O engenheiro de eletrónica e telecomunicações fabricou um percurso em que os restantes 27 jogos como selecionador em três fases de apuramento se dividem em 22 vitórias, cinco empates e a tal única derrota. Esta aconteceu em 22 de março de 2013, ou seja, foi há 930 dias, há mais de dois anos e meio.

Fernando Santos perdeu o último jogo como selecionador numa fase de qualificação há 13 jogos. Entre os 12 que se seguiram, o treinador português ganhou 11 e também apenas só cedeu um empate.

Antes de tomar conta de Portugal no apuramento para o Euro 2016, Fernando Santos foi selecionador da Grécia nas fases de qualificação para o Euro 2012 e para o Mundial 2014. A única derrota do atual timoneiro da seleção portuguesa em apuramentos para um Europeu ou Mundial foi ao serviço da equipa nacional grega, frente à Bósnia-Herzegovina no Grupo G de qualificação para o campeonato do Mundo do Brasil.

A derrota na Bósnia deixou a Grécia no final do apuramento no segundo lugar do Grupo G, com os mesmos pontos dos bósnios, mas em desvantagem no confronto direto em relação aos que acabaram por ficar como vencedores do agrupamento. A Grécia foi então obrigada a disputar um play-off de apuramento com a Roménia.

Nesse Mundial 2014, a Grécia passou a fase de grupos com uma vitória, um empate e uma derrota e foi eliminada nos oitavos de final pela Costa Rica, depois de um empate só ter sido resolvido na marcação de pontapés da marca de grande penalidade. No Euro 2012, a Grécia de Fernando Santos voltou a registar um de cada resultado possível na primeira etapa e foi em seguida eliminada pela Alemanha nos quartos de final perdendo 4-2.

As fases finais das competições refletem o expectável poderio da seleção grega num torneio continental ou mundial, mas, nas mais alargadas qualificações, as equipas orientadas por Fernando Santos têm sido exemplares, como se verificou já com Portugal.

Fernando Santos substituiu Paulo Bento no comando de Portugal ao segundo jogo do atual Grupo I de apuramento para o Euro 2016. Na primeira partida do agrupamento, a seleção nacional perdeu em Aveiro com a Albânia. Bento saiu a seguir. Estava-se em setembro de 2014. E entrou Fernando Santos.

O engenheiro chegou à seleção portuguesa com uma suspensão de oito jogos por cumprir em consequência da expulsão com que se despediu do Mundial 2014. De recursos em adiamentos, Fernando Santos acabou por apenas ficar dois jogos fora do banco – estreou-se na Dinamarca e recebeu a Arménia falhando depois a receção à Sérvia e a ida à Arménia (esteve Ilídio Vale no banco) e regressando na Albânia.

Com seis títulos ganhos em clubes, Fernando Santos começa agora a deixar a sua marca como selecionador que não falha [em palavras nossas]. Com dois títulos de campeão nacional pelo FC Porto (1998/99), o «engenheiro do penta» deu ainda aos dragões mais duas Taças de Portugal (1999/00 e 2000/01) e duas Supertaças (1998/99 e 1999/00).

Na Grécia, a passagem de Fernando Santos por vários clubes apenas lhe deu uma Taça ao serviço do AEK (2001/02), mas o prestígio ganho ao longo de vários anos deu aos gregos a confiança de que não falharia na substituição de Otto Rehhagel, o treinado que levou a seleção grega a ganhar o título europeu.

Desde que se estreou pela Grécia como selecionador, Fernando Santos tem sido uma autêntica máquina de fazer pontos em fases de qualificação. Este é um dos expoentes da sua carreira de treinador. Como mostram os seus números, onde só uma derrota consta em apuramento.

Agora como selecionador de Portugal, desde que é selecionador (incluindo os jogos de Ilídio Vale a substituí-lo no banco), Fernando Santos tem seis vitórias em seis jogos feitos (sempe pela margem mínima) – igualando a melhor série de sempre da seleção nacional (que o tinha sido conseguido com Luiz Felipe Scolari com dois triunfos no apuramento para o Mundial 2006 e as primeiras quatro vitórias já na fase final desse Campeonato do Mundo da Alemanha).

Os jogos de Fernando Santos como selecionador em fases de apuramento:

Qualificação Euro 2012 pela Grécia:

10 jogos: 7 vitórias, 3 empates, 0 derrotas; golos: 14-5

Grupo F

03-09-2010 Grécia-Geórgia, 1-1

07-09-2010 Croácia-Grécia, 0-0

08-10-2010 Grécia-Letónia, 1-0

12-10-2010 Grécia-Israel, 2-1

26-03-2011 Malta-Grécia, 0-1

04-06-2011 Grécia-Malta, 3-1

02-09-2011 Israel-Grécia, 0-1

06-09-2011 Letónia-Grécia, 1-1

07-10-2011 Grécia-Croácia, 2-0

11-10-2011 Geórgia-Grécia, 1-2

Qualificação Mundial 2014 pela Grécia:

12 jogos: 9 vitórias, 2 empates, 1 derrota; golos: 16-6

Grupo G

07-09-2012 Letónia-Grécia, 1-2

11-09-2012 Grécia-Lituânia, 2-0

12-10-2012 Grécia-Bósnia, 0-0

16-10-2012 Eslováquia-Grécia, 0-1

22-03-2013 Bósnia-Grécia, 3-1

07-06-2013 Lituânia-Grécia, 0-1

06-09-2013 Liechtenstein-Grécia, 0-1

10-09-2013 Grécia-Letónia, 1-0

11-10-2013 Grécia-Eslováquia, 1-0

15-10-2013 Grécia-Liechtenstein, 2-0

Play-off

15-11-2013 Grécia-Roménia, 3-1

19-11-2013 Roménia-Grécia, 1-1

Qualificação para o Euro 2016:

6 jogos: 6 vitórias, 0 empates, 0 derrotas; golos 9-3:

Grupo I

14-10-2014 Dinamarca-Portugal, 0-1

14-11-2014 Portugal-Arménia, 1-0

29-03-2015 Portugal-Sérvia, 2-1

13-06-2015 Arménia-Portugal, 2-3

07-09-2015 Albânia-Portugal, 0-1

08-10-2015 Portugal-Dinamarca, 1-0

*o primeiro jogo desta qualificação que não está incluído nesta tabela foi o Portugal-Albânia, 0-1 com Paulo Bento