Maisfutebol

País de Gales: os jogadores

1
Wayne Hennessey (AP)

WAYNE HENNESSEY

Data de nascimento: 24/1/1987

Clube: Nottingham Forest

Posição: Guarda-Redes

Tornou-se o terceiro galês a ter 100 internacionalizações, em março, e o seu melhor amigo no plantel, Gareth Bale, não ia falhar a ocasião. Antes do pontapé de saída foi presenteado com um chapéu de ouro, entregue pelo seu herói na infância, Neville Southall. Bale, substituto nessa noite de Cardiff, fez questão de fazer 'barulho' após o jogo, empurrando o guarda-redes para a frente da bancada Canton, para que pudesse desfrutar do momento. «O Bale quis estar envolvido neste grande momento do melhor amigo», disse Rob Page. «Foi igual quando Bale chegou aos 100 jogos».  A prestação heróica de Hennessey frente à Ucrânia, insiste Bale, foi das melhores que já viu. É suplente de Dean Henderson no Forest, clube que tem três galeses no Mundial.

2
Chris Gunter (AP)

CHRIS GUNTER

Data de nascimento: 21/7/1989

Clube: AFC Wimbledon

Posição: Lateral / Defesa Central

O jogador de campo mais velho do grupo, Gunter tornou-se o primeiro galês a chegar às 100 internacionalizações, frente ao México, no ano passado. Depois desse marco foi presenteado com uma pintura de Owain Fon Williams, mostrando o seu memorável gesto de 'cabeça erguida' após a derrota frente à Inglaterra, no Euro 2016. Produto da formação do Cardiff, apareceu pela mesma altura de Aaron Ramsey, e viveram juntos quando estavam no Tottenham e Arsenal, respetivamente. Gunter foi o padrinho no casamento de Ramsey em Antígua, em 2014, onde acabaram por realizar um jogo na praia, com alguns dos convidados. «Ficou tudo um bocado sujo, e no fim nem acabámos o jogo», disse Gunter. As presenças por Gales podem ter diminuído nos últimos anos, mas mesmo agora, a jogar na quarta divisão, permanece um dos pilares da equipa, o 'segurança da equipa'. Tem vários rituais, incluindo tocar na bandeirola de canto mais próxima de si em ambas as partes.

3
Neco Williams (AP)

NECO WILLIAMS

Data de nascimento: 13/4/2001

Clube: Nottingham Forest

Posição: Lateral/Ala

Optou por sair de Anfield no verão, ao fim de 13 anos, para se reunir com o seu antigo treinador nos sub-11 e sub-12, Steve Cooper, no Nottingham Forest. A sua primeira sessão de treino começou mal, já que apareceu no treino com chuteiras azuis. «Chamou-me e bem à atenção», disse recentemente ao The Sunday Times. «O meu pai estava furioso porque tinha acabado de me comprar aquelas chuteiras, e na semana seguinte teve de me ir comprar umas pretas». Nascido em Cefn Mawr, uma vila ao lado de Wrexham, Williams podia ter jogado por Inglaterra, mas iria sempre ignorar essas abordagens. «Não queria nada disso porque a minha família é galesa», disse. Lateral ou ala vagabundo, feliz em qualquer um dos flancos, usa o número 7 pelo Forest, que tem três jogadores na seleção. O seu irmão mais novo, Keelan, é defesa nos sub-21 do Burnley.

