Adriano Galliani deu esta sexta-feira por encerrada em definitivo a hipótese de Aly Cissokho se transferir para o Milan. O administrador-delegado do clube italiano diz que negociou «durante um dia e meio» com o F.C. Porto uma solução alternativa ao acordo inicial de 15 milhões de euros, que passaria por um empréstimo ou uma redução da transferência, mas não houve acordo. E agora até diz que o Milan não irá procurar uma alternativa, porque «tem muitos laterais».
«O negócio acabou, é passado. Não chegámos a acordo económico com o F.C. Porto, nem para o empréstimo com opção de compra nem para uma redução do preço, tendo em conta os problemas», afirmou o dirigente à entrada para as instalações da Liga italiana, referindo-se aos problemas dentários do jogador identificados pelos responsáveis médicos do Milan.
«Negociámos durante um dia e meio, mas não houve acordo, apesar de haver disponibilidade do F.C. Porto e também da nossa parte para fazer alguma coisa», prossegue Galliani, antes de rejeitar a hipótese de o Milan avançar agora para uma alternativa: «Não, acho que temos muitos laterais e ficam cá. Temos o Zambrotta, o Oddo, o Jankulovski, o Antonini, o Bonera, que pode fazer a faixa, e o Flamini. Estamos cobertos.»
O que o Milan procura, diz Galliani, é um avançado-centro. O dirigente confirma o interesse em Edin Dzeko, mas diz que as negociações com o Wolfsburgo pelo avançado estão difíceis. «Esperamos chegar a acordo com ele, se não tentaremos outro», afirma, garantindo de resto que o clube conta com Ronaldinho Gaúcho. «Já cá estava, está cá, contamos muito com ele para a próxima época, mas o substituto de Kaká será o avançado-centro que vier», afirma.