José Mourinho disse no final do Inter-Barcelona (3-1) que os catalães tinham goleado na posse de bola. «Aí 50 a zero para eles, mas nós fizemos mais golos e podíamos ter feito mais», afirmou o técnico português à RTP. Passe o exagero, a diferença foi de facto grande.

As estatísticas da UEFA dizem que o Barcelona teve 68 por cento de posse de bola, contra 32 dos «nerazzurri». O Barça também rematou mais à baliza: sete remates contra cinco do Inter.

Levou a melhor o Inter e José Mourinho, que tem a imprensa italiana aos seus pés. «Os marcianos somos nós», exulta a «Gazzetta», defendendo para a equipa do técnico português um lugar no mesmo planeta que o Barça.

O «Corriere dello Sport» faz manchete com a palavra «Lendário», enquanto «Il Giornale» diz que os adeptos devem «ajoelhar-se» perante Mourinho.

O tom é, como seria de esperar, bem diferente na imprensa espanhola. Os desportivos da Catalunha não poupam o árbitro Olegário Benquerença e falam mesmo em «roubo».