosta de médios ou avançados que joguem por fora com velocidade e que são excelentes no um-contra-um. O caso mais claro é o de Facundo Pellistri: incluiu-o na sua primeira convocatória em janeiro e fez dele titular, algo que não é no Alavés.

3
Fede Valverde (AP)

ESTRELA: FEDE VALVERDE

As exibições no Real Madrid transformam-no na figura da seleção. Vai jogar o seu primeiro Mundial, mas está no nível das grandes estrelas. O Uruguai depende do seu talento e habilidade goleadora para construir um caminho de sucesso. Está num grande momento. É o líder futebolístico da seleção e um dos melhores jogadores do mundo. Entende o seu papel e está muito bem.

4
Rodrigo Bentancur (AP)

HERÓI DISCRETO: RODRIGO BENTANCUR

É a alma da seleção e líder silencioso com o carisma de um vencedor. É tudo o que está bem. Multifuncional. Todo-o-terreno. Joga como médio por dentro ou no exterior. É frequentemente utilizado por Diego Alonso como duplo ‘6’. Dá ao meio-campo da seleção uma consistência única e nesta época, no Tottenham, acrescentou os golos de cabeça às suas armas. Na seleção é o parceiro de Valverde, numa parceria que partilharam desde a juventude porque são da mesma geração.

5
Genéricas Maisfutebol

ONZE PROVÁVEL

4-4-2

Sergio Rochet; Damián Suárez, José María Giménez, Sebastián Coates, Mathías Olivera; Federico Valverde, Mathías Vecino, Rodrigo Bentancur, Nicolás de la Cruz; Luis Suárez e Darwin Núñez.

6
Estádio Lusail

POSIÇÃO SOBRE O QATAR

O treinador e jogadores do Uruguai não comentaram as situações dos direitos humanos e condições dos trabalhadores migrantes no Qatar. A federação uruguaia também não se expressou sobre o assunto, nem partilhou qualquer posição oficial. Na seleção uruguaia não é costume comentar estes assuntos, como a guerra ou, neste caso, os problemas no Qatar.

7
Uruguai (AP)

HINO NACIONAL

O poeta uruguaio Francisco Acuña de Figueroa foi quem escreveu os versos do hino nacional. O primeiro projeto foi apresentado em 1830, no ano do juramento da constituição do país, mas foi modificado devido a violentos ataques na sua carta a Brasil, Portugal e Espanha. A primeira versão oficial foi aprovada em 1833. Finalmente, a 12 de julho de 1845, o autor aprovou a segunda e última reforma dos versos, utilizados desde aí como definitivos. As letras do hino são populares no país e um forte sinal de identidade. Os jogadores cantam-no entusiasticamente antes dos jogos, bem como os adeptos. Com o poder da voz, “Orientais, a Terra Mãe ou a campa! Liberdade ou com glória para morrer!” representa um grito de rebelião do país, neste caso por 11 jogadores em campo.

8
Uruguai-Arábia Saudita

LENDAS DE CULTO: NASAZZI, OBDULIO VARELA E SUÁREZ

José Nasazzi, Obdulio Varela e Luis Suárez, cada um na sua geração, são heróis do futebol uruguaio. O “Marechal” Nasazzi, campeão nos Jogos Olímpicos de 1924 e 1928, e campeão do Mundo em Montevideu em 1930, é um símbolo da geração de ouro dos tricampeões do mundo. Obdulio Varela era a expressão de beleza na final do Mundial 1950 no Maracanã. Luis Suárez é a reencarnação de ambos. É o herdeiro a uma raça de extraordinários futebolistas e a melhor expressão da “Garra Charrúa”.

Textos de Luis Eduardo Inzaurralde, editor do El Observador.

Maisfutebol
Croácia: os jogadores 18 nov 2022, 16:13
Sérvia: os jogadores 17 nov 2022, 16:34
Bélgica: os jogadores 17 nov 2022, 15:08
Suíça: os jogadores 16 nov 2022, 13:36
Camarões: os jogadores 15 nov 2022, 15:46
EUA: os jogadores 15 nov 2022, 00:38
Irão: os jogadores 14 nov 2022, 23:24
Uruguai: o guia 11 nov 2022, 18:42
Gana: o guia 11 nov 2022, 15:09
Brasil: o guia 10 nov 2022, 21:39
Qatar: o guia 7 nov 2022, 10:43
Portugal: os jogadores 2 nov 2022, 00:32
Portugal: o guia 1 nov 2022, 23:42
Alemanha: o guia 25 jun 2022, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun 2022, 00:00
Dinamarca: o guia 24 jun 2022, 23:55
Irlanda do Norte: o guia 24 jun 2022, 16:02
Áustria: o guia 24 jun 2022, 14:13
França: o guia 24 jun 2022, 00:00
Países Baixos: o guia 23 jun 2022, 23:24
Portugal: o guia 23 jun 2022, 20:41
Inglaterra: o guia 23 jun 2022, 11:38
Suécia: o guia 23 jun 2022, 00:00
Suíça: o guia 23 jun 2022, 00:00
Itália: as jogadoras 22 jun 2022, 20:04
Suíça: as jogadoras 21 jun 2022, 23:28
Bélgica: as jogadoras 21 jun 2022, 23:17
Noruega: as jogadoras 20 jun 2022, 23:35
França: as jogadoras 20 jun 2022, 14:32
Dinamarca: as jogadoras 19 jun 2022, 22:20
Suécia: as jogadoras 17 jun 2022, 00:10
Islândia: as jogadoras 16 jun 2022, 23:17
Finlândia: as jogadoras 16 jun 2022, 15:14
Inglaterra: as jogadoras 16 jun 2022, 01:24
Portugal: as jogadoras 31 mai 2022, 18:34
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Turquia 7 jun 2021, 00:21
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51