Na passada quinta-feira, o Estado islandês suspendeu o pagamento de 750 milhões de dólares de amortização por um empréstimo contraído por um dos bancos que foram recentemente nacionalizados devido à crise financeira. O problema é que a suspensão não foi decidida por Reykjavik, o que significa que o Estado islandês já não tem capacidade para responder pelos compromissos financeiros internacionais da banca islandesa nacionalizada.

O mais recente relatório do Banco Central da Islândia alerta também que os islandeses devem estar preparados para o pior, mais um sinal de que a bancarrota e falência do Estado islandês está por um fio.

De acordo com o relatório, o colapso do sistema bancário do país, a que se somam investimentos de alto risco e qualidade duvidosa, além do descrédito internacional na economia islandesa, deixa à vista uma grave crise económica.