A informação foi avançada pelo jornal O Jogo e confirmada pelo Maisfutebol. Aos 36 anos, o veterano da equipa B aceitou o desafio de continuar a liderar a defensiva azul e branca.

O central, que não competiu na temporada 2011/12, foi encarado como um potencial líder no balneário e exemplo para os mais jovens. Integrou o plantel do F.C. Porto B na última época e os resultados foram extremamente positivos.

Referência entre as inexperientes promessas do clube, Zé António demonstrou ainda uma regularidade acima da média. Não obstante a sua idade, esteve em 32 jogos, sempre como titular e a tempo inteiro. Ao longo da competição, o defesa marcou ainda quatro golos.

O experiente jogador emigrou em 2005, rumo ao Borussia Monchengladbach. Passou pelo Manisaspor da Turquia e esteve ainda duas épocas no Racing Santander. Em 2009, regressou a Portugal para representar a União de Leiria por dois anos. Seguiu-se uma paragem e o convite do F.C. Porto, clube ao qual estivera vinculado na reta final da sua formação.

Zé António partirá para a segunda época no F.C. Porto B, continuando a ajudar nomes como Tiago Ferreira, adiando para o final da próxima época uma decisão quanto à mudança de rumo na carreira. Ficar no clube, com outras funções, é uma possibilidade em cima da mesa.

«Ele vive para a profissão»

Rodolfo Vaz, antigo diretor desportivo da União de Leiria, conhece Zé António há vários anos e aplaude a longa carreira do jogador.

«Antes do mais, o José António é um profissional competente. Vive para a profissão, ou seja, adequa todos os seus comportamentos à actividade profissional que exerce e dedica-se a ela de forma exemplar. Na verdade, ele faz isso desde sempre», começa por frisar.

O profissionalismo é reflexo de uma personalidade forte: «A profissão de futebolista é extremamente exigente e o José António percebeu isso muito cedo e todos os que o conhecem sabem que há coisas com as quais não podem contar com ele. Tudo o que envolva comportamentos que possam, hipoteticamente, colocar em causa o seu desempenho profissional, o José António pura e simplesmente recusa.»

«Julgo que esta formula é a que lhe permitiu chegar até aqui mantendo todas as suas capacidades profissionais imutáveis e tornando-o um verdadeiro modelo», remata o amigo de longa data, através do Maisfutebol.