4
Ben Davies (AP)

BEN DAVIES

Data de nascimento: 24/4/1993

Clube: Tottenham

Posição: Lateral Esquerdo / Defesa Central

Fluente em galês e de carácter inteligente, estudou Matemática A quando ainda estava no Swansea City, e no seu último ano foi-lhe dado um diploma 2 em 1 em Economia e Gestão pela Universidade Aberta. Conduz um carro elétrico e já disse: «Tento usar tão pouco plástico quanto consigo». O seu colega de clube e seleção, Joe Rodon, insiste que a inteligência de Davies lhe pode valer uma carreira como treinador. «Será treinador um dia, prometo», diz Rodon. Davies também era talentoso no râguebi, e ajudou a sua escola em Neath a chegar à final da Taça Galesa dois anos seguidos, depois de regressar da Dinamarca. Os pais de Davies, Alun e Eryl, continuaram com bilhete cativo no Swansea, mesmo depois de Ben sair para o Tottenham em 2014. Mudaram-se para a Dinamarca quando Ben tinha oito anos, e jogou lá pelo Viborg. Davies acredita que a importância de jogar em campos indoor de andebol, no inverno, ajudou a sua técnica e os movimentos. O 'Sr. Fiável' de Gales, começará o torneio como titular no lado esquerdo da defesa a três, um papel pelo qual tem impressionado também com Antonio Conte no Tottenham.

5
CHRIS MEPHAM (AP)

CHRIS MEPHAM

Data de nascimento: 5/11/1997

Clube: Bournemouth

Posição: Defesa Central

Representa, talvez, o maior triunfo da equipa B do Brentford, construída pelo falecido diretor Robert Rowan para desenvolver jogadores descartados pelas equipas principais de outros clubes. Nascido em Hammersmith, é elegível para jogar por Gales através dos avós paternos. Foi dispensado pelo Chelsea aos 14 anos e rejeitado por Watford e QPR. Em 2018 contou ao Guardian algumas dessas experiências: «O outro plano que tinha era o QPR, a minha equipa de infância. Reuniram-se comigo e disseram: 'Quando queremos recrutar alguém, olhamos para algo e tentamos desenvolver. Mas não vemos nada em que podemos trabalhar contigo'. Isso foi muito difícil de ouvir». Chris recuperou, ainda assim, e juntou-se ao Bournemouth, proveniente do Brentford, por 12 milhões de libras, em 2019. Assinou recentemente um novo contrato e é bom amigo do colega de equipa e seleção, Kieffer Moore.

6
Joe Rodon e Kasper Dolberg no País de Gales-Dinamarca (Peter Dejong/AP)

JOE RODON

Data de nascimento: 22/10/1997

Clube: Rennes

Posição: Defesa Central

No Rennes sente-se em casa, até porque os adeptos cantam o hino bretão «Bro Gozh ma Zadou», que tem o mesmo tom de Hen Wlad Fy Nhadau, o hino galês. «Falaram-me sobre isso no dia em que assinei, mas pensava que estavam a brincar», disse. «Foi brilhante, não conseguia acreditar». Rodon vem de uma família de desporto: o seu avô jogou pelo Bradford, o tio Chris pelo Brighton e o seu irmão mais velho, Sam, estava na formação do Swansea. O seu pai, Keri, jogou basquetebol pelo País de Gales. Rodon, antigo portador de bilhete de época do Swansea, cuja primeira experiência profissional surgiu no Cheltenham, da League Two, jogou râguebi na escola e impressionou no atletismo, mas estava destinado ao futebol. Afixou uma carta de rejeição da federação galesa na porta do seu quarto até ser convocado para os sub-17, e essa determinação tem sido evidente desde aí. «Um jogador que admirava muito a crescer era o Sergio Ramos», disse.

7
Joe Allen

JOE ALLEN

Data de nascimento: 14/3/1990

Clube: Swansea City

Posição: Médio

Vários momentos aqueceram as almas dos adeptos de Gales nos últimos anos, mas nenhum mais do que quando Dafydd Iwan, o cantor folk por trás do arrepiante hino do Mundial, «Yma O Hyd», conheceu Allen no estágio depois do apuramento. «Como estão as galinhas?», perguntou Iwan, enquanto Allen o cumprimentava. «Sim, estão vivas, obrigado», respondeu. Allen esteve destaque há seis anos, quando apareceu na capa da revista «Chicken & Egg». Relevou então que ele e a agora esposa, Lacey, cuidavam de dois galos e 12 galinhas, e tinham nomes para todos, incluindo um chamado Silkie Steve. «Ambos tínhamos interesse no bem-estar dos animais, mas ela teve a ideia de resgatar galinhas, e concordei que era algo que devíamos fazer», disse. «Não tínhamos galinhas em criança, mas queríamos salvar algumas depois de terminarem a sua vida comercial». Parte da mobília da seleção de Gales, Allen regressou em junho, ao Swansea (clube ao qual se juntou pela primeira vez aos nove anos), depois de sucessos no Liverpool e Stoke.

