Maisfutebol

Uruguai: os jogadores

1
FERNANDO MUSLERA (AP)

FERNANDO MUSLERA

Data de nascimento: 16/6/1986

Clube: Galatasaray

Posição: Guarda-Redes

Muslera disse há 20 anos, no princípio da sua carreira, que quando era criança não gostava de jogar à baliza porque sempre que lhe marcavam golo começava a chorar. O que não sabia é que essas lágrimas iam transformar o seu caráter em aço e que o futebol tinha uma página especial guardada para ele. Em outubro de 2009, Óscar Tabarez fez dele o titular na seleção, com 23 anos, e desafiou-o a manter o lugar durante muito tempo. Durante os 12 anos seguintes, até janeiro de 2022, foi indiscutível na seleção, somando 133 internacionalizações, mas viaja para o Qatar como o número 2.

2
JOSÉ MARÍA GIMÉNEZ (AP)

JOSÉ MARÍA GIMÉNEZ

Data de nascimento: 20/1/1995

Clube: Atlético de Madrid

Posição: Defesa Central

Giménez tinha 18 anos quando Óscar Tabárez o lançou às feras. Era 10 de setembro de 2013 e o Uruguai não podia contar por lesão com o capitão Diego Lugano nem com o brilhante Diego Godín para um crucial jogo de apuramento para o Mundial frente à Colômbia. Deu-lhe a camisola ‘2’, que pertencia ao histórico Lugano, e deu-lhe a tarefa de travar Radamel Falcao. Giménez assumiu com estilo, sendo a sua exibição chave para a vitória que colocou o Uruguai no caminho do Mundial 2014. O resto, como dizem, é história. Uma lenda do jogo, completará 10 anos no Atlético de Madrid no próximo verão, tendo jogado mais de 250 encontros pelo clube.

3
Diego Godín (Pablo Porciuncula/Pool via AP)

DIEGO GODÍN

Data de nascimento: 16/2/1986

Clube: Vélez Sarsfield

Posição: Defesa Central

Nascido em Rosario, uma cidade rural, Godín tomou o caminho habitual para Montevideu em criança, seguindo o seu sonho de se tornar futebolista. Começou como médio no Cerro e jogou na primeira divisão aos 17 anos. Duas décadas depois é considerado um dos melhores centrais da história do país. As suas 159 internacionalizações, 80 delas como capitão, fizeram dele uma lenda. Tendo aprendido com Diego Lugano como capitanear a seleção, Godín tornou-se o mais internacional da história do Uruguai e o Qatar 2022 será o seu quarto Mundial.

4
RONALD ARAÚJO (Getty)

RONALD ARAÚJO

Data de nascimento: 7/3/1999

Clube: Barcelona

Posição: Defesa Central

Como 60 por cento dos jogadores na seleção, Araújo nasceu fora da capital do Uruguai, em Rivera, na fronteira com o Brasil. Lá adquiriu o caráter do futebolista uruguaio e a qualidade do futebolista brasileiro. O defesa do Barcelona enfrenta uma corrida contra o tempo para estar apto para o primeiro jogo, tendo sofrido uma lesão grave dois meses antes do torneio. Foi operado à coxa e por pouco conseguiu fazer parte da convocatória.

5
MATÍAS VECINO (AP)

MATÍAS VECINO

Data de nascimento: 24/8/1991

Clube: Lazio

Posição: Médio

O pai de Vecino morreu num acidente de carro quando Matías tinha apenas 14 anos, mas não antes de transmitir ao filho a paixão pelo futebol. Desde aí ele abraçou com admiração e paixão o que o seu pai lhe ensinou. Pela memória do pai encontrou a força para chegar ao topo do futebol – desde a formação no Uruguai à mudança para o Nacional e mais tarde o salto para a Europa. Já jogou pela Fiorentina, Inter e Lazio, e este será o seu segundo Mundial.

