Escassos dias após protagonizar uma surpreendente saída do Moreirense, Ricardo Soares foi anunciado como o novo treinador do Gil Vicente, sucedendo a Rui Almeida, que deixou o cargo recentemente.

Numa altura em que a equipa de Barcelos ocupa o 17.º e penúltimo lugar, o técnico, de 46 anos, explicou aquilo que pretende alcançar ainda na presente época. «O Gil Vicente é um clube com história, apetecível para qualquer treinador, a que queremos dar a estabilidade necessária para ser cada vez mais de primeira Liga. É com grande ambição que cá estamos para atingir o mais rapidamente possível a manutenção, dando tranquilidade a quem participa neste projeto», afirmou em conferência de imprensa.

Ricardo Soares disse ter aceitado o desafio do Gil Vicente por considerar que tem em mãos qualidade suficiente que lhe permita dar continuidade a uma carreira que aponta para «objetivos grandes», referiu que pretende potenciar jogadores para que se transformem em bons ativos financeiros para o clube e abordou o sistema tático que pretende implementar.

«É uma realidade que o sistema de jogo adotado até então visa um 3x4x3. Vou ver o que tenho à minha disposição. Em relação ao 4x3x3, ao 4x4x2 ou ao 3x4x3, já joguei de diferentes formas. No Chaves [em 2016/17] jogava em 4x4x2 e no Moreirense em 4x3x3. Noutros clubes até foi em 3x5x2. Eu gosto de ver os meus jogadores confortáveis», frisou.

Volvidas sete jornadas da Liga, o Gil Vicente marcou apenas cinco golos, o que dá uma média abaixo de um remate certeiro por partida. «Isso [escassez de golos] pode ser uma realidade, mas não vejo as coisas tão lineares. Acredito nos jogadores que cá estão para mudarmos rapidamente esse pormenor», disse.

Tiago Lenho, diretor desportivo que acompanhou a apresentação de Ricardo Soares, justificou que a saída de Rui Almeida se deveu às quatro derrotas seguidas nos últimos jogos e defendeu que a paragem do campeonato seria o 'timing ideal' para mudar. «A saída de Rui Almeida foi uma feliz coincidência com a saída do ‘mister' Ricardo Soares do Moreirense. É uma pessoa que conheço bem, com muita ambição e vontade de triunfar. Os trajetos que tem feito têm sido positivos. Era dessa injeção de ambição e de motivação que estávamos a precisar», assumiu.