A decisão provocou, obviamente, surpresa, atendendo ao facto de que Cortez apostou forte nesta experiência no Benfica

para lançar a sua carreira na Europa.

Cedido pelo São Paulo ao clube da Luz, eleito melhor lateral-esquerdo do Brasileirão em 2011, quando atuava no Botafogo, Cortez prometia ser a escolha de Jorge Jesus para resolver uma das funções em constante défice no Benfica: o posto de lateral-esquerdo.

Cortez iniciou a época a titular, mas não terá convencido por completo o treinador do Benfica. De facto, nos últimos dias houve dois sinais preocupantes para o lateral brasileiro, de 26 anos.

Primeiro foi, no fecho do mercado, a surpreendente contratação de Guilherme Siqueira, um lateral muito cotado, que esteve a minutos de assinar pelo Real Madrid e parou na Luz.

No dia seguinte, Cortez soube que ficou excluído da lista da Champions.

Como terá reagido o lateral a tudo isto? Estará aberta a porta a uma saída da Luz?

Nada disso, pelo menos para já. Em declarações ao Maisfutebol, o empresário de Bruno Cortez, Eduardo Uran, garante que Cortez reagirá bem a tudo isto: «O futebol é isto. Ele tem que continuar, quer provar o seu valor e vai fazê-lo. Claro que gostaria de atuar na Champions, mas a época é longa e ele terá muitas oportunidades de se impor».

Uran ressalva que ainda não falou com o jogador desde que se soube da exclusão da lista para a Champions. Mas revelou: «Vou ter uma conversa com ele, uma conversa de estabilização. Vou dizer-lhe que no futebol é preciso estar preparado para tudo. A ideia dele é vencer no Benfica e tem tudo para isso», insistiu.

E a entrada de Siqueira, não significa uma perda de espaço para Cortez? Eduardo Uran mantém a linha do discurso: «Um jogador tem que estar sempre preparado para a concorrência. Para dar o seu melhor diariamente».