Apesar do incidente da final da Taça de Portugal, Cardozo esteve em risco de sair do Benfica e chegou a ser negociado com o Fenerbahçe. Mas em Alvalade, frente ao Sporting, já foi utilizado na segunda parte. «O incidente chamou-me à atenção porque Óscar nunca tinha tido problemas com ninguém, nunca me falou mal de Jesus», comentou o empresário.

Para Pedro Aldave, a integração de Cardozo no plantel foi natural: «Ele sempre esteve no plantel. Obviamente que houve aquela diferença com o treinador e surgiu a possibilidade de o vender. Chegámos a um acordo, mas as pessoas da Turquia não mostraram garantias bancárias para o pagamento. Se não havia certezas, logicamente que o presidente não aceitou a operação. Chegaram mais propostas, mas ele é um ativo do Benfica e chegámos a acordo para que continuasse no clube.»

«Óscar é Benfica, não podemos manchar a carreira de um jogador num país quando se é o melhor marcador estrangeiro de um clube. Por nenhum dinheiro do Mundo jogaria noutro clube em Portugal que não fosse no Benfica», concluiu.

[artigo original: 20h36]