Héctor Herrera está há seis anos no FC Porto. Entre alguns altos e baixos, o internacional mexicano não tem dúvidas em eleger o momento mais marcante de dragão ao peito.

«Foi o meu primeiro campeonato em Portugal. Foi um ano inesquecível a nível pessoal, sinto-me muito contente e orgulhoso por ter conseguido vencer o meu primeiro título, por ser capitão e por ter levantado a taça. Foi incrível. Os momentos que vivemos na última temporada e os festejos que vimos na rua são coisas que não sei se voltarão a acontecer. Foram momentos que os adeptos e os jogadores vão levar para sempre. Vencer a Liga e evitar que o Benfica fosse pentacampeão fez com que a cidade explodisse de alegria», começou por dizer, em entrevista à Marca Claro.

O médio de 28 anos teve um papel fundamental na conquista dos azuis e brancos ao apontar o golo que ditou o triunfo em pleno estádio da Luz. Esse foi, porventura, um dos melhores momentos de Herrera desde que trocou o México pela Invicta, em contraste com outros mais infelizes. 

«Houve momentos difíceis, mas nunca pensei regressar ao México. Desde que parti para a Europa que sabia que não ia ser uma aventura fácil. Sabia que tinha de trabalhar duro, todos os dias, para estar cada vez melhor. Nunca passou pela cabeça voltar ao México nos momentos mais complicados. Não por menosprezar o México ou por não sentir saudades. Simplesmente queria mostrar que tenho capacidade para jogar na Europa. Quero continuar a competir com os melhores clubes do mundo e os melhores jogadores estão aqui», referiu.

Ainda que tenha os mesmos pontos que o Benfica a cinco jornadas do fim, o FC Porto está em segundo lugar da Liga devido à desvantagem no confronto direto. Herrera é da opinião que quem errar, acabará por perder o título.

«Vai ser um recta final de campeonato bastante competitiva entre as duas equipas. Tudo vai depender da equipa que consiga ser mais madura, consistente e mais forte. Está visto que a equipa que cometer um erro, perderá o campeonato. Temos muita confiança de que vamos conseguir o nosso objetivo principal», analisou.

Por último, o mexicano abordou ainda a questão acerca do processo de obtenção de passaporte português. 

«Tive que estudar para fazer o exame, porque os temas que saem não fazem parte do meu quotidiano. Acredito que correu bem, em breve saberei os resultados. Fiz o exame porque estou muito grato a Portugal, os meus filhos sentem-se portugueses, aliás um dos meus filhos veio para cá com um ano. Quando me retirar, quero continuar a viver no Porto», finalizou.

Herrera, lembre-se, termina contrato com o FC Porto no final da presente época.