8
Harry Wilson (AP)

HARRY WILSON

Data de nascimento: 22/3/1997

Clube: Fulham

Posição: Médio Ofensivo

Tornou-se o mais jovem internacional por Gales depois de se estrear contra a Bélgica, aos 16 anos e 207 dias, uma semana depois de Ian Rush ligar-lhe a anunciar a convocatória. “Estava assim: ‘Como é que lhe chamo? Chamo-lhe Ian? Chamo-lhe Rushy? Não sabia mesmo o que lhe chamar», disse numa entrevista em 2019. Houve muito ruído sobre ele desde que assinou pelos sub-9 do Liverpool, e muitos viram mais cedo o seu talento. O avô, Peter, ganhou 12.5 mil libras por ter apostado 50 libras que Wilson, na altura com 18 meses, ia jogar pela seleção. Viveu com Mason Mount quando jogava no Derby County, sob o comando de Frank Lampard, e faziam desafios do Masterchef. Assinou pelo Fulham, por 12 milhões de libras, no ano passado, e foi influente na equipa de Marco Silva, que regressou à Premier League à primeira tentativa. Tem jogado como falso 9 por Gales.

9
Brennan Johnson (AP)

BRENNAN JOHNSON

Data de nascimento: 23/5/2001

Clube: Nottingham Forest

Posição: Extremo/Ponta-de-lança

Os elogios continuam a surgir para o elétrico ponta-de-lança, que se estava a tornar imparável quando ajudou o seu clube de infância a regressar à primeira divisão, 23 anos depois. Johnson representou a Inglaterra nos sub-16 e sub-17, mas escolheu Gales através dos avós, nascidos em Powys. As perguntas sobre a sua atitude sem bola foram respondidas há muito, sendo que uma fase a jogar como médio, aos 16 anos, no Forest, ajudou. Os seus sprints aterrorizaram as defesas de Países Baixos e Bélgica, e, ainda que esteja à procura de replicar essa forma na Premier League, é válida a discussão em torno da titularidade. O pai de Johnson, David, começou a carreira no Manchester United, no qual se tornou amigo de David Beckham, que apoia muito o avançado. Depois de falhar a convocatória para o Euro 2020, Johnson está decidido em deixar a sua marca. «Ajudou-me a melhorar imenso», diz Johnson sobre o seu treinador no Forest, Steve Cooper.

10
Aaron Ramsey (AP)

AARON RAMSEY

Data de nascimento: 26/12/1990

Clube: Nice

Posição: Médio

Adorado no seu país, mas marginalizado pelos clubes nos últimos anos, o jogador natural de Caerphilly continua a corresponder pelo seu país nos grandes momentos. Ajudou na vitória frente à Turquia, em Baku, no Euro 2020, e a sua sumptuosa volta para lançar Brennan Johnson em junho foi típica da sua categoria. Tornou-se o terceiro galês a jogar pela Juventus depois de John Charles, que esteve no Mundial 1958, e Ian Rush. A sua estadia de três anos em Turim, onde viveu no mesmo condomínio de Cristiano Ronaldo, ficou marcada por lesões, e acabou por levar ao empréstimo ao Rangers. Assinou por uma época com o Nice, no verão. «Sei o que sou capaz de fazer, já jogo há muito tempo», disse. Foi cortejado pela equipa de râguebi St Helens, em criança, e fez pentatlo antes da sua estreia pelo Cardiff. É um ávido apoiante da World Wildlife Fund (WWF), dizendo ao Guardian em 2015: «Sempre fui apaixonado por animais... Tantos animais indefesos a serem mortos pelo seu marfim, e as pessoas acham que é por razões médicas...”