6
Rodrigo Bentancur (AP)

RODRIGO BENTANCUR

Data de nascimento: 25/7/1997

Clube: Tottenham

Posição: Médio

Lolo, como lhe chamaM, teve um grande início de carreira na formação e isso fez dele uma estrela desde o princípio. Tinha apenas quatro anos quando a sua mãe, Mary, morreu. Em tributo a ela usa o número 30 nas costas. Aos 12 anos foi levado a treinar com a equipa principal do Artesano, clube de Colonia, e aos 13 anos o Boca Juniors descobriu-o através de um preparador físico que viajou para uma conferência, mas ficou espantado com o seu talento. Foi levado a fazer testes no Boca e ficou a viver em Buenos Aires. Amadureceu rapidamente, porque aos 17 anos era titular pelo clube, antes de passar cinco anos na Juventus. É agora indiscutível no Tottenham de Antonio Conte.

7
NICOLÁS DE LA CRUZ (AP)

NICOLÁS DE LA CRUZ

Data de nascimento: 1/6/1997

Clube: River Plate

Posição: Médio ofensivo

De La Cruz ainda está a jogar na América do Sul e não na Europa por causa do negócio que em 2017 levou à sua transferência do Liverpool de Montevideu para o River Plate. Os argentinos compraram 30 por cento do seu passe e o Liverpool ficou com 70 por cento, o que significa que o River tem pouco interesse em vendê-lo. Em vez disso já ajudou o River a vencer a Libertadores, Recopa e o campeonato da Argentina. Em 2019 Pep Guardiola quis levá-lo para o Manchester City e houve interesse do Manchester United no ano passado, mas não se materializou. Está pronto para ser uma das figuras do Uruguai no Mundial.

8
FACUNDO PELLISTRI (getty)

FACUNDO PELLISTRI

Data de nascimento: 20/12/2001

Clube: Manchester United

Posição: Extremo Direito

Carlos «Pato» Aguilera, futebolista internacional, viu Pellistri pela primeira vez aos 10 anos e percebeu que o menino ia ser especial. Tem sido uma das promessas mais brilhantes do Uruguai desde os 13 anos. O seu pai é contabilista e a mãe pediatra. Estudou numa escola bilingue e chegou ao Manchester United em 2020 a falar inglês fluente, depois de o clube pagar a sua cláusula de rescisão, a rondar os 10 milhões de euros, antes de passar a época 2021/2022 no Alavés por empréstimo.

9
LUIS SUÁREZ (Getty)

LUIS SUÁREZ

Data de nascimento: 24/1/1987

Clube: Nacional 

Posição: Ponta-de-lança

Suárez é o lendário avançado da seleção do Uruguai, com 68 golos em 134 jogos. É também, nos tempos modernos, o mais importante jogador do país. Numa transferência que não é comum, decidiu voltar ao país natal para se preparar para o Mundial, no clube em que começou a carreira, o Nacional. A sua chegada causou muito ruído. O país ficou paralisado. Desde então o futebol uruguaio anda à volta dele.

10
De Arrascaeta e Luis Suárez marcaram no Uruguai-Venezuela (Mariana Greif, Pool via AP)

GIORGIAN DE ARRASCAETA

Data de nascimento: 1/6/1994

Clube: Flamengo

Posição: Médio ofensivo/Extremo

Tendo surgido no Defensor Sporting, De Arrascaeta é um dos mais talentosos jogadores do Uruguai. Está no Brasil há nove temporadas e é um ídolo no país que tem a competição doméstica mais forte da América do Sul. Aos 28 anos chega ao Mundial no auge da sua maturidade. Filipe Luís definiu-o, dizendo: «Todo o mundo sabe perfeitamente que encaixava no Barcelona, Real Madrid, Atlético, Chelsea… está acima da média. Faz a diferença.»

11
Darwin Nunez (getty)

DARWIN NUÑEZ

Data de nascimento: 24/6/1999

Clube: Liverpool

Posição: Ponta-de-lança

Núñez nasceu na província de Artigas, na fronteira com o Brasil, o ponto mais distante de Montevideu, a 600 quilómetros. Contudo, aos 14 anos, decidiu deixar tudo e mudar-se para a capital. Atrás de si estava o sacrifício da mãe, que andou pelas ruas a juntar garrafas para vender e comprar comida para os seus filhos, e um pai que trabalhava na construção civil para comprar botas de futebol ao filho. Aos 16 anos rompeu os ligamentos cruzados e foi operado. Aos 17 anos lesionou a rótula e foi novamente à faca no joelho. Nessa altura pensou em abandonar o futebol, mas decidiu continuar. Hoje faz parte da poderosa geração de 1997, 1998 e 1999 da seleção uruguaia que deu ao mundo jogadores como Fede Valverde, Rodrigo Bentancur, Nicolás De la Cruz e Mathías Olivera. Pode ser uma figura chave no Mundial 2022, apesar de um início turbulento pelo Liverpool.

