Hulk

Voltou a jogar depois de ter estado fora da equipa nos últimos dois jogos devido a um drama familiar e não poderia ter tido um regresso melhor. O «Incrível» iniciou o jogo bem ao lado de Falcao na frente de ataque portista. Algo nervoso e individualista tentou fazer uso da técnica e velocidade para criar perigo junto da área da equipa belga ,mas nem sempre teve sucesso. Aos 24m permitiu que o guarda-redes defendesse uma grande penalidade, mas passados dois minutos protagonizou um dos momentos do jogo ao marcar o golo do empate num grande remate de livre directo, a cerca de 30 metros da baliza. Na segunda parte, voltou a ter oportunidade de cobrar um castigo máximo e desta vez não deu a mínima hipótese ao guarda-redes da equipa belga. Aos 63m voltou a levantar o estádio do dragão ao assinar um hat-trick com uma execução espectacular de um livre directo.

Souza

Bom jogo do médio brasileiro. Fez dupla no meio-campo com Fernando e não acusou a pressão de jogar pela primeira vez como titular dos dragões. Mandou no sector intermediário do F.C Porto. Preciso a defender, o médio recuperou inúmeras bolas na sua zona do terreno, Prático na forma como conduz a bola, foi o primeiro municiador do ataque portista. Boa alternativa para André Villas-Boas.

Fernando

Parece estar em todo o lado. O futebol dos dragões passa todo pelo médio. Recupera a bola e põe a equipa a jogar. Desmarcou Hulk depois de um excelente trabalho no lance que deu origem à primeira grande penalidade. Simples de processos, foi premiado com o primeiro golo em jogos oficiais pela equipa portista, num remate de fora da área em que o guarda-redes poderia ter feiro muito melhor.

Rúben Micael

Reclamou a titularidade frente ao Beira-Mar e Villas-Boas fez-lhe a vontade, mas demonstrou não estar em forma. Jogou onde mais gosta, bem atrás dos avançados mas nunca conseguiu pegar no jogo dos dragões. Mostrou que não está bem fisicamente e isso notou-se na forma de jogar. Falhou muitos passes no ataque dos dragões e acabou por sair com naturalidade aos 74m para dar lugar a Castro. Tem que mostrar mais se pretender intrometer-se na luta pela titularidade.

João Moutinho

Foi a contratação mais cara da nova época dos dragões e ainda não conseguiu provar completamente o seu valor. Iniciou a partida a jogar encostado à esquerda mas não deslumbrou. Tentou simplificar ao máximo o jogo dos portistas mas pede-se mais ao ex-capitão do Sporting. Sofreu a falta que deu origem à grande penalidade convertida na segunda parte por Hulk e saiu aos 62 minutos para dar lugar a Belluschi.

Vossen

É o melhor marcador da equipa belga e não precisou de muito para comprovar esse estatuto. Duas oportunidades, dois golos. No primeiro, antecipou-se bem a Rolando e não deu a mínima hipótese a Beto ao rematar colocado para o fundo da baliza. Voltaria a marcar num excelente cabeceamento. Insuficiente.