11
Gareth Bale após o apuramento do País de Gales para o Mundial 2022

GARETH BALE

Data de nascimento: 16/7/1989

Clube: Los Angeles FC

Posição: Extremo Direito / Ponta-de-lança

Outrora o jogador mais caro do mundo, Bale continua, incontestavelmente, como o trunfo de Gales, como comprovam as suas exibições nos cruciais jogos de play-off frente a Áustria e Ucrânia. Vencedor da Liga dos Campeões por cinco vezes, e de La Liga por três, com o Real Madrid, recebeu outra distinção quando, «profundamente honrado», se tornou Membro da Ordem do Império, em junho. A sua relação com os adeptos em Espanha azedou – celebrando a qualificação para o Euro 2020 com uma bandeira em que se lia: «País de Gales. Golfe. Madrid. Por esta ordem». Isso não ajudou a relação, mas o seu estatuto é francamente intocável. O capitão de Gales juntou-se a uma cervejaria de Glamorgan, a 10 minutos da sua casa, para lançar a 'Bale Ale', uma «cerveja brilhante, de sabor fresco», para marcar a qualificação, sendo que algum do lucro é direcionado para o futebol amador.

12
Danny Ward (AP)

DANNY WARD

Data de nascimento: 22/6/1993

Clube: Leicester City

Posição: Guarda-Redes

Finalmente na posição que esperou durante a sua carreira, após sair da sombra de Kasper Schmeichel no Leicester. Deverá, contudo, ser suplente de Hennessey no Mundial. Desfrutou de uma grande campanha no Euro 2020, mas falhou, por lesão, o importante play-off frente à Áustria, em março, e teve um início tremido de época pelo Leicester. Começou a carreira no clube local, Wrexham, e fez questão de certificar, junto do staff de Gales, que dava para ver o playoff da sua antiga equipa, frente ao Grimsby, durante um estágio em Portugal. «Fui ver o jogo no reduto do Notts County e estava entre milhares de adeptos do Wrexham», disse Ward. «É muito diferente do clube no qual estive há tantos anos.»

13
Kieffer Moore festeja o 1-1 no País de Gales-Suíça (Darko Vojinovic/AP)

KIEFFER MOORE

Data de nascimento: 8/8/1992

Clube: Bournemouth

Posição: Ponta-de-lança

Tem um currículo mais eclético do que a maioria. Começou a carreira no Truro City das divisões inferiores, enquanto trabalhava como nadador salvador no Devon Hills Holiday Park; jogou a central no Yeovil, tentou a sua sorte na Noruega e foi internacional pela Inglaterra C antes de um frutuoso empréstimo de 28 dias no Torquay, que levou o Ipswich a pagar 25 mil libras por ele, há cinco anos. Aí provou ser um talismã viável na Football League, e não demorou muito até ponderar uma lucrativa mudança para o Beijing e procurar a nacionalidade chinesa, através da sua avó. Batizado em honra do ator Kiefer Sutherland, Moore – cujos nomes do meio são Roberto e Francisco, em homenagem à sua herança italiana – pode representar Gales por via do avô materno, Raymond. É o único 9 puro no plantel, Moore tornou-se um jogador-chave no clube e na seleção. Marcou o golo que levou o Bournemouth para a Premier League, em maio. Um mundo de distância dos seus dias na piscina. «Tive alguns sustos, mas foram só algumas pessoas a cair», disse Moore. «Ficas a pensar: ‘oh não, o que vai acontecer aqui?’»

