Esse período de maior pressão aconteceu na segunda parte. O FC Porto entrou mal, o rival empatou e o tribunal do Dragão não perdoou.

Jackson explica o que correu mal. «Não estávamos a encontrar a circulação interna que normalmente tínhamos. Eles subiram as linhas e não pudemos ter a circulação de bola de antes. Tivemos dificuldades. Mas ainda assim conseguimos continuar a criar situações de golo», sublinha.

O empate só piorou as coisas. «Foi um momento difícil», assume Jackson, lembrando que o golo surgiu num erro portista. «A finalização é mérito deles, mas não foi uma jogada que eles criaram, fomos nós que cedemos», lamentou.

«Foi um jogo difícil e sabíamos que ia ser muito difícil. O FC Porto tentou fazer um bom jogo. Depois do empate começaram a criar perigo, tiveram mais bola, animaram-se mais a jogar e nós tentamos tirar-lhes a profundidade. Eles têm bons jogadores e fizeram um bom jogo também», elogiou.

Vem aí o Arouca: «Não podemos continuar a errar»

A vitória, contudo, acabou por aparecer, o plantel respirou de alívio e já pensa em futuras pelejas. No caso, o Arouca, este sábado, para a 8ª jornada da Liga.

«Já estamos a pensar no Arouca. Esperamos que o jogo sirva para continuar com o nosso futebol. Não tem sido uma temporada fácil e não vai ser uma temporada fácil. Mas esperamos no final da temporada, se nos permitirem, poder desfrutar de um grande resultado», projetou.

O FC Porto já empatou três jogos na Liga e tem um atraso de quatro pontos para o Benfica que urge recuperar. «A ideia é não ceder mais pontos», avisa Jackson. «Quantos mais cedermos, mais reduzidas ficam as possibilidades de lutar pelo título», acrescenta.

«Mas ainda faltam muitos jogos. O que podemos fazer é não continuar a errar no campo e a dar situações de golo aos rivais», rematou.