Jesualdo Ferreira, treinador do F.C. Porto, em declarações na sala de imprensa no final do empate caseiro cedido frente ao P. Ferreira (1-1):
«Não gosto de começar por aí, mas não posso deixar de referir que o que aconteceu hoje começou no último domingo. Em mais um lance claro, do Falcao, o F.C. Porto faria um golo. Com ele tínhamos ganho o jogo, apesar de alguma ineficácia que mostramos em certos momentos. É verdade que esse lance dava um jogo diferente que podia até ter o mesmo resultado. Mas seria sempre mais justo. Preocupa-nos o que tem vindo a acontecer. O F.C. Porto tem de começar a ter cuidado e pensar que os jogadores têm de estar dois metros atrás da linha da bola. A lei determina que em caso de dúvida não é a favor do F.C. Porto. E em linha também não. Os avançados do F.C. Porto jogam dos limites, porque é assim que eu quero que eles joguem, mas é natural que comecem a ficar desconfiados, quando marcam golos que não são validados. O F.C. Porto foi prejudicado na semana passada e voltou a ser prejudicado hoje. Acima de tudo, foi um jogo mal julgado.»
«Há um golo mal anulado, há um lance idêntico com o Varela, há um canto que não foi dado e acabou por resultar num amarelo para o Bruno Alves que o impede de jogar na próxima jornada. Fizemos um jogo seguro e equilibrado, suficiente para ganhar. A segunda volta começou hoje, ainda há muitos jogos para fazer e continuamos a trabalhar para chegar ao fim na frente que é o nosso objectivo.»
«Os jogadores bateram-se bem, mesmo com algumas desatenções provocadas pela alteração na estrutura. O P. Ferreira fez o seu jogo. Acabou por haver um resultado que não é justo e não premeia o que os jogadores fizeram. Perdemos dois pontos. Nesta dupla jornada em casa tínhamos de fazer seis pontos e não fizemos. Fizemos um jogo seguro e equilibrado, suficiente para ganhar. A segunda volta começou hoje, ainda há muitos jogos para fazer e continuamos a trabalhar para chegar ao fim na frente que é o nosso objectivo.»