Marko Grujic revelou ao portal The Athletic que foi uma espécie de «intermediário» na saída de Luis Díaz para o Liverpool. O internacional sérvio fez o percurso contrário, de Anfiled para o Dragão, e, agora, revela que foi contactado por elementos da equipa inglesa que queriam conhecer mais detalhes sobre o internacional colombiano que acabou por ser contratado na última janela de mercado.

O Liverpool já andava de olho em Luis Díaz e tinha a intenção de o contratar no próximo verão, mas o interesse do Tottenham levou o clube de Anfield a antecipar o processo e os primeiros passos foram dados no final de novembro, quando o FC Porto perdeu 2-0 em Anfield.

«Algumas pessoas do clube perguntaram-me se o Luis é uma boa pessoa. Perguntaram-me como era o seu comportamento fora do campo. Eu disse-lhes que ele era um tipo simpático, que se enquadra bem em qualquer grupo. Também falei um pouco com o Luis sobre o Liverpool, ele estava feliz por um clube como este se interessar por ele», começa por contar Grujic.

No entanto, o jogador sérvio acabou por ser apanhado de surpresa quando Díaz saiu mesmo para o Liverpool. «Como jogadores, não estávamos à espera que isso acontecesse. Foi tudo muito rápido depois do Luis ter saído para ir jogar com a seleção, portanto, nem chegámos a despedirmo-nos como deve ser», acrescentou.

Grujic lamenta, acima de tudo, a saída de um grande jogador. «Vamos sentir a falta dele porque é um grande jogador. Marcou muitos golos importantes para nós. Qualquer equipa que perca um jogador do calibre dele vai sentir falta, porque ele tem a qualidade para fazer a diferença em alguns jogos. Tem a capacidade para mudar um jogo em apenas um segundo», conta.

Com tanta qualidade, Grujic não tem dúvidas de que Luis Díaz vai adaptar-se bem ao Liverpool. Não vejo outra opção a não ser uma relação de sucesso entre o Luis, o clube e os adeptos. Já comecei a ver que os adeptos gostam dele pelas suas qualidades técnicas e ofensivas. Tenho a certeza que vão gostar muito mais deles porque o Luis tem muito para oferecer», destacou ainda.