Seba está aliviado e optimista. O avançado do Belenenses já regressou ao Estádio do Restelo, onde foi euforicamente recebido pelos colegas. Seba terá de ser operado a um problema no coração mas a sua carreira não está em risco e o espanhol fala mesmo em voltar à competição em Dezembro.  
 
«Foi tudo um susto», admite Seba, que regressou segunda-feira dos Estados Unidos, onde foi observado na clínica Mayo. Depois de pareceres contraditórios entre médicos portugueses e espanhóis, apurou-se finalmente que Seba padece de um problema numa válvula cardíaca, que o vai obrigar a ser operado mas que não o impedirá de continuar a jogar futebol, como se chegou a temer.  
 
«Disseram-me que em três meses - talvez em Dezembro - já estarei em condições de voltar a jogar. É como se fosse operado ao menisco...» A operação à válvula tricúspide, cujo mau funcionamento está a impedir a boa circulação sanguínea no coração do espanhol, terá lugar no dia 29 deste mês, novamente na clínica Mayo.

 
De qualquer forma, Seba confessa que nunca lhe passou pela cabeça ter de terminar a sua carreira. «Em nenhum momento pensei que teria de deixar o futebol, já que não me doía nada. O problema foi descoberto num exame de rotina, muito cedo, por isso creio que tive sorte.» Aliviado, o espanhol mostra ainda assim alguma preocupação. «Dizerem-me que tenho de ser operado ao coração assusta um pouco», admite.  
 
O avançado espanhol elogia a forma como o Belenenses lidou com todo o processo, particularmente o médico Rui Miller. «Esteve ao meu lado em todos os momentos. E os dirigentes portaram-se de forma excelente.» A recepção dos seus companheiros também o deixou emocionado. «Tive vontade de chorar. É um daqueles momentos que não se pagam com dinheiro.»