14
Connor Roberts

CONNOR ROBERTS

Data de nascimento: 23/9/1995

Clube: Burnley

Posição: Lateral / Ala

«Ficaste mesmo com a palhinha pequena, não ficaste?», disse Roberts, rindo-se da realidade de estar ao lado de Gareth na conferência de imprensa pré-jogo da Ucrânia, em junho. Uma personagem autodepreciativa, Robert é a alma e coração da equipa. «Desde miúdo dizia a mim próprio: ‘Podes não ser o melhor, mas desde que corras mais que o resto, vais ter meia oportunidade. Não importa o nível em que jogas, isso aplica-se», disse. Transformou a sua garagem de Swansea numa carpintaria, na qual fazia tudo, de mesas de jantar a tigelas. Roberts cresceu no vale de Dulais, perto de Ben Davies, com o qual jogou râguebi, mas juntou-se ao Swansea com nove anos. Uma conversa com o então capital do Swansea, Garry Monk, levou-o a ser abstinente ao álcool. «Prefiro gastar o meu dinheiro em ferramentas novas», disse.

15
Ethan Ampadu (AP)

ETHAN AMPADU

Data de nascimento: 14/9/2000

Clube: Spezia

Posição: Defesa Central / Médio defensivo

Está envolvido em nova batalha pela permanência na Serie A italiana, depois de passar a última época emprestado ao Veneza – descrito pela GQ como «o clube mais na moda do mundo». Aí jogou em seis posições diferentes, entre a defesa e o meio-campo. «Recebo muitas mensagens por causa das camisolas do Veneza. De amigos, família e adeptos», disse. Mas talvez a maior transformação venha do seu primeiro corte de cabelo, em 2019, quando cortou as rastas. «Só demorou 35 minutos», disse o barbeiro Shelton Edwards, conhecido por HD Cutz. «Foi a maior mudança». Ampadu estreou-se profissionalmente aos 15 anos, pelo Exeter City, que contava com Ollie Watkins, antes de fazer os exames do secundário. Foi chamado aos sub-16 de Inglaterra antes de capitanear o mesmo escalão de Gales ao Victory Shield em 2015, com um pequeno contributo de Mikel Arteta, que o ajudou no treino, no âmbito do curso de treinador da federação de futebol do País de Gales. Aos 17 anos, na estreia internacional, teve a tarefa de marcar Mbappé em Paris. O único jogo pelo Chelsea foi contra o Huddersfield, em 2017.

16
JOE MORRELL (AP)

JOE MORRELL

Data de nascimento: 3/1/1997

Clube: Portsmouth

Posição: Médio

Capitaneou Gales nos escalões jovens, e quase se juntou ao Liverpool aos 15 anos, mas acabou por assinar contrato profissional com o Bristol City, que abandonou em 2010. Há cinco anos estava a ter dificuldades até para conseguir treinar à experiência em clubes de escalões inferiores – um empréstimo de um mês no Margate, da sexta divisão, chegou a ser encurtado –, mas tem correspondido por Gales desde que Ryan Giggs que lhe proporcionou a estreia, quando estava emprestado ao Lincoln. “Desde as rejeições que, mais do que compensei, certifico-me de que sou a pessoa mais horrível em campo», diz. «O mais agressivo em campo, a pessoa em campo com mais personalidade». Teve um frente-a-frente com o seu ídolo Marco Verratti no Euro 2020, no Olímpico de Roma, no último verão. «Vi, provavelmente, todos os vídeos do Verratti no Youtube», disse ao Guardian em 2020. Tornou-se coproprietário do Merthyr Town, da Southern League Premier, já este ano, juntamente com a atriz Vicky McClure.

17
Tom Lockyer (instagram)

TOM LOCKYER

Data de nascimento: 3/12/1994

Clube: Luton Town

Posição: Defesa Central

Dispensado pelo clube de infância, o Cardiff, quando tinha 16 anos, o central trabalhou arduamente para reencontrar o seu caminho. Juntou-se ao Bristol Rovers enquanto estudava e passou lá oito anos, ajudando-os a subir até à League One. Um ano teve a companhia de Connor Roberts, colega de seleção, que ali esteve emprestado. Tom foi chamado ao Euro 2020 depois da lesão sofrida por James Lawrence, e tem outra oportunidade, desta vez, depois da lesão de Rhys Norrington-Davies, no tendão. Viu o Euro 2016 num parque, com amigos «e algumas cervejas». «A união desta equipa é única, nunca vi nada assim antes», disse o ano passado. «O mais próximo foi provavelmente os sub-21 de Gales. Vês muitos dos colegas como família e não como colegas.»