12
SEBASTIAN SOSA (getty)

SEBASTIAN SOSA

Data de nascimento: 16/8/1986

Clube: Independiente

Posição: Guarda-Redes


Sosa passou quase toda a sua carreira no estrangeiro, na Argentina e no México, e esperou uma década pela chamada à seleção que nunca chegou. Em maio de 2021 postou uma mensagem no Instagram a expressar a sua frustração por ser continuamente esquecido pelo seccionador Óscar Tabárez. «Se Enzo Pérez [que tinha feito um jogo como guarda-redes] fosse uruguaio tinha sido chamado antes de mim.» Qualquer esperança de jogar pelo Uruguai parecia ter desaparecido com a publicação, mas a chegada de Diego Alonso em novembro de 2021 mudou tudo. Sosa será o terceiro guarda-redes do Uruguai no Qatar.

13
GUILLERMO VARELA (Getty)

GUILLERMO VARELA

Data de nascimento: 24/3/1993

Clube: Flamengo

Posição: Lateral Direito

Varela só jogou um jogo na primeira divisão do Uruguai antes de assinar pelo Manchester United em 2013, aos 20 anos. Chegou à Premier League prometendo muito, mas saiu quatro anos depois sem ter jogos nas pernas. Juntou-se ao Eintracht Frankfurt, mas em maio de 2017, contra as recomendações médicas, fez uma tatuagem antes da final da Taça. A tatuagem inchou e não pôde jogar. Seguiu-se um regresso ao Uruguai para o Peñarol e o momento no clube valeu-lhe um lugar na seleção no Mundial 2018. Agora com 29 anos, e a jogar no Brasil, estará no seu segundo Mundial.

14
LUCAS TORREIRA (getty)

LUCAS TORREIRA

Data de nascimento: 11/2/1996

Clube: Galatasaray

Posição: Médio

No futebol uruguaio é comum ver agentes estrangeiros que chegam para observar futebolistas e tirá-los do país. Por essa razão, em 2013, não foi surpresa ver um italiano a visitar Montevideu e a regressar com seis jovens do Wanderers para fazerem testes no Pescara. Entre eles estava Lucas Torreira, de 17 anos, que na altura jogava como avançado. É baixo e foi avisado que a sua estatura podia prejudicar a sua carreira, mas o treinador do Pescara, Massimo Oddo, não se incomodou e transformou Torreira num médio, posição na qual tem sido excelente, apesar de dificuldades na Premier League com o Arsenal.

15
Fede Valverde (AP)

FEDERICO VALVERDE

Data de nascimento: 22/6/1998

Clube: Real Madrid

Posição: Médio/Extremo

Aos três anos e ainda de fralda, a 6 de março de 2001, Valverde começou a jogar «futebol bebé» no Uruguai. Embora não pudesse jogar de forma oficial pelo facto de precisar de ter pelo menos seis anos, o seu destino estava traçado. Aos 15 anos o Real Madrid começou a segui-lo e perto do 18º aniversário levou-o do Peñarol. Está a tornar-se rapidamente um dos melhores jogadores do planeta e uma estrela de classe mundial.

16
MATHÍAS OLIVERA (getty)

MATHÍAS OLIVERA

Data de nascimento: 31/10/1997

Clube: Nápoles

Posição: Lateral-Esquerdo

Quando Matías nasceu num hospital de Montevideu a sua mãe, Ximena, só tinha 16 anos, enquanto o seu pai, Jorge, tinha 17 anos. Os dois adolescentes, com toda a vida pela frente, ficaram com a responsabilidade de criar um filho. Portaram-se bem. Alimentaram o sonho do filho, que começou a jogar futebol aos quatro anos. A bola sempre foi o seu brinquedo favorito desde que aprendeu a andar e a sua paixão pelo futebol levou-o à Serie A e à seleção.

