Armando Evangelista, treinador do Arouca, garante que o plantel do clube «não está fechado». Em conferência de imprensa de antevisão da partida de sábado, em casa frente ao Estoril, a contar para a I Liga,o técnico preferiu, no entanto, não adiantar nomes.

«Vamos ter que jogar contra todos, talvez mais à frente estaríamos com outra bagagem para os [Estoril] defrontar. Estaríamos mais recheados, porque o plantel não está fechado. Há gente que vai chegar, que tem que chegar. Há alvos e situações já avançadas, mas neste momento não há certezas. Para não estar a induzir em erro prefiro não falar em posições e alvos específicos. Este mercado tem-nos mostrado [que não há certezas]», adiantou Armando Evangelista.

Sobre a partida em si, o treinador de 47 anos antevê um jogo dividido.

«A equipa técnica [do Estoril Praia] é a mesma, pelo pouco que pudemos observar na Taça da Liga dá-me a sensação que em termos de comportamentos gerais aproxima-se do que já vinham a fazer. Mas, quando se mudam intervenientes, há sempre algo que muda. Sabemos o que queremos, o que vamos encontrar pela frente, temos de olhar para nós e acreditar no que estamos a fazer. Antevejo um jogo equilibrado, mas em que queremos ganhar», vaticinou o técnico.

O regresso do público aos estádios é, para Armando Evangelista, um «bom prenúncio» para o início do campeonato.

«Iniciar a I Liga a jogar para o nosso público e poder senti-lo, algo a que temos estado alheios, pode ser uma ajuda para as dificuldades que vamos encontrar. Estamos conscientes das dificuldades que vamos ter. A competitividade vai subir em flecha em relação aquilo que tivemos. Ter o público do nosso lado vai ser ótimo, temos que fazer da nossa casa a fortaleza, esse fator pode ser preponderante nesta época», concluiu.