Edinho está pela primeira vez nas escolhas de Queiroz mas acredita na sua oportunidade. «Estou a aproveitar para aprender, mas não só. Se puder jogar tanto melhor. É com esse objectivo que estou a trabalhar.»

Edinho respondeu de forma sincera quando questionado sobre a presença na equipa. «Está a ser tal e qual como eu sonhava. Esta é a ambição máxima de todos os jogadores», recordou o jogador do AEK.

Para o avançado, a malapata da equipa das Quinas com a Suécia (nunca ganhou em casa aos nórdicos em seis encontros) está para terminar. «Acredito que desta vez será diferente. A equipa está confiante e determinada em garantir o apuramento [para o Mundial 2010]».

Sobre Deco, que treinou com limitações mas parece completamente apto para a partida de sábado no Estádio do Dragão, Edinho refugiou-se na sua condição de atleta para não adiantar o estado clínico do número dez. «Essa é uma questão que não me compete. O Deco ainda tem alguns condicionalismos mas todos sabemos que é um jogador importante», disse o avançado, apenas levantando a ponta do véu.

A posição ocupada por Edinho é uma das mais carenciadas na turma nacional, pelo que se perguntou ao avançado se a solução para os golos poderá passar efectivamente por ele. «Quanto a mim, estar aqui já é uma prova do meu valor. Tive a sorte de ir lá para fora e aproveitar a oportunidade.»

Apesar de acreditar que «também é possível chegar à selecção jogando em Portugal», o jogador do AEK de Atenas não lamenta ter emigrado para ser agora mais conhecido. Para a apresentação ser completa, eis o auto-retrato: «Sou um avançado móvel, forte no um para um e gosto de encontrar espaço nas costas dos defesas.»