Daniel Ramos foi demitido do cargo de treinador da Naval. A decisão partiu do presidente Aprígio Santos, que «neste momento» não tem qualquer nome em mente para substituir o técnico. No entanto, o dirigente acredita que irá «conseguir uma solução».

«Depois de tudo a que assisti ontem (domingo), Daniel Ramos não tem condições para continuar a treinar a Naval» afirmou Aprígio Santos, à Agência Lusa.

A Naval foi derrotada, em casa, pelo Belenenses, no último domingo (0-1), e atrasou-se na luta pela subida. O clube da Figueira da Foz ocupa atualmente o 4º lugar, a sete pontos do 2º classificado (Moreirense), lugar que permite a promoção ao principal escalão do campeonato português - faltam apenas cinco jornadas para o fim da Liga de Honra.

Aprígio Santos admite que sentia que «as coisas não estavam bem desde há algum tempo», mas diz que tentou evitar este desfecho. O dirigente tinha estabelecido perante si mesmo que não faria mudanças «a nível de equipa técnica até final da temporada».

«O jogo com o Belenenses obrigou-me a refletir e, como responsável máximo pelo clube, não me posso esquecer das minhas responsabilidades», justificou o presidente, que mantém a promoção à I Liga como meta: «Enquanto o objetivo de subida for matematicamente possível compete-me dotar a equipa de todas as condições possíveis para que possamos atingir o objetivo delineado para a temporada.»