Jesualdo Ferreira, treinador do F.C. Porto, mostrou-se satisfeito com o apuramento para a final da Taça de Portugal, apesar do desaire na Reboleira frente ao Estrela da Amadora (2-1):

«Sabíamos que o E. Amadora tinha de marcar quatro golos para nos eliminar, mas para nós foi um jogo feio, mau. Tivemos ainda de fazer outra substituição, tirando o Sapunaru, e isso retirou-nos a possibilidade de refrescar um pouco mais a equipa. Conseguimos dar um passo importante num dos objectivos da época, mas não estamos nada contentes com o que aconteceu aqui hoje. Mais uma vez, fica uma palavra para todas estas situações que ensombram o futebol português.»

Sobre o adversário na final: «Paços de Ferreira é um péssimo adversário, entre aspas, porque a partir de agora toda a gente vai dizer que o F.C. Porto é o favorito, que já vai ganhar a Taça. Mas vamos encerrar agora o capítulo da Taça, vamos partir de novo para o campeonato com garra e determinação.»

Sobre a possibilidade de não jogar no Jamor, uma vez que F.C. Porto e P. Ferreira são da mesma associação: «Há alguns países em que é diferente. O Jamor é um local onde só se joga uma competição. Para o F.C. Porto e para o P. Ferreira, com esta crise, será difícil lá chegar, mas não queria discutir isto agora. Mas, face à situação que o país atravessa, talvez fosse uma boa altura para a Federação pensar nisso e tomar uma posição.»

Sobre o alegado interesse em Javier Pastore: «Não conheço. É um cantor de ópera?»