18
Jonny Williams (AP)

JONNY WILLIAMS

Data de nascimento: 9/10/1993

Clube: Swindon Town

Posição: Extremo

Uma pessoa terra-a-terra. Os slaloms de Williams e os seus piques de energia fizeram dele uma figura querida, a partir do momento que se estreou pelo Crystal Palace, em 2011. Ganhou a alcunha de 'Jonniesta' pelo caminho, mas a sua trajetória foi condicionada por lesões. Nascido em Pembury em Kent, Williams, que admirava Gianfranco Zola, é elegível para Gales através do pai. O jogador de 29 anos teve um “A” nos exames de secundário, mas queria ser chef, se não singrasse no futebol. Tornou-se uma estrela na série da Netflix «Sunderland ‘Til I Die», quando falou com um psicólogo sobre comprar um cão para lidar com a solidão, durante a sua recuperação. «Às vezes não te apercebes que vais ser tu próprio, e obviamente isso saiu no documentário», disse em 2019. «Recebi muitas mensagens de pessoas a dizer que é bom ver essa honestidade».

19
Mark Harris (AP)

MARK HARRIS

Data de Nascimento: 29/12/1998

Clube: Cardiff City

Posição: Avançado

Jogou em três dos quatro clubes profissionais de Gales: Cardiff, Newport e Wrexham (nos dois últimos por empréstimo). 'Sparky' entrou para o Cardiff aos sete anos e chegou a ser apanha-bolas. Pode não ser primeira escolha no clube e na seleção, mas é muito apreciado. Fez a estreia sob o comando de Neil Warnock, em 2017, quando tinha 18 anos de idade, pouco depois de ter assinado o primeiro contrato profissional. Chega ao Mundial ainda sem qualquer golo marcado pela seleção, mas é um avançado sempre disposto a correr e pode ser uma boa opção a partir do banco, como mostrou na estreia, frente à Bielorrússia, o ano passado. 

 

20
Gareth Bale festeja com Daniel James um golo no País de Gales-Áustria (Matt Dunham/AP)

DANIEL JAMES

Data de nascimento: 10/11/1997

Clube: Fulham

Posição: Extremo Direito

Apelidado de 'pequeno galgo' no Swansea pela sua velocidade estonteante, a reação emocionante de James ao receber um cockapoo pelo 21.º aniversário tornou-se viral. Lidou com uma ascensão admirável – de um empréstimo no Shrewsbury, no qual nem jogou, ao Manchester United, em menos de dois anos – e tem sido um dos jogadores mais consistentes de Gales, desde a estreia, em 2018. Elegível através do pai, Kevan, que nasceu em Aberdare e faleceu três semanas antes de James assinar pelo Manchester United. «É muito triste ele não me ver no Euro, mas tenho a certeza que estará a acompanhar», disse ao Guardian o ano passado. «Para mim, ele ter-me visto a marcar contra a Eslováquia, na estreia, foi um momento especial para a minha família e para a minha namorada. Foi brilhante para mim, depois de me ter ajudado na formação, levando-me a todo o lado.»

21
Adam Davies (Getty)

ADAM DAVIES

Data de nascimento: 17/7/1992

Clube: Sheffield United

Posição: Guarda-Redes

Nascido em Rinteln, perto de Hannover, onde o seu pai galês servia nas forças armadas britânicas, cresceu a jogar râguebi em Warrington. Terceiro guarda-redes e DJ do plantel, deve passar mais tempo na mesa de mistura que no relvado. «Fiz umas misturas e músicas para incentivar a malta», disse. «Sou muito caseiro, muito bem-disposto. Um amigo mostrou-me como era ser DJ e gostei. É algo que faço no tempo livre e adoro». Dispensado pelo Everton, em 2012, juntou-se ao Sheffield Wednesday e mais tarde capitaneou o Barnsley rumo ao Championship, antes de passar três anos no Stoke. Estreou-se pelo Sheffield United em outubro, tendo-se mudado para o clube em janeiro.

