O treinador do Desp. Chaves, José Mota, aproveitou a conferência de imprensa de antevisão ao encontro ante a Académica para abordar a situação de Ricardo Nunes, atleta dos flavienses que foi recentemente diagnosticado com um problema oncológico. Na ocasião, o técnico fez-se acompanhar dos três guarda-redes do plantel – Igor Rodrigues, Samu e Ricardo Moura –  e do treinador dos mesmos, Tiago Castro, numa demonstração solidária.

 

«Falo com o Ricardo [Nunes] todos os dias sobre como está a enfrentar todo este problema de saúde e se dependesse do grupo de trabalho, equipa técnica e do clube, já estaria resolvido», começou por referir, citado pela Lusa.

O experiente técnico admitiu, de resto, que a notícia abalou o grupo de trabalho do emblema da II Liga: «A notícia, quando é dada pelo Ricardo, caiu como uma bomba em todo o plantel. São situações que por muita experiência que se tenha no futebol nunca estamos preparados para a receber.»

LEIA MAIS: todas as notícias sobre a II Liga.

Em relação ao tempo de ausência, José Mota desejou que a recuperação do guardião seja «o mais rápida possível», realçando que o seu lugar na equipa «estará à sua espera quando regressar».

 

«Todos os clubes sabem a importância que tem atletas de um grande gabarito. O mundo do futebol está atento e, pelo atleta que é, é normal que tenha este tipo de atenção por todos os clubes, pois merece todos estes elogios, participações e divulgações», vincou, depois da onda de solidariedade demonstrada por vários emblemas e atletas do futebol português a Ricardo Nunes.