17
MATÍAS VIÑA (getty)

MATÍAS VIÑA

Data de nascimento: 2/11/1997

Clube: AS Roma

Posição: Lateral-Esquerdo

A carreira de futebolistas de sucesso é marcada pela sua capacidade de ultrapassar as dificuldades. Em 2017, depois de se tornar campeão na formação do Nacional, Viña falhou um ano de futebol. Mas, longe de desistir, esperou pela sua oportunidade e regressou mais forte. Em dezembro de 2019 foi consagrado o melhor jogador do campeonato uruguaio. Isso desencadeou uma mudança para o Palmeiras. Dois anos mais tarde era bicampeão da Libertadores. Em agosto de 2021 José Mourinho ligou-lhe e disse-lhe que o queria na Roma. Foi uma rápida ascensão até à elite.

18
MAXI GÓMEZ (getty)

MAXI GÓMEZ

Data de nascimento: 14/8/1996

Clube: Trabzonspor

Posição: Ponta-de-lança

Outra opção de talento para a frente de ataque no Qatar, Gómez trocou o Valencia pelo Trabzonspor no verão passado e acrescenta força, personalidade e um registo disciplinar problemático. Em outubro foi expulso ao fim de 11 minutos na derrota com o Mónaco (3-1) para a Liga Europa, por dar um pontapé na cara a Mohamed Camara. Em 2019 ele falou ao Guardian sobre o seu espírito lutador, que está patente desde o início – há um vídeo dele ainda adolescente a dar um soco a um companheiro de equipa. «Estávamos a perder, havia muita tensão e aconteceu, mas eu pedi desculpa a seguir e acabou aí… Eu detesto perder, seja no que for. Essa mentalidade define (os uruguaios), é única. Temos esse espírito de luta em nós. A minha família tem-no.»

19
SEBA COATES (GETTY)

SEBASTIÁN COATES

Data de nascimento: 7/10/1990

Clube: Sporting

Posição: Defesa Central

Não há muitos jogadores tão pacientes como Coates, cuja carreira na seleção tem sido vivida na sombra de Diego Lugano, Diego Godín e José Giménez. Coates foi a revelação do Uruguai na conquista da Copa América 2011, começando como suplente e aproveitando cada oportunidade. Onze anos depois da estreia ganhou um lugar no onze inicial no Qatar. Juntou-se ao Liverpool em 2011, mas nunca ameaçou tornar-se numa presença regular e – via Sunderland – encontrou um lugar no Sporting, estando perto dos 300 jogos pelo clube.

20
FACUNDO TORRES (AP)

FACUNDO TORRES

Data de nascimento: 13/4/2000

Clube: Orlando City

Posição: Extremo Esquerdo

O ano de 2010 trouxe grande emoção ao futebol uruguaio pela prestação no Mundial. Além disso, para a família Torres, foi o ano em que Facundo começou a jogar no Peñarol, o clube que apoia e pelo qual se formou. Desde a juventude que a sua velocidade e força se destacam e por essa razão recebeu aos 16 anos uma proposta da Juventus, a qual recusou para continuar o seu crescimento no Uruguai. Finalmente, aos 21 anos, deu o passo para o futebol internacional.

21
Edinson Cavani (GettyImages)

EDINSON CAVANI

Data de nascimento: 14/2/1987

Clube: Valencia

Posição: Ponta-de-lança

Cavani é a segunda lenda ofensiva do plantel, com 58 golos em 133 jogos. Desde que saiu do PSG, em maio de 2020, uma série de lesões e vários períodos de inatividade afetaram o seu futebol. Não jogou por qualquer clube durante quatro meses, entre junho e setembro de 2020, e depois por dois meses entre julho e agosto de 2022. Escolheu o Valencia esta época para se preparar para o Mundial. Jogou em quatro grandes campeonatos – Serie A, Ligue 1, Premier League e La Liga – e, apesar de não ser já o «matador» de outros torneios, vai para o seu quarto Mundial.

