Foi preciso ir a prolongamento, mas o Futebol Benfica fez mesmo a primeira dobradinha da sua história ao vencer o Clube Albergaria com golo de Joana Flores (1-0).

Taça de emoções e de superação também no feminino

 

A festa da Taça de Portugal voltou ao Estádio Nacional seis dias depois do emocionante Sporting-Sp. Braga, desta vez para a final da prova em futebol feminino entre o Clube Futebol Benfica e o Clube Albergaria. E foi a valer!

 

A tarde foi de sol e o ambiente de festa: muitos cânticos do início ao fim a dar ao espetáculo do futebol feminino ainda mais emoção.

 

Lá dentro, no relvado, as duas equipas tentavam a primeira Taça da sua história. Conseguiu-o o Futebol Benfica, mas o Albergaria também merecia após 90 minutos de superioridade e mais meia hora de superação.

Aos 113 minutos, a garantia da Taça com polémica

 

A primeira parte começou bem, mas com o decorrer dos minutos o jogo quebrou. Assim, as oportunidades foram escassas e houve apenas uma grande ocasião de golo para cada lado.

 

Para o Albergaria, aos 7 minutos, com Sandra Pinheiro a levar a bola ao ferro da baliza de Elsa Santos. Para o «Fofó», aos 16 minutos, com Patrícia Gouveia, contudo, a chutar fraco e ao lado, após confusão na área e sem oposição.

 

Esteve melhor o Albergaria, com a extremo direito Jéssica Silva a mostrar toda a sua velocidade e a enorme qualidade técnica. Uma das promessas do futebol nacional, de apenas 20 anos, que voltou ao clube de formação, depois de representar o Linkoping do competitivo campeonato sueco.

 

0-0 ao intervalo. 

Na segunda metade, a equipa de Aveiro continuou por cima. Com Jéssica Silva a voltar a ser a melhor, a imprimir velocidade ao ataque e a ser um quebra-cabeças para a defesa do Futebol Benfica.

 

Mas nada de golos.

 

As ocasiões continuaram a ser quase nulas, com o perigo a chegar apenas de bola parada. Primeiro para o Albergaria, aos 55 minutos, mais tarde para o «Fofó» com Filipa Galvão a levar o esférico a sair por cima da baliza de Rute Costa.

 

Guardiã que aliviou bem, aos 84 minutos, um remate de Andreia Silva à entrada da grande área.

 

Por isso, sem golos após os 90 minutos, houve necessidade de ir a prolongamento e aí o Futebol Benfica mostrou-se.

O «Fofó» foi superior nessa meia-hora. Primeiro com Joana Marques, acabada de entrar, e sem oposição a rematar rasteiro para os pés de Rute Costa. E depois, aos 113 minutos, a conseguir o golo.

Boa jogada de contra-ataque do Futebol Benfica, com Catarina Realista na direita a entregar para a área, onde estava Joana Flores para tocar leve para o 1-0. 

Um golo polémico, por suposto apito de Catarina Campos, antes de a bola entrar e que originou muitos protestos, misturados com a explosão de alegria da equipa lisboeta e a desilusão da de Albergaria, que fez mais para levar o troféu.

 

 

Final da Taça de Portugal de futebol feminino – Estádio Nacional

Clube Futebol Benfica vs Clube Albergaria (1-0)

Árbitra: Catarina Campos  Árbitras assistentes: Soraia Teles e Célia Santos  4.ª árbitra: Ana Araújo

 

Futebol Benfica: Elsa Santos, Matilde Fidalgo, Filipa Patão, Sofia Nunes, Sílvia Brunheira, Catarina realista, Andreia Silva, Filipa Galvão, Ana Teixeira, Joana Flores e Patrícia Gouveia.

Substituições: saiu Filipa Galvão e entrou Joana Marques (96 m) e saiu Joana Flores e entrou Catarina Carvalho (120 m).

Suplentes: Sara Costa, Miriam Lobato, Carla Silva, Joana Rosa e Andreia Marques.

Treinador: Pedro Bouças.

Golos: Joana Flores (113 m).

 

Clube Albergaria: Rute Costa, Érica Gonçalves, Patrícia Mendes, Carolina Silva, Ana Almeida, Jéssica Silva, Catarina Almeida, Raquel Reis, Sandra Pinheiro, Andreia Norton e Sara Santos.

Substituições: saiu Sandra Pinheiro e entrou Bárbara Martins (12 m), saiu Andreia Norton e entrou Rita Cheganças (87 m), saiu Ana Almeida e entrou Ana Tavares (107 m),

Suplentes: Tânia Oliveira, Cátia Marques, Patrícia Oliveira e Joana Baptista.

Treinadora: Paula Pinho.