Desde que a final da Liga Europa/Taça UEFA é decidida apenas num jogo, é evidente a influência dos jogadores sul-americanos. A partir da temporada 1997/98, quando o Inter de Milão derrotou a Lazio por 3-0, só três dos jogos decisivos não tiveram golos de jogadores provenientes da América do Sul.

Se a lógica prevalecer no dia 15 de maio, é mais do que provável que o Benfica-Chelsea tenha golos oriundos desse continente. Candidatos, e dos bons, não faltam. Basta falar em Salvio, Nico Gaitán, Óscar Cardozo, Lima e Rodrigo, no Benfica, além de Ramires, Óscar e David Luiz, este de pé quente nas últimas semanas, no Chelsea.

Nas últimas 15 finais, 22 dos 51 golos têm a assinatura de jogadores da estirpe de Ivan Zamorano, Javier Zanetti, Ronaldo, Hernan Crespo, Derlei, Luís Fabiano, Diego Forlan e Radamel Falcao.

O colombiano ex-F.C. Porto, de resto, é um nome incontornável das últimas edições. Em 2011 marcou o único golo dos dragões em Dublin, contra o Sp. Braga, e em 2012 arrasou o Athletic Bilbau com um bis. Diego, outro antigo dragão, fez o outro golo.

As finais da LE (UEFA) a uma mão com golos sul-americanos

1997/98: Inter-Lazio, 3-0 (Zamorano, Zanetti e Ronaldo)

1998/99: Parma-Marselha, 3-0 (Crespo)

1999/00: Galatasaray-Arsenal, 0-0, 4-1 g.p. (-)

2000/01: Liverpool-Alavés, 5-4 (Ivan Alonso)

2001/02: Feyenoord-Dortmund, 3-2 (Amoroso)

2002/03: F.C. Porto-Celtic, 3-2 (Derlei (2))

2003/04: Valência-Marselha, 2-0 (-)

2004/05: CSKA Moscovo-Sporting, 3-1 (Vagner Love e Rogério)

2005/06: Sevilha-Middlesbrough, 4-0 (Luís Fabiano)

2006/07: Sevilha-Espanhol, 2-2, 3-1 g.p. (Adriano e Jónatas)

2007/08: Zenit-Rangers, 2-0 (-)

2008/09: Shakhtar-Werder Bremen, 2-1 (Luiz Adriano, Jadson e Naldo)

2009/10: Atlético Madrid-Fulham, 2-1 (Forlan (2))

2010/11: F.C. Porto-Sp. Braga, 1-0 (Falcao)

2011/12: Atlético Madrid-Athletic Bilbau, 3-0 (Falcao (2) e Diego)