Daniel Carriço, um senhor central

Regressou à equipa, ele que foi suplente com o Bayern em detrimento dos centímetros de Tonel para combater os postes bávaros. Esta noite mostrou que não é necessário ser alto para ser grande. Jogando como central mais solto, cortou bolas, limpou o raio de acção, fez compensações. Personalizado e maduro, orientou a defesa e acalmou colegas.

João Moutinho, um jogo à imagem dele

O clássico acabou por ser jogo disputado, rasgadinho, mais suado do que inspirado. Um jogo à imagem do capitão. Por isso João Moutinho cresceu com ele. Raramente surgiu a fazer movimentos de ruptura, à excepção de um ou outro passe que rasgou a defesa do F.C. Porto. Mas defendeu, recuperou bolas, lutou e empurrou a equipa para a frente.

Pereirinha, discreto mas cirúrgico

Pereirinha não consegue ser exuberante, não vai do feitio dele. Dentro da descrição habitual, porém, deu largura ao futebol pela direita e cruzou para as duas melhores ocasiões de golo: Izmailov falhou em boa posição, Derlei serviu Liedson para atirar à barra. Ainda salvou um golo de Rodriguez em cima da linha. Caiu na segunda parte

Liedson, faltou-lhe o golo que procurou

O brasileiro começou discreto, um pouco como a equipa. Percorreu os minutos iniciais longe da bola e longe do jogo. Conforme a equipa percebeu que podia subir, Liedson subiu com ela. Então tornou-se um pouco mais Liedson. Não chegou para corresponder às expectativas, mas assustou. Teve duas ocasiões de golo e numa delas atirou à trave.

Derlei, o azul dá-lhe vontade

É um lutador por natureza, é verdade que sim, mas os jogos com o F.C. Porto aquecem-lhe a alma. Por isso viu um amarelo cedo por discutir com o árbitro. Controlou-se o resto do tempo e jogou apenas à bola. Então correu, correu, procurou jogar nos espaços, ofereceu soluções aos colegas e correu. Foi o primeiro a dar o exemplo à equipa.

Rochemback, combativo pelo menos

O brasileiro acabou por ser um dos jogadores mais criticados na sequência da goleada com o Bayern Munique. Um pouco justamente, aliás, dada a displicência. Esta noite respondeu com nervo e um bom trabalho individual. Lutou à frente da defesa, disputou as bolas com agressividade, pegou no jogo e tentou distribui-lo com ordem e método.