«Tenho de ver um atleta independentemente da conjuntura à sua volta. Sou director clínico e é nessa condição que avalio o jogador», esclareceu o médico leonino, em declarações ao Maisfutebol.

Miguel Veloso foi considerado «inapto» para o clássico do Dragão, depois de ter realizado o treino da véspera na totalidade, contudo, Gomes Pereira esclareceu que o facto de o médio trabalhar sob vigilância médica a 48 horas do jogo, deixava-o, desde logo, fora dos disponíveis.

«O Miguel Veloso vai continuar a treinar sob vigilância médica enquanto apresentar limitações. Não o fez hoje porque era o último treino de preparação antes da partida para o Porto. Se assim não fosse teria trabalhado como na véspera, sob vigilância», reiterou o clínico, «convictamente seguro das informações que foram dadas sobre o jogador».