O duelo, agora reeditado na Liga dos Campeões, propagou-se para outras latitudes, atravessando o Atlântico para conquistar os adeptos brasileiros. Foi no Verão de 2009 e aqui fica uma boa notícia para os portistas: Hulk venceu por 3-2.

«Jogámos juntos na juventude. O Hulk é da Paraíba e minha família também é de lá, por isso houve uma afinidade e acabámos por nos tornar amigos. Depois ele foi para o futebol japonês e eu vim para a Inglaterra. Perdemos o contacto. Só nos voltamos a encontrar na temporada passada, no confronto entre Arsenal e F.C. Porto, na Liga dos Campeões», explica Denilson ao Maisfutebol, com a intermediação da sua assessoria de imprensa.

Denilson reencontrou Hulk na época passada e agendou um encontro particular para o interior do estado da Paraíba, no Brasil. Uma forma de juntar amigos e doar cestas de alimentos para famílias carenciadas da região.

A 7 de Junho, num relvado à moda dos Distritais, as pessoas dispersaram pelo peão (não havia bancadas) para assistir a um duelo europeu.

Hulk levou vários equipamentos do F.C. Porto, Denilson fez o mesmo com a roupagem alternativa do Arsenal. Jogou-se em Alagoa Nova, terra dos pais do médio. Mesmo na condição de visitantes, os dragões formados por Hulk, seus amigos e familiares chegaram ao triunfo.

«Foi um jogo beneficente e o objectivo foi arrecadar alimentos para as famílias necessitadas que vivem na cidade. Felizmente cumprimos o nosso objectivo e ajudamos muita gente que precisava. Naquele jogo eu posso dizer que nós dois saímos vencedores, pois conquistámos o nosso principal objectivo que era ajudar as pessoas. O resultado do jogo foi o menos importante», atira Denilson, acrescentando: «Agora teremos um jogo a sério e estou muito feliz por poder enfrentar o Porto, pois poderei rever o meu amigo Hulk.»

O avançado brasileiro continua afastado da competição, devido à suspensão preventiva imposta após os incidentes no túnel da Luz. Enquanto espera pela conclusão do processo, Hulk treina arduamente para regressar aos relvados da Liga dos Campeões.

Tal como o Maisfutebol avançou, Jesualdo Ferreira deve utilizar o jogador na quarta-feira, apesar da natural falta de ritmo.

Contas feitas, Hulk perdeu um jogo com o Arsenal e venceu dois. Um no Dragão (2-0), outro no chamado Agreste Parabaino (3-2), sem milhões à mistura.

Contudo, o primeiro dos duelos com Denilson, o momento do reencontro, ficou marcado pela goleada dos Gunners (4-0) e por um largo sorriso de Arsène Wenger, após falhanço da sua equipa na enxurrada.

Essa imagem continua na memória dos adeptos do F.C. Porto, mas os jogadores do Arsenal nem se aperceberam do ultraje. «Sinceramente, não sabia disso. Mas acredito que o Arsène Wenger não faria isso com a intenção de menosprezar o Porto, pois ele é um técnico muito experiente e consciente. Acredito que tenha sido um mal entendido», remata Denilson.

Veja o F.C. Porto-Arsenal no Agreste Parabaino: