Um treinador sem receio de arriscar, «nem que contra o Bayern de Munique». José Mota percebe a vontade dos seus jogadores e afirma, sem receio, que «o Paços de Ferreira vai jogar para ganhar ao Benfica». 

Por isso, o esquema táctico vai manter-se a equipa terá de entrar em campo «com a mesma convicção de sempre e ciente que terá de enfrentar muitas dificuldades». O treinador tem consciência do momento especial que os encarnados estão a atravessar e avisa: «O Benfica tem de estar moralizado, pois vem de uma vitória. Se esse motivo não bastasse, também é sabido que o período de eleições pode levá-los a ganhar uma motivação especial para agradar a Direcção». 

As cores do adversário não atemorizam José Mota, mas a visita do Benfica leva a que as bancadas do Estádio da Mata Real fiquem previsivelmente repletas de público. «Esse trará uma motivação acrescida», na perspectiva de José Mota, pois «os jogadores sentem-se orgulhos por terem tanto apoio. Espero que isso se reflicta numa grande exibição». 

O treinador não vai adoptar a estratégia de alguns colegas, jogar à defesa, e só aceita que os seus jogadores fiquem satisfeitos com os três pontos. «Digo-lhes sempre que se empatarmos não ganhamos qualquer pontos, mas perdemos dois. Por isso, amanhã só vou ficar contente se conseguirmos vencer», afirma peremptoriamente. 

Zé Manel em dúvida 

No último treino antes do jogo com o Benfica, Zé Manel esteve ausente devido a gripe. No entanto, ainda existem algumas hipóteses de recuperação e José Mota optou por convocá-lo e elaborou uma lista de 19 jogadores como medida de precaução. 

Por outro lado, o avançado Paulo Vida está totalmente recuperado do entorse sofrido ontem e está apto a jogar, enquanto Chico Fonseca continua a ser o único impedido por lesão. 

Os 19 escolhidos são os seguintes: Pedro, Beto, João Armando, Glauber, Zé Nando, Carlos Carneiro, Adalberto, Paulo Vida Everaldo, Nélson, Zé Manel, Formoso, Rafael, Marco Paulo, Paulito, Pinho, Alfredo Bóia, Gaspar e Filipe Anunciação.