22
Sorba Thomas (AP)

SORBA THOMAS

Data de nascimento: 25/1/1999

Clube: Huddersfield Town

Posição: Extremo/Ala

Dispensado pelo West Ham, fez o 'malabarismo' entre jogar nas divisões inferiores pelo Boreham Wood, ao qual se juntou com 16 anos, colocar andaimes e trabalhar numa loja de desporto para que pudesse treinar, antes de se mudar para a equipa B do Huddersfield, em 2021. Depois de melhorar a alimentação – disseram-lhe para cortar nos hambúrgueres e batatas – desfrutou de uma campanha-revelação no Championship, na época passada, com 14 contribuições para golo (assistências ou golos marcados), sendo que os Terriers chegaram à final do play-off. Chegou a ser convocado para a seleção C de Inglaterra, para um jogo com Gales que foi cancelado pela pandemia. É elegível para Gales através da sua mãe, Gail, nascida em Newport. Ficou chocado ao receber a primeira convocatória, em setembro de 2021. «Às vezes tenho de me beliscar e pensar: ‘Aquele ali é mesmo o Aaron Ramsey?’», disse.

23
Dylan Levitt (instagram)

DYLAN LEVITT

Data de nascimento: 17/11/2000

Clube: Dundee United

Posição: Médio

Nascido em Bodelwyddan, no norte de Gales, Levitt abandonou o Manchester United este verão, ao fim de 13 anos em Old Trafford, com a sua única presença na equipa principal a surgir numa derrota frente ao Astana, na Liga Europa. Ryan Giggs deu-lhe a estreia na seleção em setembro de 2020, uns meses antes de se juntar ao NK Istra 1961 da Croácia, depois de desiludir no Charlton. Os seus avós visitaram os 26 monólitos instalados por Gales, a representar cada um dos jogadores do plantel do Euro 2016, incluindo o de Levitt, em Conwy. Fez a estreia no torneio como suplente utilizado frente a Itália. «Eu e a minha mãe estivemos no último Euro e, cinco anos mais tarde, estávamos a torcer pelo Dylan no mesmo torneio», disse a mãe de Levitt, Vikki.

24
Ben Cabango (AP)

BEN CABANGO

Data de nascimento: 30/5/2000

Clube: Swansea City

Posição: Defesa Central

Começou a carreira no Cardiff,antes de se mudar para o Newport, e depois Swansea, aos 14 anos, ganhando reconhecimento com o País de Gales nos sub-15. Aos 18 anos juntou-se aos New Saints, por empréstimo, e marcou num jogo de qualificação da Liga dos Campeões, frente ao Shkendija. Jogou râguebi na escola e o seu irmão mais novo, Theo, é ala no Cardiff Rugby. O seu pai, Paulo, nasceu em Angola. «Às vezes, como pai, tens de te beliscar», disse Paulo,após o primeiro dérbi do sul de Gales do filho, sem sofrer golos. «Acho que a minha mulher lhe mandou mensagem na véspera e ele disse apenas: ‘Mal posso esperar pelo jogo’. Estávamos ambos nervosos. Acho que ela mais que eu. Mas ele jogou muito bem. Estamos muito orgulhosos dele.»

