Certo é que as ausências de dois jogadores fundamentais na dinâmica da equipa aumentam o grau de dificuldade. Este domingo, portanto, pelas 19.15 horas, vai ser um F.C. Porto em posição de equilíbrio, como um miúdo que anda de bicicleta: agora sem mãos. A expectativa passa por entender como o resto da equipa mantém a harmonia.

Neste resto da equipa incluem-se as novidades, claro, mas incluem-se acima de tudo os outros habituais titulares. Parte muito do que eles puderem fazer a esperança em manter a linha de vitórias. Sem os passes em profundidade de Lucho e sem os desequilíbrios individuais de Hulk, é a hora de Lisandro, Rodriguez e Raul Meireles se assumirem.

Entre Tomás Costa e Farias

No F.C. Porto a maior dúvida está entre Tomás Costa ou de Farias no lugar de Hulk. Uma e outra alteram a dinâmica da equipa. Tomás Costa obriga Mariano a subir no terreno, ele que já estava programado para compensar Lucho. Farias retira dinâmica ao ataque: o F.C. Porto passa a jogar com um homem fixo em vez de três móveis na frente.

A aposta do Maisfutebol passa por Farias: está de pé quente, tem mais ritmo de jogo e oferece soluções perante um adversário que vai jogar à defesa. Jesualdo não desfaz a dúvida. O treinador diz apenas que a ideia é a de sempre. «Não há adversários ideais, há adversários que têm as suas capacidades e há um F.C. Porto que quer ganhar.»

V. Setúbal não ganha no Porto há 20 anos

Se Jesualdo não conta com Lucho e Hulk, o treinador do V. Setúbal não tem Sandro, André Marques (lesão), Elias e Leandro Branco (castigo). Ora por isso Carlos Cardoso considera que os sadinos estão bem piores do que o campeão nacional. «É mais fácil ao F.C. Porto substituir esses jogadores do que ao Vitória colmatar as ausências», disse.

O V. Setúbal não costuma, de resto, ser um adversário difícil no Porto. Em 68 jogos, só ganhou seis, quatro dos quais para a Liga. Não ganha na casa do F.C. Porto, de resto, há vinte anos, desde 88/89, quando venceu por 1-0. Por isso o treinador diz que um bom resultado no Dragão é pontuar. «Os jogadores vão fazer tudo para saírem satisfeitos».

Equipas prováveis

F.C. PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Cissokho; Fernando, Raul Meireles e Mariano; Lisandro, Farias e Rodriguez.

Suplentes: Nuno, Stepanov, Madrid, Guarín, Tomás Costa, Tarik e Rabiola.

V. SETÚBAL: Kieszek; Janício, Robson, Auri e Brigues; Ricardo Chaves, Hugo e Bruno Ribeiro; Paulo Regula; Leandro Lima e Bruno Gama.

Suplentes: Bruno Vale, Anderson, Zoro, Michel, Moisés, Carrijo e Laionel.