«O processo de treino tem duas vertentes: o da equipa em jogo, que passa pela táctica, e a forma física dos jogadores. No caso do Estrela, o que está a ser descurado, com a ausência aos treinos, é a organização da equipa», disse o antigo preparador físico do F.C. Porto, em declarações à agência Lusa.

Azenha acredita que os jogadores continuam «a desenvolver a sua preparação no ginásio ou a correr sozinhos». «Os jogadores são profissionais e sabem dos perigos que correm se desleixarem a preparação física, que pode levar ao aumento do risco das lesões ou do seu peso ideal, como é habitual no regresso de férias», acrescentou.

O treinador destacou ainda o facto de, frente a adversários como o Benfica ou o F.C. Porto, existe uma «motivação adicional, que supera todos os outros aspectos e permite disfarçar a realidade».