25
RUBIN COLWILL (AP)

RUBIN COLWILL

Data de nascimento: 27/4/2002

Clube: Cardiff City

Posição: Ponta-de-lança

Foi wild-card no Euro 2020, para o qual foi convocado com apenas 119 minutos de futebol internacional. Colwill estreou-se como suplente utilizado com Gales reduzido a 10 contra a França. Marcou pelo Cardiff, ao qual se juntou aos 8 anos, na derrota em Anfield para a FA Cup, em fevereiro, e marcou o seu primeiro golo pela seleção um mês depois, frente à Rep. Checa. Nascido em Neath, o avançado imponente frequentou Ysgol Gyfun Ystalyfera, a mesma escola secundária que o agora colega de seleção, Ben Davies. «Costumo ouvir 'o Ben Davies era melhor na escola do que tu', da parte de todos os meus professores», disse. Só foi titular no Championship uma vez, esta época, em agosto. «Ele disparou», disse o técnico interino do Cardiff, Mark Hudson, em setembro. «Cresceu para ser um homem. Entusiasma-nos a nós e aos adeptos». Está entre os fluentes em galês do plantel.

26
Matt Smith (AP)

MATT SMITH

Data de nascimento: 22/11/1999

Clube: MK Dons

Posição: Médio Defensivo

Juntou-se ao MK Dons em janeiro, após nove anos nos quadros do Manchester City, pelo qual foi emprestado ao Twente, QPR, Charlton, Doncaster e Hull. Nascido em Redditch, é elegível por Gales pelo avô nascido em Gwent, e depois de umas curtas férias de verão tornou-se claro o seu amor por representar Gales. «Se tens oportunidade de jogar pelo teu país ou passar umas férias, prefiro jogar pelo meu país». Juntou-se ao City proveniente do WBA, aos 14 anos, tendo jogado críquete a nível municipal antes de se comprometer ao futebol. O diretor técnico do Twente, Ted van Leeuwen, disse que era uma dádiva, e Smith revelou que foi inspirado pelo antigo colega no City, Jadon Sancho, para se mudar para o estrangeiro aos 18 anos. «Vi como lhe correu tão bem», disse.

Maisfutebol
Boavista: a mesma luta 7 ago 2023, 11:00
Croácia: os jogadores 18 nov 2022, 16:13
Sérvia: os jogadores 17 nov 2022, 16:34
Bélgica: os jogadores 17 nov 2022, 15:08
Suíça: os jogadores 16 nov 2022, 13:36
Camarões: os jogadores 15 nov 2022, 15:46
EUA: os jogadores 15 nov 2022, 00:38
Irão: os jogadores 14 nov 2022, 23:24
Uruguai: o guia 11 nov 2022, 18:42
Gana: o guia 11 nov 2022, 15:09
Brasil: o guia 10 nov 2022, 21:39
Qatar: o guia 7 nov 2022, 10:43
Portugal: os jogadores 2 nov 2022, 00:32
Portugal: o guia 1 nov 2022, 23:42
Alemanha: o guia 25 jun 2022, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun 2022, 00:00
Dinamarca: o guia 24 jun 2022, 23:55
Irlanda do Norte: o guia 24 jun 2022, 16:02
Áustria: o guia 24 jun 2022, 14:13
França: o guia 24 jun 2022, 00:00
Países Baixos: o guia 23 jun 2022, 23:24
Portugal: o guia 23 jun 2022, 20:41
Inglaterra: o guia 23 jun 2022, 11:38
Suécia: o guia 23 jun 2022, 00:00
Suíça: o guia 23 jun 2022, 00:00
Itália: as jogadoras 22 jun 2022, 20:04
Suíça: as jogadoras 21 jun 2022, 23:28
Bélgica: as jogadoras 21 jun 2022, 23:17
Noruega: as jogadoras 20 jun 2022, 23:35
França: as jogadoras 20 jun 2022, 14:32
Dinamarca: as jogadoras 19 jun 2022, 22:20
Suécia: as jogadoras 17 jun 2022, 00:10
Islândia: as jogadoras 16 jun 2022, 23:17
Finlândia: as jogadoras 16 jun 2022, 15:14
Inglaterra: as jogadoras 16 jun 2022, 01:24
Portugal: as jogadoras 31 mai 2022, 18:34
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
Turquia 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51