22
MARTÍN CÁCERES (Getty)

MARTÍN CÁCERES

Data de nascimento: 7/4/1987

Clube: LA Galaxy

Posição: Defesa Central / Lateral

Outro dos regulares da geração de ouro do Uruguai, será o quarto Mundial para Cáceres. Quinze anos na seleção trouxeram mais de 100 internacionalizações – um de apenas oito jogadores a atingir o feito – e um grande respeito. Conhecido pela sua versatilidade na defesa, foi titular durante mais de uma década. Agora nos EUA com os LA Galaxy, teve longas passagens na Europa com clubes de La Liga, Serie A e Premier League.

23
SERGIO ROCHET (GETTY)

SERGIO ROCHET

Data de nascimento: 23/3/1993

Clube: Nacional

Posição: Guarda-Redes

Gosta de andar a cavalo, do campo e de ar fresco. Quando jogou nos Países Baixos sentiu que o estilo de vida era semelhante ao do Uruguai, mas em 2017 mudou-se para a Turquia, onde vivia na montanha, longe do mar. Os invernos eram rigorosos, mas nunca imaginou que o seu futebol sofresse tanto: entre janeiro de 2018 e junho de 2019 só fez um jogo pelo Sivasspor. Decidiu voltar às origens e relançar a carreira. A transferência para o Nacional de Montevideu compensou e foi o guarda-redes do ano no Uruguai em 2020 e 2021. Em 2022 foi um passo à frente e não sofreu um único golo em 11 jogos – 1067 minutos –, batendo o recorde no Uruguai.

24
AGUSTÍN CANOBBIO (getty)

AGUSTÍN CANOBBIO

Data de nascimento: 1/10/1998

Clube: Athletico Paranaense

Posição: Extremo Direito

Canobbio tem uma história peculiar. O seu crescimento foi tardio e ficava de fora dos escalões jovens da seleção, apesar do seu óbvio talento. Os contratempos continuaram: aos 22 anos contraiu uma dupla fratura na perna. Mas recusou desistir e disse, depois de regressar: «Um ano depois da lesão lembrei-me que tenho um caminho e agora valorizo mais do que nunca a oportunidade de poder este jogar este lindo jogo novamente.» E mostrou-o em campo. Aos 23 anos foi eleito o melhor jogador do campeonato uruguaio e mudou-se para o Brasil, estreando-se na seleção pouco depois. É filho da antiga lenda uruguaia Osvaldo e tem um lema que o inspira diariamente: «Tens de viver para o futebol e depois viver do futebol.»

25
Ugarte

MANUEL UGARTE

Data de nascimento: 11/4/2001

Clube: Sporting

Posição: Médio

Ugarte tinha acabado de fazer 16 anos quando o treinador do Fénix, uma equipa de grande tradição no Uruguai, lhe deu os primeiros minutos no principal escalão. Não demorou muito até as suas prestações atraírem o futebol português e mudou-se para o Famalicão. Agora no Sporting, mas com apenas 21 anos, Ugarte já jogou sete temporadas como profissional e pode ser uma das surpresas do Uruguai neste Mundial.

26
JOSÉ LUIS RODRÍGUEZ (getty)

JOSÉ LUIS RODRÍGUEZ

Data de nascimento: 14/3/1997

Clube: Nacional

Posição: Lateral Direito

Com o défice de forma física e de tempo de jogo a negar a Damián Suárez a viagem para o Qatar, «Pumita» Rodríguez avançou no seu lugar, ganhando uma chamada de surpresa para o seu primeiro Mundial, graças a exibições consistentemente eficazes na primeira divisão do Uruguai. O lateral de 25 anos representou o país nas seleções jovens, mas não somou qualquer presença na seleção principal antes do Mundial. «Não esperava, foi uma surpresa», disse após o anúncio da convocatória final do selecionador Diego Alonso. «Mas estou muito entusiasmado por estar aqui.»

 

Textos de Luis Eduardo Inzaurralde, que escreve para El Observador.

