O episódio é contado por Barry Silkman, um antigo jogador inglês, que seguiu a carreira de empresário: «O Tony Henry, que jogou comigo no Manchester City, trabalhava para o empresário do Ronaldo. Fui vê-lo ao Torneio de Toulon e ele desfez a equipa inglesa. Após o jogo, o "olheiro" principal do Everton foi ter com o Tony Henry e perguntou-lhe se podia ter o jogado à experiência. Nem digo qual foi a resposta.

Slikman revela também que ficou impressionado com o talento de Ronaldo, e por isso tentou colocá-lo no Chelsea. «Três meses depois o negócio estava feito com o Manchester United, e o resto é história», recorda o empresário.

Em entrevista ao site «sport.co.uk», Barry Silkman revela um outro episódio com um jogador português que o impressionou. «Tentei negociar o Nani com o Middlesbrough, pois estava próximo deles, na altura. Ofereci-o, mas o Gareth Southgate não o apreciou. Ele custava três milhões e meio de libras (n.d.r. cerca de quatro milhões de euros). Oito ou nove meses depois foi para o Manchester United por 27 milhões de dólares (n.d.r. 25 milhões de euros, na altura)», conta o empresário. «O director executivo do Manchester, David Gill, até ligou ao director executivo do Middlesbrough, Keith Lamb, a perguntar se era verdade, e ele confirmou», acrescenta.

O momento em que Zidane não foi suficientemente bom

Silkman relata ainda um outro «desencontro», que desta vez não envolve portugueses. Conta o empresário que o maior negócio que perdeu envolvia um francês que aos 23 anos jogava no Bordéus, e que respondia pelo nome Zinedine Zidane. «Ofereci-o ao Newcastle no início de 1996, por 1,2 milhões de libras (um milhão e quatrocentos mil euros). Observaram-no, e disseram que não era suficientemente bom. Três meses depois foi para a Juventus por esse valor, e posteriormente seguiu para o Real Madrid, que pagou 48 milhões de libras (n.d.r. 75 milhões de euros, na altura)».