Jorge Jesus, técnico que já passou por Benfica e Sporting, anteviu o Clássico deste domingo entre as águias e o FC Porto. O atual treinador do Al-Hilal atribuiu um ligeiro favoritismo à equipa de Rui Vitória, embora tenha sublinhado o registo negativo dos últimos anos, no que diz respeito aos confrontos com os dragões.

«Do meio-campo para a frente o Benfica tem jogadores muito rápidos, desequilibradores. Na Luz tornam-se mais perigosos. Talvez por isso atribua alguma dose de favoritismo ao Benfica. Mas nada do que se possa dizer que há um vencedor antecipado. Nestes jogos isso não existe», disse, em entrevista ao Record, recordando os quatro anos sem ganhar do Benfica ao crónico rival.

«O Benfica é capaz de ser mais forte do que o FC Porto neste jogo também por isso. Acredito que os jogadores estejam fartos de não ganhar o Clássico.»

Para Jesus a análise às duas equipas é simples. «O FC Porto é mais equilibrado e seguro, enquanto o Benfica é mais forte do ponto de vista ofensivo e criativo», referiu.

O técnico de 64 anos reclamou ainda o mérito pela contratação de Raphinha, jogador que tem estado em plano de evidência no Sporting.

«Fui buscar o Raphinha e desejava tê-lo tido em janeiro. Tem muito talento e gostava de o ter treinado. É um miúdo que vai contar para outro técnico, mas que pode dar ao Sporting coisas como talento, velocidade e golo», explicou, antes de falar de Jovane Cabral.

«Jovane fez a pré-época connosco e teve uma lesão que o afastou um mês. Não fosse isso, e teria dado ainda mais dores de cabeça dos jogadores da primeira equipa.»