 

Maisfutebol
Boavista: a mesma luta 7 ago 2023, 11:00
Croácia: os jogadores 18 nov 2022, 16:13
Sérvia: os jogadores 17 nov 2022, 16:34
Bélgica: os jogadores 17 nov 2022, 15:08
Suíça: os jogadores 16 nov 2022, 13:36
Camarões: os jogadores 15 nov 2022, 15:46
EUA: os jogadores 15 nov 2022, 00:38
Irão: os jogadores 14 nov 2022, 23:24
Uruguai: o guia 11 nov 2022, 18:42
Gana: o guia 11 nov 2022, 15:09
Brasil: o guia 10 nov 2022, 21:39
Qatar: o guia 7 nov 2022, 10:43
Portugal: os jogadores 2 nov 2022, 00:32
Portugal: o guia 1 nov 2022, 23:42
Alemanha: o guia 25 jun 2022, 00:45
Bélgica: o guia 25 jun 2022, 00:00
Dinamarca: o guia 24 jun 2022, 23:55
Irlanda do Norte: o guia 24 jun 2022, 16:02
Áustria: o guia 24 jun 2022, 14:13
França: o guia 24 jun 2022, 00:00
Países Baixos: o guia 23 jun 2022, 23:24
Portugal: o guia 23 jun 2022, 20:41
Inglaterra: o guia 23 jun 2022, 11:38
Suécia: o guia 23 jun 2022, 00:00
Suíça: o guia 23 jun 2022, 00:00
Itália: as jogadoras 22 jun 2022, 20:04
Suíça: as jogadoras 21 jun 2022, 23:28
Bélgica: as jogadoras 21 jun 2022, 23:17
Noruega: as jogadoras 20 jun 2022, 23:35
França: as jogadoras 20 jun 2022, 14:32
Dinamarca: as jogadoras 19 jun 2022, 22:20
Suécia: as jogadoras 17 jun 2022, 00:10
Islândia: as jogadoras 16 jun 2022, 23:17
Finlândia: as jogadoras 16 jun 2022, 15:14
Inglaterra: as jogadoras 16 jun 2022, 01:24
Portugal: as jogadoras 31 mai 2022, 18:34
Polónia: a análise 11 jun 2021, 23:48
França: a análise 11 jun 2021, 13:53
Eslováquia: a análise 11 jun 2021, 00:00
Espanha: a análise 11 jun 2021, 00:00
Escócia: a análise 10 jun 2021, 22:40
Croácia: a análise 10 jun 2021, 22:39
Inglaterra: a análise 10 jun 2021, 22:39
Portugal: a análise 10 jun 2021, 22:01
Suécia: a análise 10 jun 2021, 21:14
Ucrânia: a análise 10 jun 2021, 01:20
Áustria: a análise 10 jun 2021, 01:19
Rússia: a análise 9 jun 2021, 00:11
Finlândia: a análise 9 jun 2021, 00:10
Suíça: a análise 8 jun 2021, 00:11
Turquia: a análise 8 jun 2021, 00:11
Finlândia 7 jun 2021, 00:24
Escócia 7 jun 2021, 00:23
Suíça 7 jun 2021, 00:23
Suécia 7 jun 2021, 00:23
Dinamarca 7 jun 2021, 00:23
Espanha 7 jun 2021, 00:22
Ucrânia 7 jun 2021, 00:22
Itália 7 jun 2021, 00:22
Países Baixos 7 jun 2021, 00:22
Bélgica 7 jun 2021, 00:21
Turquia 7 jun 2021, 00:21
País de Gales 7 jun 2021, 00:20
Macedónia do Norte 7 jun 2021, 00:20
Rep. Checa 7 jun 2021, 00:20
Polónia 7 jun 2021, 00:20
Croácia 7 jun 2021, 00:19
Áustria 7 jun 2021, 00:19
Hungria 7 jun 2021, 00:19
Rússia 7 jun 2021, 00:19
Alemanha 7 jun 2021, 00:18
Eslováquia 7 jun 2021, 00:18
Inglaterra 7 jun 2021, 00:18
França 7 jun 2021, 00:17
Portugal 20 mai 2021, 23:45
100 anos do Sp. Braga 18 jan 2021, 23:51