Nani assiste, Rooney bisa; quem pára o United?

«Tinha dito há uns tempos que era impossível um jogador chegar aos 42 golos, mas ele já vai nos 32, portanto é um desafio para ele. Ele é capaz de marcar nos próximos oito jogos da Liga e pode ter ainda mais cinco jogos na Europa, portanto tem 13 possíveis jogos e nunca se sabe, não diria que ele não pode chegar lá. Já estava contente por ele ter chegado à marca dos trinta golos, mas estamos a gostar desta veia goleadora», comentou o carismático treinador escocês.

A satisfação do treinador explica-se também pelas dificuldades criadas pelo Fulham, que deixou o United em branco até ao intervalo. Rooney, a passe de Nani, quebrou a resistência do inspirado guarda-redes Schwarzer nos primeiros instantes da segunda parte. A confirmação da vitória chegou já perto do final, como novo golo de Rooney, a passe de Berbatov, antes do búlgaro fechar a contagem. «O Fulham em posse de bola obrigou-nos a trabalhar duramente e a correr mais. Foi difícil tirar-lhes a bola. Eles têm jogadores experientes que se sentem confortáveis com a bola nos pés», comentou.

Um jornal inglês citou este domingo o treinador a abrir as portas ao regresso do português a Old Trafford. «Gosto de pensar que um dia voltará, quem sabe. Não acredito que vá ficar em Madrid a vida toda. Tenho uma boa relação com ele. É um bom rapaz», são as declarações de Ferguson referidas no «Sunday Experss».