Entre os credores que votaram contra o plano de recuperação proposto no âmbito do PER está o município de Aveiro, o maior credor do clube, com cerca de um milhão de euros.

A lista de créditos que recaem sobre o Beira Mar atinge os três milhões de euros.

No processo constam 80 credores do clube, incluindo as Finanças, com 260 mil euros, a Federação Portuguesa de Futebol, que reclama 182 mil euros, e a Parvalorem, que gere os ativos do ex-BPN, com 130 mil euros.

Entre os credores estão ainda vários ex-dirigentes do Beira-Mar, nomeadamente Caetano Alves, José Cachide, Carlos Nuno Pereira, Mano Nunes e Manuel Simões Madaíl, que reclamam na totalidade mais de 750 mil euros por empréstimos concedidos ao clube.

A lista integra ainda, entre outros credores, o ex-jogador Nuno Carvalheiro, que tem a receber 53 mil euros, e dois clubes, o Vitória Sport Clube e a SAD do Marítimo, que pretendem receber, respetivamente, 40 mil e 23 mil euros.

Recentemente, a sociedade que gere o futebol do Beira Mar apresentou um segundo PER, menos de meio ano depois de o tribunal ter homologado um plano que previa o perdão de 80% da dívida do clube.